Cosme Rímoli: “Bandeira de Mello descobre: Presidir do Flamengo não é comandar BNDES”

Todo o meticuloso planejamento, feito para a mais surpreendente recuperação econômica não vale para o futebol. A diretoria do Flamengo demitiu Zé Ricardo sem ter um substituto em mente. Primeiro mandou embora, pressionada pela torcida, pelos conselheiros. E só depois pensou no futuro do time. Na nova filosofia de trabalho a ser adotada.

Pode ser a modernidade de Reinaldo Rueda, a ilusão de Jorginho, a nostalgia de Paulo César Carpegiani, a insegurança de Eduardo Baptista, a instabilidade de Roger, a utopia de Fernando Diniz.

Eduardo Bandeira de Mello havia dito bem claro em uma palestra na USP. A solução para o futebol não estava em demissões de treinadores. Deixou claro que seu clube seguiria com Zé Ricardo. Dois dias depois, o demite. Sem qualquer coerência.

O mandou embora porque pensando no seu grupo político, nas eleições de 2018.

Zé Ricardo nunca foi bem aceito como treinador na Gávea. Com o projeto de reestruturação econômica sendo muito bem feito, Bandeira de Mello foi pressionado a buscar jogadores. Percebeu que, se o time não conseguisse resultados, seu grupo não seguiria no poder.

E jogadores importantes passaram a chegar para o Flamengo. E Guerrero passou a conviver com Diego, Everton Ribeiro, Diego Alves, Conca, Geuvânio, Rhodolfo, Trauco, Berrío, Rever. E mais a revelação de R$ 164 milhões, Vinícius Júnior.

A expectativa era que, como passe de mágica, os jogadores se entrosariam e passariam a mostrar futebol fabuloso. Algo que Leco e Pinotti também imaginam no São Paulo. Só que a montagem de uma equipe é muito mais complicada, exige tempo. Buscar um time sob pressão, em plena disputa de três torneios, é algo que beira a mágica.

O Flamengo disputa a Copa Sul-Americana, o Brasileiro e a Copa do Brasil. O time está na segunda fase da competição continental, em quinto no Brasileiro e na semifinal da Copa do Brasil. Foi campeão carioca de 2017.

É um rendimento mais do que aceitável.

De longe.

Não na efervescente Gávea.

Nas últimas sete partidas, apenas uma vitória.

A Ilha do Urubu, na Ilha do Governador, deveria ser o grande caldeirão rubro negro. Para os adversários do Flamengo. Não para o próprio time. Foi o que aconteceu, ontem, contra o Vitória.

Os torcedores que lotaram o acanhado espaço tinham uma certeza. Passariam uma manhã de sol e alegria. Começariam o domingo com um afago na autoestima. O adversário era o fraquíssimo Vitória, na zona do rebaixamento. Três pontos garantidos.

Pressionado, criticado, ofendido por onde quer que fosse, Zé Ricardo tomou uma decisão lógica. Tirou o limitado Márcio Araújo do time. Ótima decisão. Mas errou feio ao deixar apenas um jogador com potencial de marcação. Willian Arão. Diego, Everton Ribeiro e Everton ficaram sacrificados. Com cuidados defensivos excessivos, para tentar compensar a ausência de um protetor da zaga.

O rodado Vagner Mancini agradeceu o presente. E seu time explorou à vontade os contragolpes. Não havia cobertura dos lados do campo. Os badalados meias flamenguistas tinham de marcar e ao mesmo tempo tentar superar a retranca baiana. O resultado foi uma caótica derrota por 2 a 0.

Zé Ricardo se suicidou.

Eduardo Bandeira de Mello mesmo assim não queria demiti-lo. Mas a pressão foi insuportável. Conselheiros importantes já estavam pedindo a cabeça, em uma bandeja de prata, de Rodrigo Caetano. O diretor de futebol é o braço direito do presidente no futebol. E precisava ser salvo. Bandeira de Mello tomou a decisão que não desejava.

Abandonou a racionalidade.

E mandou Zé Ricardo embora, sem imaginar em um substituto.

Por isso, ele, Rodrigo Caetano e membros da diretoria passaram a noite pensando em um nome. Pronto para chegar, assumir o time e, principalmente, ter o respeito dos conselheiros, da imprensa, da torcida.

O plano de jogo, a filosofia, a harmonia com o elenco.

Nada disso foi levado em consideração.

E Reinaldo Rueda passou a disputar o privilégio com Jorginho, Carpegiani, Roger, Fernando Diniz.

O treinador campeão da Libertadores de 2016, pelo Atlético Nacional, já está recuperado. No início do ano, se submeteu a uma operação no quadril, em janeiro. Voltou a trabalhar em março. Foi contrário, mas não pôde evitar a debandada de jogadores. Seu time foi desmanchado. O resultado não foi bom. E acabou demitido em junho.

