Com ajuda de Diego e do Flamengo, jovem deixa as ruas e volta aos estudos

Diego Ribas caminha para ter uma história linda no Clube de Regatas do Flamengo. Apesar de ainda não ter conseguido ganhar nenhum título de expressão nesse primeiro ano no clube, o meia é tratado como uma espécie de ídolo por grande parte da torcida.

Com ajuda do Flamengo, de empresários e do camisa 35, Wesley dos Santos largou os sinaleiros do Rio de Janeiro, onde fazia malabarismo há 8 anos, e voltou aos estudos para poder trabalhar de carteira assinada no futuro.

A equipe do Globoesporte.com entrevistou Wesley e conheceu a história do rapaz que largou os malabares no sinal e agora vai trabalhar de carteira assinada pro Flamengo.

CIDADE DE DEUS

Wesley é morador da favela Cidade de Deus, onde os constantes tiroteios fazem da favela um inferno na terra. A mãe – prestadora de serviços gerais cuja renda varia de acordo com eventos que faça – foi responsável por criá-lo ao lado de um irmão e mais duas irmãs.

– Conheci meu pai, mas ele nunca me ajudou, não. Minha mãe sempre fez o trabalho de mãe e pai juntos, sempre deu conta. No dia dos pais e das mães, ela que ganha o presente – disse Wesley.

Mesmo com as dificuldades, não sucumbiu aos desvios dos caminhos: “Sou um menino que gosta das coisas certas; não me sinto bem com o que me traz coisa ruim.

HISTÓRIAS REAIS

Já de posse da carteira de trabalho, Wesley começará o trabalho na loja do Shopping Via Parque, também na Barra. Quem quiser dar uma força é só chegar e pedir para ser atendido por ele.

O caso do jovem torcedor rubro-negro remeteu a uma frase dita pelo vice-presidente de marketing do Flamengo, Daniel Orlean, em encontro com lojistas da rede oficial do clube:

– Nosso propósito não é vender camisas. É participar de histórias reais dos nossos torcedores.

O Flamengo, por meio da empresa que faz a gestão das lojas oficiais, oferecerá treinamento e capacitação do Wesley, que também será levado à Gávea para conhecer mais a história no Fla-Memória.

– O Wesley é um exemplo de luta e dedicação. Poder retribuir a paixão de um membro da nossa nação e dar oportunidade, como ingressar no mercado de trabalho e complementar seu ciclo educacional, é algo que orgulha demais o Flamengo – afirmou o diretor de marketing do Rubro-Negro, Bruno Spindel.

Veja também

  • E tem nego que vais o cara, todo mundo tem uma fase ruim no futebol. Ninguém disponibiliza a imagem ao Flamengo como o Diego, e todos recebem por isso. O Diego é o tipo de jogador que o Flamengo sempre precisou, é visível nas entrevistas o quanto ele honra o manto !!!

  • Que orgulho!! Flamengo cuidando de seu maior patrimônio, que sirva de exemplos para tantos outros clubes, quem sabe muito mais crianças não são recolocadas de volta a sociedade, trabalhando de cabeças erguidas sem discriminação e etc… parabéns Flamengo, vcs são fodas!!!

  • Emocionante! Dá chance pra alguém que merece, sempre é bem vinda.

  • Clube Instituição é isso.

    Parabéns aos envolvidos e que o rapaz possa seguir adiante em sua vida de forma digna e correta.

    SRN

  • Muito boa iniciativa, mas só agora Diretoria? A quantos anos nos deparamos com essa cena nas ruas das metrópoles do Brasil. O pior é ver o Criança Esperança fazendo campanha para enriquecer ainda mais os ricos.

  • Legal essa história, só queria saber mais detalhes, como o Flamengo escolheu esse garoto no meio de tantos outros na mesma situação, e o que o Diego teve a ver com o caso, que não ficou claro.

    • A matéria no site do Globo Esporte está maior. tá assim lá: “Diego e sua mulher também conheceram Wesley no seu malabarismo do dia a dia, mantiveram contato e ajudam o menino. O jogador foi além: conseguiu parceria que irá custear matrícula e retorno do rubro-negro aos estudos, interrompidos na 8ª série.”

  • Legal, bela história, o que as pessoas precisam é de oportunidades, é muito bom saber que o Flamengo se preocupa com o lado social também.

    SRN #IssoAquiÉFlamengo

  • Excelente, mais do que emprego esses jovens precisam de apoio, que o nosso corrupto governo não dá.

    • Tbm acho ele n estava na rua atoa

  • Belo exemplo. Isso o Rizek, menino criado pela vovó, não mostra no programa dele.

    • Rizek é um clubista igual Mauro Cesar.A diferença entre os dois é q o Mauro crítica o seu clube de coração já o rizek crítica os clubes adversário do Corinthians

    • Pois é amigo. Um exemplo muito mais construtivo do que, seguindo a lógica dele de “mostrar bons exemplos”, mostrar uma brincadeira de um clube com um outro e atribuir aos conflitos entre as torcidas.

Comentários não são permitidos.