GE: “Choque de culturas: o que Rueda quer e o que atletas entendem no Flamengo”

Anunciado pelo Flamengo no dia 14 de agosto, Reinaldo Rueda tem 24 jogos, com nove vitórias, nove empates e seis derrotas. A classificação no mata-mata contra o Botafogo em poucos dias de trabalho, as mudanças pontuais (a principal delas foi a condição de titular absoluto do compatriota Cuéllar) e o apoio da torcida fizeram parte do início do casamento do colombiano com o clube. Sem perder a moral com os torcedores, a queda de rendimento do time recente trouxe questionamentos internos ao Rubro-Negro.

Rueda conversa com Vinicius antes de substituição: treinador tem aproveitamento de pouco mais de 40% no comando do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza)

Rueda conversa com Vinicius antes de substituição: treinador tem aproveitamento de pouco mais de 40% no comando do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza)

Com currículo invejável, o treinador colombiano de duas Copas do Mundo e de 60 anos, atual campeão da Libertadores com o Atlético Nacional, sente a adaptação ao futebol brasileiro. Alguns formatos de treinamentos e constantes mudanças nas escalações geram comentários de insatisfação em alguns jogadores do elenco rubro-negro – reações publicadas anteriormente pelo comentarista Mauro Cezar Pereira, da ESPN.

Nas últimas semanas, o GloboEsporte.com buscou informações e ouviu relatos diversos sobre o dia a dia de trabalho com o experiente “profe” colombiano. O objetivo: entender o que é feito sem a presença das câmeras (os treinos são fechados) e, também, a quantas anda a reação do elenco ao treinador.

Os relatos são retrato da impressão causada pelo trabalho de Rueda num ambiente pouco afeito a novidades, que é o dos boleiros. Há um choque de métodos e a consequente reação de atletas, apesar do respeito pelo treinador no dia a dia.

Preferência por campo aberto

Com três meses de trabalho e pequeno intervalo entre um jogo e outro, Rueda opta por treinos de campo aberto, semelhantes a coletivos. Quase não pratica atividades em campo reduzido, como hoje é comum no futebol brasileiro. O colombiano também costuma trabalhar bastante jogada de bola parada, mas os efeitos em campo não têm sido satisfatórios.

Ainda segundo pessoas ouvidas pelo GloboEsporte.com, há escassez de treinos táticos e específicos nas atividades comandadas pelo treinador colombiano. Nas últimas partidas, principalmente nas derrotas para Palmeiras e Curitiba, o Flamengo teve muitas dificuldades para criar jogadas e optou por bolas alçadas na área adversária – uma crítica que era muito comum nos tempos de Zé Ricardo.

A explicação para o modelo de treino de Rueda é que o colombiano busca reproduzir conceitos que o levaram a ser vencedor no Atlético Nacional. O treinador divide o campo em três fatias. Com faixas brancas, setoriza defesa, meio de campo e ataque.

No fim da noite de sábado, a reportagem recebeu do Flamengo o seguinte:

“A maioria dos treinamentos do Rueda trabalha a parte tática, tanto na antevéspera, quanto na véspera dos jogos. Mesmo quando usa o campo todo, demarca os setores com fitas para organizar e ajustar o posicionamento de ataque, meio e defesa. Nos treinos realizados em campo reduzido, prioriza a ocupação dos espaços, a posse de bola e a agilidade para criar jogadas. Suas equipes sempre se caracterizaram pela organização defensiva e saída inteligente para o ataque.

Este tipo de questionamento é “muito pouco” para um treinador que já conquistou tudo que conquistou, com destaque para duas classificações e disputas de Copas do Mundo (2010 com Honduras, e 2014, Equador); colombiano que mais disputou mundiais (cinco, somando seleções principais, de base e clube); indicado a melhor técnico do ano em 2016; campeão de títulos nacionais e internacionais, incluindo a Libertadores de 2016″, enumerou o Flamengo.”

