MCP: “Organizada que teria matado torcedor deverá ser banida dos estádios”

Foram emitidos 20 mandados de prisão temporária contra integrantes da Torcida Jovem do Flamengo (TJF) devido ao assassinato de Diego Silva dos Santos, torcedor do Botafogo de 28 anos. Ele morreu após ser golpeado com um espeto de churrasco em 12 de fevereiro, durante confronto nas imediações do estádio Nilton Santos, o Engenhão.

Trinta e nove dias depois daquele domingo em que se enfrentaram os dois times — clique aqui para ler mais sobre as detenções — suspeitos foram presos. E isso deverá resultar no banimento total da TJF dos estádios de futebol. O blog conversou com o Major Silvio Luiz, comandante do Gepe (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios da Polícia Militar do Rio de Janeiro), que adiantou: vai pedir a punição à organizada rubro-negra.

Quais torcidas estão judicialmente punidas hoje no Rio de Janeiro?
Major Silvio Luiz — A Força Jovem do Vasco (FJV) teve punição estendida até março de 2018 antes do término da anterior, que encerraria em março de 2017. O pedido foi feito em fevereiro. O motivo: cometeram diversos atos de violência no período. Por força judicial, só a FJV. Significa que não pode estar representada não só pelas camisas, faixas e bandeiras, como qualquer associado fica impedido de ir aos jogos do Vasco.

E punições administrativas?
Major Silvio Luiz — As demais têm punições administrativas pelo Gepe, com ratificação do Ministério Público (MP). Significa que há apenas a retirada do material, mas os integrantes podem ir sem ostentar itens da torcidas. No momento estão nessa situação a Torcida Jovem do Flamengo e a Raça Rubro-Negra.

Essas penalidades têm dado resultado?
Major Silvio Luiz — Sim. Torcida Jovem do Flamengo e Torcida Young Flu pegaram um ano cada uma e mudaram de postura após suas punições. A TJF tem, hoje, punição administrativa, mas não tão grave. Em termos de comportamento dessas torcidas em geral, elas voltaram inicialmente com outra postura tentando evitar problemas.

Mas agora, com a detenção de integrantes da Torcida Jovem do Flamengo, será solicitada punição semelhante à da Força Jovem do Vasco?
Major Silvio Luiz — Da minha parte será feito o pedido ao juizado do torcedor. Exatamente no mesmo molde da punição da FJV.

Um ano totalmente proibidos de irem aos estádios, inclusive os componentes, certo?
Major Silvio Luiz — Sim.

Depende de quem, de o MP acatar?
Major Silvio Luiz – Essa punição de afastamento dos membros é feita por intermédio de decisão judicial, somente o juizado do torcedor aplica, para lá faremos o encaminhamento e também para o Ministério Público.

Major Silvio, do Gepe: pedido de afastamento da Torcida Jovem do Flamengo

O que o senhor diria sobre as Barras, GDA, Guerreiros do Almirante (Vasco), Loucos pelo Botafogo, Nação 12 (Flamengo) e Bravo 52 (Fluminense)?
Major Silvio Luiz — Elas colaboram com o Gepe e têm todo apoio, vão aos estádios, levam seu material, fazem a festa, apoiam o time e nenhum problema arrumam.

As barras vêm aumentando sua participação, não?
Major Silvio Luiz — Sim, com as punições às torcidas organizadas elas cresceram. Os membros que querem apenas fazer festa estão saindo das torcidas organizadas para frequentar esses novos grupos.

E isso é perceptível na arquibancada…
Major Silvio Luiz — Sim. Hoje a Loucos é a maior do Botafogo, mais numerosa do que a torcida Fúria Jovem. Já a GDA é a que marca a maior presença na arquibancada de São Januário. A Bravo está bem grande, embora a Young Flu ainda esteja grande, mas atualmente elas são equivalentes.

Fonte: Mauro Cezar Pereira / ESPN

Veja também

  • Tem que banir todas as torcidas organizadas com histórico de crimes.

  • Coisa mais hipócrita gente, todos nós sabemos que isso só funciona na teoria pois na prática “tá todo mundo solto”, não entram uniformizados pela facção, entram “disfarçados”, não adianta acabar com organizadas em si, tem que punir os sujeito bandidos que praticam violência fora e dentro dos estádios, agora a segurança pública não dá conta nem dos que praticam delinquência fora desse âmbito, imagine quando o assunto é futebol, nosso país é totalmente desfavorecido de leis, aqui existe a lei que pune e lei que solta, só aqui mesmo, país de criminosos, gerido por facção criminosa, externado mundo a fora, a tempos foi feito até novela através da maior emissora no brasil (TV Globo), mostrando ao público claramente como funciona o crime organizado (Novela, A regra do jogo), só não entende quem não quer, há criminosos infiltrados em todos os departamentos públicos e privados, não há saída minha gente, estamos completamente perdidos, será impossível conter a violência e outros delitos, seja ele dentro ou fora do âmbito esportivo, salve-se quem puder e se Deus quiser!

    • Também acho, mas o Gepe faz a parte dele, aliás sempre fez, culpa é do MP e da justiça que solta esses bandidos.

      • Muitos promotores e juízes, mais estes que aqueles, estão mesmo contaminados por certa ideologia que nega a responsabilidade individual na análise do crime. Mas a lei, elaborada pelo congresso e pelo executivo, também não colabora. É extremamente favorável aos criminosos, sejam ricos ou pobres.

  • cadeia nesses vagabundos…isso não é torcedor …sempre prejudicando o clube e sujando a imagem do Flamengo…bando de covarde

  • Sem banir individualmente e permanentemente dos estádios não terá efeito.

    • Pois é, de que adianta acabar com uma das organizadas? eles criam outra com outro nome e pronto.

      • A punição individual e criminal assusta muito mais o vagabundo. Foi assim que acabaram com a farra dos Hooligans nos estádios ingleses.

  • Só eu que estou achando essa história meio mal contada? Os caras todos presos com a camisa do Flamengo e ainda guardavam a camisa ensanguentada do torcedor morto?

    • É só ver a quantidade de dinheiro que foi apreendida que você vai entender o porque de dessa mega mobilização da polícia em “punir” os culpados…

    • Não é possível que tenham guardado como troféu? Esses caras são selvagens. Quanto ao fato de alguns serem presos vestindo a camisa do Clube pode ser coincidência ou exigência da polícia para caracterizar que pertenciam à torcidas organizadas. Vai saber.

Comentários não são permitidos.