Coluna do Torcedor: “As finais são a nossa casa”

CBF informa que em 2018 Copa do Brasil não terá gol qualificado e muda data limite de inscrição

Mais uma decisão pela frente, e para nós torcedores rubro-negros não existe outro sentimento a não ser de estarmos em casa, mesmo jogando a partida fora do Rio. As decisões são a casa do Clube de Regatas do Flamengo.

O Flamengo já era um time muito popular no Rio, com grande torcida, quando se tornou um gigante do futebol mundial entre o fim da década de 70 e o início da década de 90, fechando um ciclo de uma geração de craques com o título do brasileiro de 1992.

Na “Era Zico” conquistamos 5 campeonatos brasileiros, uma copa do Brasil, uma libertadores e um mundial. São conquistas tão impressionantes, e tão expressivas que não tinha como o Flamengo não se tornar conhecido em todo o planeta Terra, ser o mais popular e temido do Brasil e das Américas.

O que aconteceu no futebol do Flamengo lá no final da década de 70 para tanto sucesso? Que projeto e planejamento foram esses, que transforam um clube em um fenômeno?

Conhecendo a história rubro-negra, podemos concluir que houve a junção de experiência em campo com craques como Rondinelli que comandaram os mais jovens que formavam uma base talentosa, da qual tinha Zico como personagem principal; em questão de estrutura de treinamento talvez não fôssemos o clube mais equipado, mas estávamos bem servidos com a Gávea; o Fla já era um clube inovador em questões de treinamento físico para os atletas se pensarmos no processo de fortalecimento muscular do Zico por exemplo, que transformou um garoto franzino propenso a lesões, em um super jogador, coisa que hoje vemos no nosso centro de excelência em performance; e claro não podemos esquecer do Maracanã, maior estádio do Brasil na época, e que apequenava qualquer adversário de fora do Rio de Janeiro; e claro a torcida do Flamengo! “A Magnética” sempre fez com que o clube e a camisa se tornassem gigantes em qualquer decisão.

Essa geração gloriosa capitaneada por Zico, deixou tudo pronto para que essa história de glórias continuasse. Em 1992 Zico já estava se tornando herói do Japão, quando Junior comandou o grupo campeão brasileiro. Junior tinha 38 anos. O seu papel naquela conquista foi passar o bastão, transmitir a mentalidade vencedora e campeã que fazia parte do futebol do Flamengo. Na era de ouro do Mengão, tivemos muitos jogadores que passaram pelo clube, porém quem chegava já incorporava essa mentalidade e jogava a vida em campo. Em 1992 a experiência de Junior, Gaúcho e Gilmar Rinaldi com craques da base como Djalminha, Marcelinho, Júnior Baiano, Paulo Nunes só pra citar os que fizeram carreira vitoriosa. Roteiro bem parecido com o final da década de 70, quando despontaram Zico e cia. Esses jogadores forjados para vencer, foram campeões em outros clubes, com destaque para Marcelinho que virou ídolo do Corinthians e Paulo Nunes no Grêmio.

Aí foi interrompido a sequência do ciclo do futebol glorioso do Flamengo.

A partir daí o Flamengo se perdeu em dívidas, má administrações, falta de estrutura e gestão. Nos mantivemos como clube popular pelas conquistas estaduais, pelas contratações de jogadores como Romário, principal responsável pelo tetra da seleção brasileira, por termos nos mantido na elite do futebol brasileiro e pela força de sua torcida que nunca abandonou o clube nos momentos difíceis. Assim ficamos defasados no futebol e tivemos que amargurar péssimos elencos com jogadores não identificados com o clube, quase queda pra série B e jejum de títulos nacionais.
De 1992 até 2006, muita coisa mudou no futebol. A valorização de campeonatos como Copa do Brasil e extinção da Copa Rio-São Paulo e Supercopa dos campeões, predomínio das equipes paulistas, e a CBF se revelando cada vez mais uma entidade de idoneidade duvidosa e corrupta.

Essa entidade usou o título de 1987 conquistado pelo Flamengo em jogo político que se arrastou por anos até chegar ao STF em 2017, que decidiu em favor do Sport. Pela falta de competência, mas mais ainda falta de ética, vontade e má fé, a maior responsável por essa confusão é a própria CBF, que criou o problema e deu as costas para ele sendo responsável por um processo esportivo em que ela deveria decidir, chegar ao Superior Tribunal Federal para lá julgar, perdendo tempo em tempos de corrupção extrema no país.