Rueda e Redin conversam no treino do Flamengo: dupla tenta levar conceitos que praticavam no Atlético Nacional (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Rueda e Redin conversam no treino do Flamengo: dupla tenta levar conceitos que praticavam no Atlético Nacional (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Durante as atividades, Rueda mais observa do que fala com os atletas. Ele prefere anotar num caderno suas observações e conversar antes e depois das sessões de treinamento com o grupo todo. Pede que a última linha de ataque ou defesa seja sempre agressiva para entrar na área ou retomar a bola.

Mexidas no dia de jogos

Antes do Fla-Flu do Brasileiro (1 a 1, de outubro), o treinador colocara em campo na maioria dos treinos anteriores ao clássico Trauco, Willian Arão e Felipe Vizeu. No dia da partida, escalou Pará na esquerda, Rômulo, depois de longo tempo sem atuar, e Lucas Paquetá no ataque, o que causou incômodo e estranheza no grupo.

Rueda tem por rotina avisar aos atletas a equipe no dia das partidas, para ter efeito de deixar o elenco inteiro ligado e pronto para o jogo. É um método de trabalho, que visa testar uma ou duas alterações nos dias de treinos para observar como se comporta um eventual reserva entre os titulares. Mas as alterações de véspera hoje em dia são mais raras.

No fim da noite de sábado, a reportagem recebeu do Flamengo o seguinte:

“Todas as formações são amplamente treinadas com opções para o decorrer da partida, deixando que todos os jogadores estejam preparados para performar da melhor maneira. Além disso, o treinador realiza duas palestras técnicas, sendo uma na véspera, e outra no dia do jogo, com instruções voltadas para a partida. Após as duas reuniões, os atletas que irão para o jogo recebem informações individuais , com possíveis ações dos adversários e o que nosso time deve fazer durante os 90 minutos.”

Rômulo cabeceia no treino de fundamentos: contra o Fluminense, no Brasileiro, ele foi a surpresa de Rueda (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo.com.br)

Rômulo cabeceia no treino de fundamentos: contra o Fluminense, no Brasileiro, ele foi a surpresa de Rueda (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo.com.br)

Diferença na preparação física

Como chegou em meio à temporada, com Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana a todo vapor, Reinaldo Rueda encontrou um elenco sobrecarregado de jogos e viagens. Como de costume quando há troca de comando em um clube, houve mudanças na preparação física dos atletas.

E, também, segundo as informações colhidas pelo GloboEsporte.com, houve a sensação de sobrecarga no trabalho do preparador Carlos Eduardo Velasco, compatriota de Reinaldo Rueda. Jogadores se sentiram mais desgastados após treinamentos.

Logo na primeira semana de Rueda, Willian Arão chegou a comentar, em coletiva de imprensa que “não estava acostumado com esse tipo de cobrança, esse tipo de intensidade”. A principal mudança é de que há um aquecimento mais prolongado que é feito por Velasco depois da primeira parte das atividades na academia do clube.

No fim da noite de sábado, a reportagem recebeu do Flamengo o seguinte:

“Cada comissão técnica tem um estilo de trabalhar. As mudanças em relação ao método anterior são mínimas, mas sempre adaptadas à filosofia definida pelo Centro de Excelência e Performance do Flamengo, o que vem sendo aperfeiçoado no dia a dia.

Em 2016, o CEP Fla virou referência na prevenção e recuperação de lesões. Este ano, ocorreram alguns exemplos, como Guerrero e Willian Arão, que realizaram trabalhos específicos de recuperação voltados para jogos da Copa do Brasil, entraram e corresponderam; e atualmente o Réver, que iniciou a fase 5 da recuperação. Dentre todas as atribuições, cabe ao CEP Fla repassar as informações de desgaste de cada atleta, por isso muitos são retirados de treino ou jogo para evitar lesões e poderem se recuperar 100%.”

