Arão, redes sociais, Arena da Ilha: veja os temperos que apimentam Fla x Bota

O clássico entre Flamengo e Botafogo neste domingo não é “quente” apenas por valer uma vaga na decisão do Campeonato Carioca, mas por causa de recentes polêmicas entre os dois clubes que apimentaram ainda mais a histórica rivalidade. De Willian Arão à troca de farpas no Twitter, passando pela disputa da Arena da Ilha, as equipes não podem dizer que há um clima amigável nesta relação.

Recentemente, porém, um triste episódio, protagonizado apenas por torcedores, manchou a rivalidade: o botafoguense Diego Silva dos Santos morreu durante um confronto com flamenguistas antes de um clássico entre as duas equipes no Nilton Santos, pela Taça Guanabara.

Veja por que a rivalidade entre Flamengo e Botafogo ficou tão “quente”:

Willian Arão
O volante se destacou com a camisa do Botafogo em 2015, mas foi para o Flamengo em 2016 e desencadeou uma briga na Justiça. Isso tudo porque o Alvinegro pagou R$ 400 mil duas vezes a Arão para acionar a cláusula de renovação automática do contrato, mas o jogador devolveu o dinheiro e trocou de casa ao fim do vínculo.

Até agora, Willian Arão obteve vitórias na Justiça e conseguiu seguir no Flamengo sem problemas, mas o Botafogo promete ir a Brasília para levar o caso à última instância.

Porta dos Fundos
Em 2015, o grupo humorístico fez uma esquete com o Flamengo satirizando os patrocínios pontuais do Botafogo. O Alvinegro move uma ação na Justiça que corre até hoje, cobrando R% 5 milhões. O vídeo chegou a ser retirado do ar.

Estádios
Sem poder contar com o Maracanã, o Flamengo tentou alugar o Nilton Santos por R$ 3 milhões e o meia Adryan em 2016, mas o Botafogo recusou – negou, inclusive, liberar o estádio para um Fla-Flu com mando do Fluminense. Já em 2017, o Alvinegro disse que não liberaria o local para o Fla-Flu decisivo da Taça Guanabara com torcida mista, mas foi “obrigado” pelo regulamento do torneio.

Se não bastasse a briga pelo Nilton Santos, Flamengo e Botafogo passaram a brigar também pela Arena da Ilha. Recentemente, uma cratera se abriu entre os setores norte e leste da nova casa rubro-negra. Em nota, o Fla alegou que o problema foi revelado em “outubro do ano passado quando era administrado pelo Botafogo”. O Alvinegro disse que deixou a Arena em condições e devolveu como recebeu da Portuguesa. Dirigentes trocaram farpas virtuais.

Bicho maior
Na reta final do Campeonato Brasileiro do ano passado, o Botafogo aumentou o bicho (premiação após vitórias) que seria pago aos jogadores em caso de vitória sobre o Flamengo de R$ 150 mil para R$ 200 mil, já que a equipe brigava por vaga na Libertadores. O jogo terminou empatada em 0 a 0.

Redes sociais
Uma das trocas de farpas entre os rivais via redes sociais foi depois da vitória do Flamengo por 2 a 1 sobre o rival na Taça Guanabara. O Rubro-Negro publicou uma foto perguntando “cadê você?”, e o Botafogo respondeu, citando a morte do torcedor Diego Silva dos Santos: “É sério que estão fazendo apologia à violência em um dia de confusão e morte?”

Outra troca de farpas foi em 15 de novembro de 2016, aniversário de 121 anos do Flamengo. O Botafogo fez uma “homenagem” no Twitter com matérias antigas de jornal, relembrando a goleada por 6 a 0 aplicada sobre o Rubro-Negro em 1972, dia do 77º aniversário do clube. O Fla respondeu com a goleada por 6 a 0 devolvida em 1981 e fazendo referência ao “chororô”.

Direitos iguais?
O Botafogo entrou no Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) com um Mandado de Garantia, com pedido de liminar, para ter direitos iguais ao Rubro-Negro na utilização do Maracanã no domingo, na semifinal do Campeonato Carioca. O Alvinegro alega estar desfavorecido em relação a quantidade de ingressos, camarotes e ingressos, acessos ao estádio, políticas de sócio-torcedor, espaço de publicidade, entre outras coisas. O TJD, porém, negou o pedido liminar.

Mas o processo continua. Foi dado o prazo de três dias para solicitar à Ferj as informações para análise. Após ouvir a Procuradoria, um relator será sorteado para determinar a data de julgamento. Como a partida será realizada no domingo, o processo correrá na Justiça depois, e assim será julgado prejuízos se comprovadas irregularidades. O Botafogo solicitou inclusive a retenção da bilheteria referente à 50% do valor de aluguel do Maracanã.

Fonte: Globo Esporte

Veja também