“Conquistamos o título dentro do campo, ninguém ganha título fora das quatro linhas. Flamengo é campeão, não queremos saber o que acontece nos bastidores. Buscamos em campo jogando contra as melhores equipes do futebol brasileiro. É o campeão e ponto final. Campanha maravilhosa, e tive oportunidade de jogar ao lado do meu grande ídolo, que foi e sempre será o Zico.”
Renato Gaúcho, bola de ouro e destaque no título de 1987

Ser o clube mais popular do país, tem o seu peso negativo também. Já faz tempo que o Flamengo tem que mudar o foco pra resolver questões políticas envolvendo CBF, FERJ, STJD pra citar algumas entidades que perseguem o clube. Muitas vezes temos a impressão que a arbitragem apita jogos do Flamengo com peso diferente.

A imprensa usa e tem usado cada vez mais o clube para criar sensacionalismo barato, porque dá repercussão e consequentemente audiência, vendas de jornais, visualizações em páginas e “likes”. Isso sempre foi normal, mas ultimamente está exagerado. A torcida do Flamengo precisa ficar atenta para não ser manipulada e virar massa de manobra para essas corporações ganharem dinheiro com notícias sensacionalistas. Elas vivem por tentar achar uma crise. A falta de ética da imprensa atual, é irresponsável a não ajuda em nada a evolução do nosso futebol, evolução da qual eles são os maiores interessados. Por Isso que uma eliminação na libertadores no “grupo da morte” seja tratada como “vexame”.

O Flamengo voltou a ser campeão nacional em 2006 com a Copa do Brasil, em 2009 com o título brasileiro depois de 17 anos, e em 2013 em mais uma Copa do Brasil, no início da gestão Bandeira de Mello.

Essa gestão tem trabalhado pelo resgate da imagem do Flamengo que foi destroçada em episódios de impeachment de presidente, fama de não pagar salários aos jogadores, clube que mais deve no país, casos como do goleiro Bruno.

É o resgate do orgulho rubro-negro porque nosso interesse é o futebol campeão.

Hoje, com boa administração, o clube tem dinheiro vindo ótimos patrocinadores, um dos melhores centros de treinamento, estádio provisório de pequeno porte, em estudos para viabilizar a construção de um estádio próprio além de ser o único do Rio capaz de assumir a administração do Maracanã.

E finalmente estamos centrados no futebol. Temos excelentes jogadores e outros nem tanto. Mas a filosofia de ter um futebol de excelência tem sido trabalhada dia a dia. O Flamengo está chegando novamente ao patamar que nunca deveria ter saído, que é o protagonismo no futebol e a final de quarta-feira representa isso.

Um título será de extrema importância para coroar todo esse trabalho que está sendo feito, mas a perda dele não significa o fracasso do projeto. Não caiam nas armadilhas da imprensa mal intencionada que dirá que é um “vexame”, “ano perdido” e etc.
Estamos recuperando o tempo perdido. A formula que nos trouxe glórias na década de 80, que foi perdida no início da década de 90, está retornando. Já recuperamos a parte financeira, a parte estrutural está excelente, temos bons jogadores. Falta as glórias esportivas. Falta o título do futebol.

Essa é daquelas finais que amamos. E o Flamengo merece. O Flamengo será campeão. O Flamengo irá conquistar seu 10º título nacional e voltará a disputar o título de melhor da América.

Não há mais o que olhar para trás: o Flamengo está voltando para ser um dos melhores do mundo.

Saudações Rubro-Negras!!!
Andre Prokofiev


Quer ver sua coluna aqui no site? Envie para o e-mail redacao@colunadoflamengo.com que avaliaremos ela


O conteúdo dessa “Coluna do Torcedor” pode não coincidir com o pensamento do Coluna do Flamengo. A responsabilidade é do autor.

Veja também

  • Foi um texto bom !
    Achei realista e gostei muito da parte que fala da midia pois realmente eh uma verdade,muita coisa eh mentira que soltam e se aproveitam do clube pois qualquer barulho no flamengo eh terremoto.
    Amanhã se o flamengo ganhar tem muita gente que vai elogiar ate mesmo jogadores que nunca jogaram nada e eram perseguidos,agora se perde sai da frente pois o mundo vai acabar e ninguem mais presta,diego eh um lixo o arao pipoca time sem vergonha.
    Uma ctz eu tenho amanha nao vou analisar o resultado mas vou ter prazer de ver o mengao jogar pois foi resgatado o orgulho de ser flamengo,vamos mengao com raça tras essa taça. ..

  • Mesmo sem titulos nenhum,protegendo jogadores fracos, tirando o povo do estádio, tendo várias derrotas pros rivais, e a menor media de público da história, eu ainda acho i Bandeira melhor presidente, hoje temos lampada nova e banheiro pintado.

    • Ganhamos uma copa do brasil mais que Kleber Leite, Patricia Amorin, Augusto Velloso, ganharam, e deixaram o clube fudido em dividas

Comentários não são permitidos.