Velasco trouxe outra metodologia na preparação física, com mais atividades antes dos treinamentos. Alguns jogadores sentiram o desgaste (Foto: Fred Gomes)
Velasco trouxe outra metodologia na preparação física, com mais atividades antes dos treinamentos. Alguns jogadores sentiram o desgaste (Foto: Fred Gomes)
Discurso conquista torcedor e diretoria

Abatido após a derrota em Curitiba, Rueda parece desgastado com o rumo do time às vésperas das partidas da Sul-Americana. Depois da derrota por 1 a 0 para o Coritiba, quinta-feira, o técnico disse que “não tinha palavras para explicar” a atuação muito abaixo da média do Flamengo. Foi a primeira reação que não foi encarada como positiva na frente dos microfones.

De maneira geral, nas entrevistas coletivas o treinador agrada em cheio, tanto a torcedores quanto à diretoria. Sentem no treinador a indignação para ganhar as partidas e de cobrança que faltava ao antecessor Zé Ricardo. Era comum ver o atual treinador do Vasco elogiando as partidas do Flamengo em derrota e empates.

Rueda é mais enfático e enérgico nos insucessos, fazendo cobranças duras dentro do vestiário e depois as transmitindo nos microfones.

Fonte: globoesporte.com

Veja também

  • Sou mais ele do que o Zé panela. Internacionaliza a marca, sabe falar uma lingua que é quase um portunhol (diferente dos outros que passaram por aqui) e tem bons conhecimentos de futebol e de gestão de pessoas.

  • Rueda não sabe nada sobre time do flamengo,nada sobre o futebol.brasileiro escala mal 3 meses não acertou 1 substituição,escala muito mal continua com.essa maldição entra m.araujo,sai m.Araújo ……Rueda vai tomano cu ,burroooooo

  • Vixe, vim ler essa notícia pra entender pq que esses caras não jogam nada e consegui: eles querem derrubar o treinador e voltar vovô Jayme pro comando.
    Teve uma notícia que dava cabo de elogios de jogador ao Zé Ricardo. Mais uma prova de que temos um elenco extremamente vagabundo.
    Enquanto os panelas estão morrendo em campo, vejam Paquetá, VJr e Cuellar. Juan jogando com raça e disposição de um garoto.
    Diego está fazendo corpo mole, assim como MA, Vaz, Pará, Everton, Arão então…desde a primeira semana já falou mal da preparação física. Geovanio querendo cantar de galo assim como Rômulo. Na boa, se isso não é motim, não sei o que é.
    Desmancha esse elenco e deixa o Rueda montar outro. Aí sim vamos poder cobrar.

    • Excelente e coerente seu comentário.

  • Rueda tem errado bastante nas substituições, mas a culpa não é toda sua. Ele apenas está usando as merd@s que herdou dessa diretoria fraca de futebol.

    • Trabalhar com quem não gosta e não corresponde é duro. E pior, o Rueda tem que digerir o elenco que Ze Guardiola montou e fazer mágica, pq milagre é difícil.

  • Se for verdade,quem está certo é o rueda,e não os jogadores,pois o treinador tem que aplicar o método e o estilo de treinamento que gosta e aprendeu,cabe aos jogadores se encaixarem nele,e se não estão satisfeitos,que caiam fora,flamengo não é lugar de jogador preguiçoso!

    • Belas palavras irmão. A diretoria tem que cuidar das finanças e dar carta branca para demissão/empréstimos e contratações ao Rueda. Jogadores acomodados e sem compromisso tem que ralar peito mesmo. Que vá jogar em time pequeno ou na série B.

  • “Choque de culturas”?

    Espera um pouco:

    01- Guerrero.
    02- Diego Ribas.
    03- Diego Alves.
    04- Juan
    05- Rodolpho
    06- Cuellar.
    07- Trauco.
    08- Éverton Cardoso.
    09- Éverton Ribeiro.
    10- Mancuello.
    11- Conca.
    12- Réver.
    13- Geuvânio.
    14- Rômulo.
    15- Berrio.

    É sério?!

    Um monte de pai de família vivendo num mundão globalizado. Alguns estrangeiros, outros com alguma experiência internacional e uma parte com mais tempo no exterior do que aqui e ainda vem com esse papinho de…”choque de culturas”.

    Alô! Alô!
    Jornalismo da Grobo será isso mesmo?!

    • James, o cara chegou querendo fazer o bonde( que agora ja e um onibus) da Stella trabalhar duro. E eles so querem jogar!