Decepcionado com o futebol colombiano, foi estudar na Alemanha. Seu sonho era assumir uma equipe europeia. O convite não apareceu. Os representantes do treinador são acessíveis. O Corinthians chegou a tentar contratá-lo no final do ano. Mas desistiu diante da cirurgia.

Lógico que há o grande entrave chamado adaptação. Mas dos nomes citados, ele é o melhor treinador disparado. Resta saber se a direção do Flamengo dará respaldo para que o técnico conheça como funciona o futebol brasileiro. Ainda mais estando em disputa uma vaga na Libertadores de 2018. Ela é fundamental na busca da permanência do atual grupo político no poder.

Roger foi uma decepção no Atlético Mineiro. Incoerente. Capaz de deixar o time sem poder algum de marcação. Jorginho não consegue manter a estrutura tática básica. Muda de ideia, acreditando que os jogadores possam alterar sua maneira de atuar diante de adversários diferentes. Carpegiani ficou para trás. Está ultrapassado, seus times não sabem o que é intensidade. E Fernando Diniz segue escravo do tike taka de Guardiola, do Barcelona de cinco anos atrás.

Além desses nomes sondados, há antropofagia.

Ou seja, sabotar algum clube com treinadores contratados.

Fábio Carille, Renato Gaúcho, Levir Culpi, Cuca, Abel Braga…

Os dirigentes estão à busca de um técnico com perfil diferente de Zé Ricardo. Querem um nome ‘consagrado’, ‘cascudo’. A situação não está fácil. E a expectativa é enorme.

Sem Zé Ricardo, há a chance de Felipe Melo ser contratado.

O ex-técnico flamenguista não queria o polêmico volante.

Parte da diretoria adora o jogador.

Por enquanto, o auxiliar Jaime assume o time.

Bandeira de Mello teve de engolir a palavra empenhada 48 horas antes.

Mais uma lição ao presidente que endireitou as finanças do clube.

É muito mais fácil ser executivo do BNDES, onde trabalhou por décadas.

Ser presidente do Flamengo é infinitamente mais difícil.

O mundo do futebol espera a sua decisão.

A escolha do novo técnico, a que jurava não fazer, na quinta passada…

Fonte: Blog do Cosme Rímoli | r7

Veja mais:

E o projeto fracassou…

Cotados para vaga de Zé Ricardo, Rueda tem apoio do torcedor; Jorginho, não

PVC: “Reinaldo Rueda tem pouca chance de ser o técnico do Flamengo”

Nicola: “Convite para treinar Flamengo hoje balançaria Zico, garante um amigo do ídolo”

 

Veja também

  • Não tinha jeito, até demorou, primeiro a demissão, depois vai ver com calma quem trazer.

    Acho que vai acabar sendo o Fernando Diniz.

  • Tem hora que eu leio cada coisa a respeito do EBM que me deixa pensativo. É um fato que, infelizmente, em sua gestão o futebol do Flamengo não ganhou os grandes títulos que gostaríamos, e parece claro que essa gestão precisa de alguém que entenda de futebol para orientá-los. Mas leio críticas direcionadas a ele que faz parecer que era melhor quando tínhamos Kléber Leite ou Patrícia Amorim deixando um rombo impagável para o Mengão. Fico preocupado que a próxima gestão entre nessa paranóia da torcida e acabe fazendo as mesmas bobagens das gestões passadas.

  • mimimimimi do baralho

  • Esse Cosme Rimoli critica o Fla por absolutamente qualquer coisa. Todos os textos dele sobre a gente são ou arrumando defeitos no clube ou tentando nos ridicularizar. É um Neto são-paulino que finge ser imparcial.

  • Se eu pudesse, destituiria até o ditador EBM!

    • Ainda bem que você não pode, a não ser que você esteja destituindo-o do cargo de VP de futebol, o que aí eu concordaria.

  • Primeiro, ele nunca comandou o BNDES. Era um gerente de segundo escalão do Banco, sem expressão nenhuma, basta procurar no Google.

  • Pelo que o cronista escreveu, parecia que o Mr.Flag teria uma obrigação irrevogável, de manter o técnico “Zé Riscado”, alçando-o à condição de quase um Alex Ferguson, que comandou o United, por quase três décadas.
    SRN

  • EBM É MITO!!! Deve ser respeitado por todo torcedor

  • Poucos erros em nada desmerecem a administração EBM e equipe. Obrigado EBM por salvar nossa paixão. A NAÇÃO continua com você.

  • Concordo com algumas coisas, mas dizer que errou feio ao colocar o time com apenas um cabeça de área é querer ser profeta do acontecido… o Vitória só fez o primeiro gol pq Arão entregou a paçoca (e Rever entregou a paçoca no segundo)… fora isso, perdemos alguns gols claros como de costume.

    O que mais tem agora é “jornalista/colunista” sendo especialista de Flamengo… um monte de profeta do acontecido. O cara nem deve saber o que é BNDES e já fica fazendo conjecturas….

