Mattos: “Relatórios da CBF minimizaram problemas em São Januário antes de briga”

Relatórios da CBF sobre jogos em São Januário anteriores à confusão no clássico minimizaram os problemas no estádio e não apontaram nenhum problema estrutural ou de segurança apesar de brigas recentes. Esses documentos foram produzidos pelo diretor de competições da Ferj, Marcelo Viana. Ele afirmou não ter visto problemas de segurança no local e disse ter relatado incidentes em jogos anteriores.

Não houve nenhuma restrição da confederação ao clássico com o Flamengo no local escolhido pela diretoria vascaína. Pelo Estatuto do Torcedor, o Vasco é o responsável por garantir a segurança de jogos em que é mandante.

Já a CBF marca os jogos da competição, responde solidariamente por danos ao torcedor e é a responsável pelo plano de segurança da competição. Trata-se de um documento genérico de 16 páginas sem instruções específicas. O plano de ação fica por conta da Ferj, feito em reunião com autoridades de segurança.

Questionado, por meio de assessoria, Marcelo Viana, da federação, afirmou não ter visto problemas de segurança no estádio: ”Não encontrei. Diversas partidas foram realizadas de várias competições em São Januário sem verificação de ocorrências. Compete ao delegado as observações se o clube está cumprindo as normas dos regulamentos das competições e do estatuto do torcedor.”

Pois bem, a CBF institui relatórios de todos os jogos em 2017 para avaliar as condições dos estádios. No caso de São Januário, todos os documentos foram produzidos por Marcelo Viana. Nesses, ele minimizou brigas anteriores.

Diante do Corinthians, houve tumultos por confronto entre torcedores que protestavam contra o presidente vascaíno, Eurico Miranda, e seus apoiadores, sejam seguranças ou outros torcedores. O confronto foi generalizado como mostram os vídeos. ”Após a partida, houve início tumulto na arquibancada onde estava localizada a torcida do clube mandante (curva da arquibancada) que foi rapidamente contornado pela Polícia Militar”, relatou Viana.

Depois, na partida contra o Avaí, houve um apagão e novos protestos contra Eurico Miranda, seguidos de agressões. Houve tiros de balas de borracha e até a necessidade de divisão no meio da torcida para evitar mais briga.

Mas Viana atribuiu o problema à política do clube e disse que a PM manteve a ordem: ”Durante a paralisação da partida grupos políticos de segmentos contrários protestaram no anel da arquibancada. A Polícia Militar realizou intervenção, mantendo a ordem e organização no interno do estádio. Com o reinício da partida, tudo transcorreu sem incidentes até o encerramento. Não havendo registro de nenhuma anormalidade.”

Pela assessoria, Viana afirmou ter relatado o que viu e que a CBF recebeu as informações: ”Nos jogos citados contra Corinthians e Avaí, ocorreram situações na arquibancada, assinaladas na súmula do jogo e também no relatório. Isso ficou (e está) à disposição das autoridades desportivas e da entidade organizadora do campeonato para avaliação dos fatos.”

Não foi relatado nenhum problema nas instalações de imprensa do estádio. Quase todos os itens do estádio foram marcados como ok nos documentos.

Agora, após a confusão, a decisão do STJD determinou falha estrutural do estádio: ”O Vice-Presidente (Paulo César Salomão Filho) destacou ainda uma falha gritante na infraestrutura do estádio devido ausência de barreira para obstruir a passagem de torcedores ao local destinado aos profissionais de imprensa que impeça o contato entre os mesmos e as cabines de rádio e televisão”, diz a nota do STJD. Jornalistas foram atacados por torcedores dentro da cabine.

Segundo Viana, não cabe ao delegado verificar falhas estruturas, o que deveria ser feito pela comissão nacional de estádios da CBF. Sem verificar nenhum problema em São Januário, a CBF aprovou a realização do clássico contra o Flamengo no local.

E, após a briga generalizada, bombas e uma morte do lado externo, impediu torcedores de irem ao estádio nos próximos jogos. Seu presidente Marco Polo Del Nero defendeu à ”Folha de S. Paulo” uma punição por dez anos para os torcedores. O relatório do jogo entre Flamengo e Vasco ainda não estava disponível até a noite de segunda-feira.

”A responsabilidade é de quem é o mandante do jogo e de quem organiza a competição. Entendo que responde juntamente com o clube. Um torcedor que sofrer prejuízo pode demandar o clube e a CBF”, explicou o advogado Carlos Eduardo Ambiel. ”O fato de haver brigas não signitiva que houve omissão. Às vezes pode-se se tomar todas as providências e haver conflito. Isso tem que ser apurado.”