    • Por mais que os caras tenham bagagem internacional, a cultura do futebol brasileiro influencia muito na rotina dos jogadores quando eles retornam. Porque por mais que os caras tenham essa “bagagem internacional”, o convívio e ambiente encontrado é determinante no dia a dia de trabalho.

      • Sim… Concordo, mas até mesmo no Brasil existe essa “pluralidade” as quais eles se adaptam. Vi técnico, dirigente, Jogador…todos comentarem.E por isso são profissionais com um ótimo salário e estrutura.

    • Deve estar falando da panela apenas. De jogadores de “cultura protecionista”, da fila que teima em não andar, de pregar que não pode “sentar na janela” quem chega depois, do ostracismo aos estrangeiros… O que importa é “seniority” e não mérito, assim a panela tem sempre lugar no time titular. Essa é a “cultura” desse Fla, ou seja, o mesmo “work ethics” de estatais, e não há técnico que dê jeito!

  • Por essas e outras que nas olimpíadas brasileiro só ganha medalha de ferro, atletas acomodados que ficam de mimimi por uma simples rotina de treinos.

    E por isso também treinador europeu prefere argentino a brasileiro, os caras são chatos, nojentos, mas respeitam muito os clubes e a torcida, não reclamam de treino duro e são taticamente obedientes. Já brasileiro é muito folgado, acha que é melhor que os outros, que pode fazer o que quer em campo e que vai ganhar tudo no grito.

    Essa perebada toda tem que vazar do clube.

    • Olha… sem querer ser chato mas conheci alguns atletas olímpicos e a realidade dos caras anda longe…muito longe do que você comentou. Vi caras ainda na fase juvenil fazer bingo para comprar passagens de avião, outros também na mesma faixa de idade venderem bombons para comprarem os kimonos.

      Em relação aos profissionais presenciei alguns desistirem pois precisavam colocar comida em casa…e isso após já serem profissionais! Outros conseguiram emprego na iniciativa privada ou passaram para concurso público e ficou absolutamente inviável. Alguns até tiveram um breve patrocínio mas após não conseguirem um título foram ignorados…

      Enfim…a lista de exemplos é imensa e não há porque continuar de mimimi, mas sugiro a você se informar melhor. A vida de atleta olímpico no Brasil é em geral um total suplício.

      • Poucos

      • Concordo. Acho que os únicos atletas brasileiros mimados são os do futebol. E por sinal os mais mal formados tbm, porque no Brasil pra ser atleta olímpico e ganhar bolsa tem que ser militar, estar em uma universidade muitas vezes.
        O menor salário no time principal do Flamengo deve ser 50 mil líquido. Na Olimpíadas vimos atletas militares que ganham 6 mil/mês.
        Dizer que não ganhamos medalhas decentes em olimpíadas por preguiça dos atletas é muita sacanagem num país que nem centro de treinamento para muitos esportes tem.
        Os esportes coletivos tem estrutura (basquete, vôlei, futebol, handebol), embora que no basquete, handebol e futebol feminino o atleta tenha que sair pra se sustentar. Os demais esportes vendem o café da manhã pra comprar o almoço.
        Jogador de futebol é o famoso jumento milionário!

        • Você fala os atletas de série A,né? Até porque nem 5% dos jogadores ganham mais de 100 mil por mês. A grande maioria jogam em times minúsculos, ganham pouco mais de 2/3 salários mínimos e muitas vezes possuem outras ocupações pra complementar o sustento deles e de suas famílias. O que mais tem aqui no DF são jogadores de Brasiliense, Gama, Brasília, Legião…trabalhando de pedreiros, motoristas de ônibus e outras funções pra sobreviver.

          • Sim, devia ter eximindo 90 e poucos porcento dos do futebol. É que a paixão pelo Flamengo me cega às vezes.

          • Sem problemas, cara. Essas coisas acontecem até com os flamenguistas mais sensatos.

        • Boa!!!

          Uma parte desses atletas militares correram para essa instituição em busca de condições mínimas de vida (sim, isso mesmo!) e, acho, de uma suposta “bolsa atleta”.