    SRN

  • O problema do presidente é que quer se meter no futebol onde não é chamado, ele devia apenas cuidar das finanças, um exemplo é o Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, ele assisti jogos do Real e todos vem ele quieto, dificilmente é entrevistado, falam que ele indica craques, mas só é aprovado pelos dirigentes especialistas, dificilmente interfere no futebol e não mancha sua carreira, não discute com torcedor, fica só pensando em lucrar para melhorar o clube e manter em alto nível, o Bandeira de Melo parece fazer tudo ao contrário no semi amadorismo que ainda reina no futebol brasileiro e dirigentes, quer impor cono se fosse ditador, devia apenas cuidar da aprte administrativa, isso é a lógica, não se dividir em dois cargos, presidente e vixe e ser sobrecarregado, ainda mas que não entende muito dd futebol, pelas entrevistas dele sepercebe isso, não tem que proteger jogador nenhum, os dirigentes de futebol que escplhem junto com a comissão quem pernanece e sai do time, nem empresário deixar interferir. Futebol profissional de alta qualidade e compromisso o Flamego tem que buscar ter nesses anos já!

  • Cosme Rimoli acha isso do Presidente que equacionol todas as dividas e esta em dia com todas elas diminuído pela metade as merdas e roubalheiras que para ele foram bons excelentes presidentes porque ganharam titulos e deixaram R$ 800.000 milhões para Bandeira o incompetente segundo o Rimoli, não sabe nada pois era um funcionario de carreira que se aposentou e saiu de cabeça erguida sem si misturar com ladrões, fazer o que o Cosme Rumoli gosta de Cleber Leite e Marcio Braga e o que ele ama de paixão o poderoso Edmundo Santos Silva .Parabéns para os honestos e que se dani o mundo os ladrões.

  • O Bandeira transformou o Flamengo em um time rico com mentalidade pobre. Basicamente ele acertou os ponteiros para uma futura gestão competente no futebol ganhar. Na gestão Bandeira vai ser isso mesmo, só fracassos.

  • Paulo Autuori com esse time faria um ótimo trabalho.

  • Que texto ridículo. BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento – Simplesmente é o banco que trabalha com uma parte dos impostos de toda a população brasileira. Lá há grande influencia política – corruptos , mercenários – todo tipo de gente sem escrúpulos e mesmo assim virou um grande executivo ( sem escândalos ). Acredito que vc nunca tenha entrado na sede do BNDES para afirmar algo assim. Flamengo é um time que estava na miséria e agora tem previsto para esse ano 600 milhões em receitas. Na questão técnico , Rueda não esta disputando nada com Jorginho, ele está na Alemanha estudando e não pretende voltar agora e já negou o Corinthians no inicio do ano por problemas de saúde.

    • Ainda é pouco com libertadores e mundial poderia alcançar 1 bilhão, o Fla pode ter diretorias melhores!

      • pelo amor …. não que seja impossível, porem hoje orçamento de 1 bi nem com mundial. Brasil vive uma crise gigante e as empresas nao querem apostar no Brasil da corrupção.

    • Vdd… o que mais tem agora é “jornalista/colunista” sendo especialista de Flamengo… um monte de profeta do acontecido. O cara nem deve saber o que é BNDES e já fica fazendo conjecturas….

      SRN

  • Eu sinceramente tentaria trazer o Jair Ventura, ótimo treinador deve receber pouquíssimo no CHORAFOGO !
    Único problema seria ele aceitar a proposta mesmo que o flamengo dobre o salário dele, pois ele parece ser um cara muito correto e não deixaria o CHORAFOGO agora na mão principalmente pelo fato de estar disputando uma libertadores, mas se o flamengo conseguisse trazer ele seria lindo ver a cara daquele presidente mequetrefe chorando novamente.
    Se não conseguisse para esse ano com certeza faria investida no começo de 2018..

  • Fácil, se Rueda não der certo, Jorginho, Diniz ou Roger, contrato curto até dezembro, melhor que o Jayminho ou Mozer inteirinos…monta um time mais travado, melhor marcação, chega de tomar tanto gol, joga só com 2 atacantes, 442 ou 352, se o técnico der certo até dezembro, faz outro contrato de 1 ano.
    Aqui é um grande país de merddddaa, uma nação de merrdaaa, tudo é imediatismo, tudo é para ontem..projetos de longo prazo é utopia!!

  • Flamengo pode ter qualquer técnico do Brasil. Não se priva só a esses poucos nomes não amigão. Ou acha que o clube não tem dinheiro pra pagar a multa? Simeone vem aii… kkk

  • Deixa o Jayme até o fim do ano. Estamos na Copa do Brasil, o Jayme já ganhou uma, vamos ver no que dá.

    Já vai acertando com um técnico bom pro ano que vem e dar continuidade pra ele.
    Fernando Diniz
    Claudio Tencati
    Roger Machado
    Jorginho

  • E começa os carniceiro atacar o Flamengo quando tudo tá ruim! Quem será o próximo a descer a lenha no mengao?

Comentários não são permitidos.