A Bipolaridade nossa de cada dia

Fala coleguinhas de Coluna do Flamengo. A princípio havia planejado dar continuidade no tema iniciado na semana passada, mas outro tema chamou a atenção nos últimos dias. Aquela bipolaridade marota que acompanha a história da torcida do Flamengo.

Antes de mais nada quero fazer aqui uma distinção pertinente relembrada pelo meu amigo Valci Andrade, a patologia bipolaridade se dá quando a pessoa tem deficiência de Serotonina no organismo, o que gera mudanças abruptas de humor que vão da euforia à depressão. É um fenômeno orgânico sério, mas que já caiu no vocabulário popular e que pedimos licença ao usá-lo aqui no texto.

Já parou para observar as últimas rodadas e as reações da torcida do Flamengo? Vamos voltar só um pouquinho no tempo para ajudar a pintar este quadro? Sigue la pelota.

No dia 12/10, jogamos contra o Fluminense e empatamos depois de ter saído atrás. Ficamos pressionados porque nas próximas semanas jogaríamos contra eles o mata-mata pela Sul-Americana. Aí fomos à Chapecó e ganhar da Chapecoense não afastou esta pressão que só foi minimizada com a goleada sobre o Bahia no dia 19. Aí o time teve personalidade, pelo que diziam. Jogou mal, mas teve vontade, diziam outros.

Seguindo nosso carrossel de emoções jogamos, contra o São Paulo em que pese o gol de mão e falha clamorosa da defesa nos gols, advinha a consequência? “Time sem vergonha” e “ainda bem que já fez 46 pontos”. A vitória pelo placar mínimo dos tricolores deu um pouco de paz temporária aos jogadores até o empate contra o Vasco que novamente a ameaçou. Então foi selada no empate e classificação contra o Fluminense, onde “com raça podemos até ameaçar o Corinthians” “engrenou”! Vivemos felizes para sempre? Claro que não!

No jogo seguinte perdemos para o Grêmio fora e viramos “vexame” “time banana”, ganhamos o Cruzeiro e apareceu a “raça”, jogamos contra o Palmeiras, que vinha de protestos e, porque perdemos, virou bastião das vitórias a cobrança no CT, que não deu resultado, sabemos. Fomos derrotados por Coritiba e as hashtags “#vem2018″e agora viraríamos candidatos a tudo se a raça mostrada na goleada contra o Corinthians virasse regra de agora em diante e tivesse mais rodadas. Menos, né?

Galera, calma! Eu sei que 2017 é decepcionante, mas não dá para ficar mudando a cada resultado. Alguns jornalistas falam dessa bipolaridade até com razão, pois nas vitórias é “rumo a Tóquio” e nas derrotas “rumo a série B”. Pera lá! Parece até o chilique do Neto na televisão. O que quer dizer? Que se preocupa mais com a zoação dos amigos na rua, do que com o time mesmo?

Aliás, o reflexo disso pode ser visto no estádio, que tem uma capacidade irrisória e ainda assim não enche. E não é o preço não! O preço já está baixo há seis rodadas. Lógico que a semifinal de amanhã não entra no pacote, mas compare com as semifinais de outros campeonatos! É uma prática subir o preço nestes momentos. “Eu prometo que no pior momento, vou estar contigo até o final”. Desculpe! Parece só palavras dispostas lado à lado numa bandeira qualquer.

Mas lógico. Você que está lendo pode ser esse torcedor a quem não me refiro no texto. Aquele que não vai só com os resultados, que está com o time sempre que pode, que tá pouco se lixando para o que os pseudo-rivais bradam pelas ruas. À você, parabéns!

Alea Iacta Est!

Anderson Alves, O otimista.

Veja também

  • É mesmo? E a bipolaridade do time não entra na equação? Ano passado em condições muito mais adversa o time brigou para ser campeão, repito, ser campeão. Esse ano na metade do primeiro turno, o time já havia desistido do campeonato, veja se há bipolaridade na Sulamericana, ou se houve na copa do Brasil.
    O problema está no brasileiro, aonde o time se arrastar a olhos nu, parecendo rezar para que acabe logo por ser um verdadeiro “FARDO”, a torcida não tem culpa se o time perdeu o preparo psicológico, técnico, tático… porque saiu na fase de grupos da libertadores, sucumbiu emocionalmente. É a torcida que prepara o time?

    • “(…) a torcida não tem culpa se o time perdeu o preparo psicológico, técnico, tático” — Pelo contrário: a torcida é a PRINCIPAL culpada por isso!!! &;-D

      • Como assim? Todos os vexames do Flamengo esse ano foram fora do Rio, quem vendeu ilusões no início do ano foi a direção do clube, quem se acomodou com Carioca por não conseguir dar aquilo que prometeu a torcida, foi a direção e os jogadores.
        Se não me engano, foi o Diego declarou dia desses, que o grupo ainda lamenta a eliminação da libertadores, com uma mente de gelatina dessa, é claro que não daria certo em uma competição de regularidade de pontos corridos, como o brasileiro, só aguenta competição de tiro curto.
        Por isso, discordo de a culpa do insucesso no brasileiro ser da “BIPOLARIDADE” da torcida, respeitando opinião contrária.

      • kkkkkkkkkkkkkkkkk a torcida é culpada ? kkkkkkkkkkkkkkkk. Meu Filho, a torcida do Flamengo fez a parte dela o ano todo. Lotaram os jogos importantes e os que não era tbm, depois foi caindo pq da falta de vontade de os jogadores não querem ganhar os campeonatos.

        • Exato, o rapaz deve estar em Marte e, nem ele mesmo sabe disso. Coisa de louco.

  • Perfeito o texto. Essa bipolaridade encheu o saco já. Só atrapalha.

    • O comodismo encheu mais ainda.

  • Falou tudo! Nossa torcida ta abandonando o time na hora que ele mais precisa!

    • Na comparação com outros anos, os ingressos em finais não subiram. Postei os preços hoje no twitter. TMJ, Henrique

Comentários não são permitidos.