O blog fez perguntas para a confederação sobre os relatórios sobre São Januário, e sobre os planos de segurança do Brasileiro. A CBF informou que ”o plano de ação de cada partida é elaborado pela Federação estadual mandante da partida junto com as autoridades de segurança. A Ferj elaborou, como sempre faz, o plano de ação da referida partida.”

Fonte: Rodrigo Mattos/Uol

Veja também

  • ”Não encontrei. Diversas partidas foram realizadas de várias competições
    em São Januário sem verificação de ocorrências. Compete ao delegado as
    observações se o clube está cumprindo as normas dos regulamentos das
    competições e do estatuto do torcedor.”

    Humm tá bom,o delegado é da FFERJ aliada do vascú, quanto as diversas partidas, nenhuma delas foi vascú x Flamengo, eu sabia que isso poderia ocorrer, o estádio por ser antigo preserva um arquitetura que não atende aos padrões de segurança de hoje, como exemplo o fato dos torcedores do vascú terem acesso fácil chegando a ameaçar os profissionais da imprensa que estavam dentro das cabines de transmissão com um vergalhão. Os caras fazem politicagem e depois se dão mal, além de liberar um estádio perigoso para um clássico o vascú agora vai ter que jogar em Volta Redonda para públicos pequenos pois no começo do campeonato criaram a regra de não poder jogar fora do estado para prejudicar o Flamengo, mas quem se deu mal foram eles. kkkkkkk

    SRN #SEfodeAíAgora

  • Eu também não vi nenhum problema com o estádio de São Januário. É só fazer o óbvio: identificar e punir os criminosos.

  • Se vc tiver menos de 30 anos. Não for casado ou tiver filhos, meu conselho é: vazem desse país

    • É muito mais fácil do que tentar melhorar o país… Infelizmente

      • Acho que vai melhorar. Mas vai demorar e prejudicar uma geração que deveria, se pudesse, buscar novos ares.

        • Eu penso na possibilidade de ir morar em outro país desenvolvido que não seja os EUA, mas tem essa também de entregar o país de bandeja pra esses corruptos n*jent*s

  • CBF + FERJ = corrupção. Querem o quê…tá na cara que esses pilantras estão apoiando o velhaco vascaíno há tempos. Um absurdo, uma falta de vergonha na cara, que custou uma vida e poderia ter sido até pior…e podem apostar, que vão querer jogar alguma culpa pro Flamengo…é bom fica de olho aberto em diretoria…essa “máfia” é perigosa…

  • Infelizmente o Brasil se caracteriza por declarações vazias e de isenção de responsabilidade por parte dos órgãos competentes a cada nova situação de confronto ou desastre que ocorre.

    Vimos recentemente – e sumiu da mídia há muito tempo – a questão do trecho da ciclovia que desabou em São Conrado. Tivemos durante a Copa do Mundo um viaduto (se não me falhe a vaga lembrança) que desabou em BH e também ficou por isso mesmo.

    O incêndio da Boite Kiss continua na justiça.

    Os órgãos competentes são apenas reativos e nunca preventivos. Seus representantes estão sempre amparados por leis que dizem que eles não tem a obrigação de verificar os itens cruciais. Interessante que nunca aparece quem teria de ter essa obrigação.

    Vale sempre ressaltar que observações extras são sempre permitidas, mas os órgãos competentes, com toda a sua pesada burocracia, nunca as fazem.

    SRN

    • Falou tudo

    • É isso, nós como sociedade muitas vezes somos passivos demais, esse país está sendo destruído infelizmente.

  • Eurico é o maior culpado! Incita violencia e odio ao Flamengo desde que voltou. Dividiu o Vasco, a ponto de ter torcedores da oposicao removidos e agredidos longe das cameras. Todos sabiam que o risco era alto, porque manter um jogo desses em SJ?

    Esse senhor é um fanfarrão irresponsavel.

    Os jogadores do Fla foram muito inteligentes emocionalmente, nao responderam provocacao. Nene e LF estavam doidos procurando confusao, ainda bem que nao caimos. Agora vai ser muito arriscado jogar com eles na Ilha, eles vao tentar provocar dentro e fora do estadio. Joga no maraca, vamos ganhar em qualquer lugar.

Comentários não são permitidos.