Ex-Flamengo, Ibson está feliz nos EUA e não pensa em voltar ao Brasil

O meia Ibson, revelado no Flamengo e com passagens por diversos clubes brasileiros, está atualmente jogando a Major League Soccer, liga nacional dos Estados Unidos. Em entrevista ao Lance, o meia se diz contente no Minnesota United e quer fazer história no país:

– Penso em ficar por aqui por mais tempo. No momento, não cogito voltar. Às vezes rola sondagem, mas ainda pretendo fazer história aqui. Quando voltar, aliás, não tenho preferência se tiver que escolher um clube no Brasil – disse Ibson.

Ao contrário da constante pressão e assédio que vivia no Brasil, o meia tem uma vida mais tranquila de jogador nos EUA:

– Aqui (Estados Unidos) não tem assédio. Para ser sincero, hoje, não sinto falta, apesar de ser bacana alguém na rua pedir para tirar foto e tudo e mais. Vivo muito bem aqui, curtindo esse tempo mais com a família. Posso dizer que é muito tranquilo e que a experiência tem sido proveitosa para mim.

Ibson (Foto: Reprodução de internet)

Outros trechos da entrevista

O que costuma fazer em seus horários de lazer por aí?

Como disse, aqui eu tenho curtido muito mais meus filhos. Tenho levado o Ibson Júnior, que está com 9 anos, para escolinha de futebol agora. Consigo assistir na beira do campo, e isso é muito prazeroso, como é levar a Alicia (7 anos) à dança. Já fui a jogos da NBA e de hóquei também. Curto muito.

Há pouco tempo, você jogou em um gramado enevado, sob -8ºC. Como tem sido encarar todo esse frio?

Agora o frio já está passando, né? No fim do ano que foi mais difícil de aguentar, era demais, mas eu já joguei na Rússia e isso ajuda bastante na adaptação. Só que tem dia que você lamenta até sair do carro (risos).

E seu condicionamento físico, está ok?

Minha condição física está boa, sim. Tenho trabalhado forte. Agora que O Minnesota United está na Major League, mudou quase o time todo, só ficaram seis ou sete jogadores do ano passado. O treinador é novo também, com novo pensamento e escolhas. Estou à espera de mais oportunidades.

E você acha que a Major League Soccer pode chegar ao patamar das ligas de outros esportes mais populares, como a NBA e a NFL?

Há muita competitividade na Liga, já que não tem rebaixamento. O nível técnico é muito bom. Além disso, o nosso estádio, por exemplo, está sempre cheio. Acredito que isso seja uma questão cultural. O americano curte eventos e competições, mas acredito que não vai adotar como adota a NBA e a NFL. Pode ser que o nível de interesse chegue próximo.

Para finalizar, não pode ficar em cima do muro. Você jogou ao lado de Ronaldinho Gaúcho (no Flamengo) e de Neymar (no Santos). Se tivesse que escolher apenas um no par ou ímpar, quem seria?

Atuei mais com o Neymar, né? Tenho boa relação com ele até hoje. É um moleque que tenho amizade e é sensacional, dentro e fora de campo. Ele sempre quis treinar com muita vontade, até nos dias seguintes aos jogos. Mas… Se tivesse que escolher? Difícil, os dois são gênios. Mas o jogador com mais talento que eu atuei posso dizer que é o Neymar.

Veja também

  • Se fosse eu também não voltaria pra república das bananas

  • Gosto do ibson, mas ele esta MLS, esperando oportunidades????? pow….. alo….

  • Que bom! Huahuahua

  • Isso… Você está certíssimo. Continue fazendo História num campeonato cujo modo de disputa eleva o nível (segundo você!) pois não existe rebaixamento.

  • Eu tbm tou feliz ibson. Tem outros jogadores daqui que precisam seguir seu exemplo. Se quiser arrumamos o Twitter do jamal, do caramujo, do cirino e ainda deixamos o vaz de sobreaviso.
    Tipo, leva os caras pra Las Vegas. Vai ser bom pra todo mundo..

    • Mais porque faz proposta pra levar esse super jogadores? Que são os melhores do país da cabeça do nosso técnico.

  • Que fique por lá e vire americano, nunca mais ponha os pés na gávea. Foi uma das loucuras da Patricia Amorim, 600 mil por mês. Acabamos de paga-lo à pouco tempo. E ainda queria mandar no time, dava crise de pelanca quando era substituído. Vai se f***** pra lá!

    • Impressionante!

Comentários não são permitidos.