Mattos: “Após Profut, clubes controlam gastos com futebol e reduzem dívida em 2016”

Após a implantação do Profut, os grandes clubes brasileiros controlaram gastos com futebol e conseguiram uma redução da sua dívida total em 2016. É o que mostra um levantamento da BDO Sports Management. Mas só se poderá ter certeza sobre os efeitos do Profut sobre os times a longo prazo porque houve um crescimento anormal de dinheiro com televisão por luvas neste ano.

As receitas dos 23 clubes de maiores receitas saltaram para R$ 4,462 bilhões em 2016, um aumento de 29%, bem acima da inflação. Pelo padrão do futebol brasileiro, isso representaria uma explosão de gastos no futebol para aproveitar o dinheiro extra. Mas não foi o que ocorreu dessa vez.

Houve, sim, um crescimento de gastos com o futebol de 9,4%, pouco acima da inflação, o que elevou o valor a R$ 2,888 bilhões. Isso significa que as despesas com futebol ficaram em 58% das receitas do total. ”Com o forte crescimento da receita e com a nova lei que vigora no segmento (PROFUT), o indicador Custo do Futebol/Receita Total atingiu seu menor valor no período analisado”, aponta o relatório da BDO.

Para completar, os clubes nacionais apresentaram um superávit de R$ 423,7 milhões. ”Apenas 6 dos 23 clubes apresentaram déficit em seus balanços em 2016”, contou a BDO. Esses times que apresentaram déficits foram: Sport, Avaí, Botafogo, Coritiba, Internacional e Cruzeiro. Lembre-se que as regras do Profut estabelecem que os clubes têm de reduzir seus déficits até zerá-los.

Como consequência, houve uma redução discreta do endividamento líquido dos grandes clubes nacionais. Esse caiu para R$ 6,390 bilhões, R$ 63 milhões a menos do que em 2015. Em dois anos, houve 5% de queda no débito dos times. Lembre-se que, considerada a inflação, essa queda foi maior. A redução foi maior em relação a empréstimos: ficou em R$ 1,6 bilhão (queda de 7%).

Mas isso não significa que todos os clubes conseguiram reduzir suas dívidas. Líderes do ranking dos devedores, Botafogo, Atlético-MG e Fluminense tiveram aumentos em seus débitos, além de Cruzeiro e Internacional. O São Paulo até teve um aumento de dívida, mas esse valor já caiu em 2017 com o pagamento de empréstimos e direitos de atletas. ”16 dos 23 clubes apresentaram redução em seu endividamento com empréstimos”, apontou o relatório da BDO.

Lembre-se que a dívida não é um índice absoluto para saber a situação financeira de um clube. Tem que se levar em conta sua receita em relação ao débito, a natureza dos passivos e os gastos do clube. O Botafogo é o maior devedor na lista, mas é preciso lembrar que o Corinthians não incluiu o débito do estádio em seu balanço. Veja abaixo a listas da maiores dívidas de clubes brasileiros:

1o Botafogo – R$ 753,1 milhões

2o Atlético-MG – R$ 518,7 milhões

3o Fluminense – R$ 502 milhões

4o Flamengo ** – R$ 460,6 milhões

5o Vasco – R$ 456,8 milhões

6o Corinthians *- R$ 424,9 milhões

7o Grémio – R$ 397,4 milhões

8o Palmeiras – R$ 394,8 milhões

9o São Paulo – R$ 385,3 milhões

10o Cruzeiro – R$ 363 milhões

110 Santos – R$ 356,6 milhões

12o Internacional – R$ 311,6 milhões

13o Atlético-PR – R$ 264,5 milhões

14o Coritiba – R$ 187,1 milhões

15o Bahia – R$ 166,4 milhões

16o

* O débito do Corinthians em relação a sua arena gira em torno de R$ 1,4 bilhão, mas uma parte desse valor deverá ser abatido por CIDs e ainda está em negociação.

**O Flamengo alega ter uma dívida de R$ 390 milhões porque não considera como débitos adiantamaentos de receitas, ao contrário da BDO.

Fonte: Rodrigo Mattos | Uol

Veja também

  • BOSTAfogo, VasCU e CUrinthians estao fudidos! Vai uns bons anos para se equilibrarem, se não falirem!

    • O Fluminense também , mesmo com o bônus da TV a dívida aumentou.

  • Ah tá, as Gayvotas não contabilizam os R$1,4 bi como divida e a BDO não contabilizou, o Flamengo teve receitas adiantadas e eles somaram no montante. No mínimo deveriam utilizar o mesmo critério, não?
    SRN

  • Mas o critério é discutível pois na verdade recebeu “Luvas” pela assinatura do contrato, sem receber os valores da quota propriamente ditos, como uma bonificação ou prêmio pela assinatura, assim, acho correto não considerar adiantamento e sim bonificação!!

    Dívida seria se fizessem como antigamente que pegavam emprestado em instituições financeiras e davam o contrato como garantia..

    SRN

  • adiantamento de receita é débito? que metodologia hein …

    • Eles encaram isso como uma forma de empréstimo pois você recebe primeiro e só faz a contra-prestação no futuro. Por isso alguns contadores consideram isso como parte das dividas.

      • mas ma ajude a entender, os outros clubes até aonde sei fizeram a mesma coisa nao? porque nao foi citado?

        • Bem primeiro não sou contador então posso falar besteira aqui mas vou tentar fazer o melhor. Segundo, Vasco da Gama!! Terceiro eu acho estranho ele falar em antecipação de receita porque até onde eu sei essa direção não fez nenhuma antecipação. O que somente o Flamengo e o Botafogo faziam de diferente em relação aos demais era dividir as luvas recebidas, que não são empréstimos, por assinatura de contratos pelos anos do contrato e isso criava sim uma diferença no valor das dívidas desses clubes em relação aos demais.

Comentários não são permitidos.