Caso Ederson faz com que Fla intensifique exames em jogadores

A descoberta do tumor em Ederson sensibilizou o Flamengo, que ligou o alerta para prevenções de futuros problemas parecidos com o do camisa 10. O clube decidiu incluir em exames de pré-temporada e de novas contratações que possam descobrir hormônio hCG, capaz de indicar alterações no organismo.

O Flamengo quer analisar o índice de hormônio hCG no sangue de seus atletas. O beta-hCG aumenta a produção de testosterona, o que pode gerar vantagem competitiva porque aumenta a musculatura do atleta, mas também pode provocar doenças, como no caso do jogador de 31 anos.

O tumor de Ederson foi descoberto através de exames anti-doping. Uma descoberta dessa forma pode fazer com que o atleta tenha rápida recuperação. Na quinta-feira, a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem foi no Ninho fazer exames surpresa nos jogadores. Por coincidência, foi o dia em que chegaram os resultados dos exames de Ederson.

O doping acabou ajudando o jogador do Flamengo, que opera na próxima segunda-feira e, se tudo ocorrer bem, pode voltar aos treinamentos até o fim da temporada.

 

 

Veja também

  • Tem que prevenir mesmo. Em todos os jogos os arcoiristas ficam pegando nas bolas dos Héteros do Mengão que acabam machucando a região da salsicha.

Comentários não são permitidos.