    • Se todas as modalidades olímpicas tivessem estrutura nível série A, nós seríamos uma potência olímpica, provavelmente.
      Vc não tem idéia do que está falando.

  • Pra mim tudo se resume a mudanca do treinamento fisico.

    Jogafor brasileiro e preguicoso.

  • Engraçado q quando esses jogadores jogam lá fora,eles fazem de tudo pra se adaptar,quando é aqui ficam de corpo mole,por isso q eu acho q a diretoria têm q dar apoio ao treinador,quem não quiser q vaza.

  • Os jogadores ganham mensalmente um salário que o brasileiro médio nunca ganhará numa década! E ainda sim parte desse grupo fica de corpo mole. Se tiver uma barca nesse ano, provavelmente será formada tanto por jogadores que não possuem mais condições de vestir a camisa do Flamengo e outros que demonstram não estarem afim. Se não ganhar a Sula e ficar fora da Libertadores, a pressão na Gávea será sem precedentes (caso contrário irão maquiar situação).

  • O mais louco é que se o flamengo for campeão da sul-americana e o grêmio não for da libertadores, o flamengo vai ser a segunda melhor equipe brasileira em 2017.

  • To sentindo a força da preguiça do elenco, os caras não querem trabalhar e querem rótulos. Desejam saber quem é titular e quem é reserva pra poder relaxar. Acho muito boa a metodologia de não ter titulares definidos, isso pode mudar de um jogo para o outro dependendo das características do adversário e do tipo de confronto.
    Espero que a barca realmente saia e gostaria de ver a diretoria dar umas duras e até afastar esses jogadores que não estão colaborando…

    • Exatamente, o cara sabe de antemão que não irá jogar e vai pra noitada no dia anterior, e simplesmente não se esforça nos treinos.

  • Mim ser Ednei. Mim ser puxa-saco e não entender de futebol.

    • HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAA

    • Kkkkkk que isso o cara é fera.

    • Esse cara deve ser pago por alguém da diretoria pra ficar aqui elogiando pereba e dizendo que o trabalho é bom, que nem o ídolo banana dele.

      • Ednei P. de Melo, EPM, é parente do EBM. Ou o próprio disfarçado, o que explicaria muita coisa.

    • Kkkkk,boa!

    • Tinha que ter uma escala semanal. Cada dia um zoa, senão todo mundo zoa no mesmo dia.

      Tem que planejar isso aí. A demanda é grande.

      • Isso kkkkkkkk

  • 1. Fim de treinamento em campo REDUZIDO
    2. Nova preparação física forte
    3. Rodagem do elenco e sem time titular.

    Isso tudo força que os reservas também estejam em alto nível. Pará, Arão, MA, Gabriel, Mancuello, Conca ñ gostaram disso.

  • Engrenagem nova, leva um tempinho para ajustar os processos. Boas explicações do Flamengo, há uma nova filosofia de trabalho. Mas tem que ter feedback dos jogadores também. Trocas em dia de jogo acaba confundindo, melhor treinar os 11 titulares, entrosar o time primeiro!

  • O problema maior na imprensa esportiva brasileira é que exigem trabalhos e planejamentos a longo prazo, mas só fazem avaliações de curto prazo. Se você olhar mais atrás não é a primeira vez que isso ocorre no Flamengo. Osvaldo de Oliveira foi derrubado pelo mesmo grupo de jogadores, que tiveram uma queda drástica de rendimento do nada. Ai veio Muricy colocou todo mundo na reserva e abriu as portas do clube para quem quisesse sair. Mas como a imprensa caiu em cima porque queria resultados em três meses, apesar de no discurso exigirem longo prazo… Logo que o Zé entrou voltou com os caras para a condição de titulares absolutos. Lembro do Pará reclamando do Muricy logo após a saída dele. Já era para ter feito mais trocas no elenco a muito tempo. Zé atrasou essa mudança e agora o Ruanda é refém desse grupo que não joga metade do pensa e assumiram uma importância inescapável no clube.

    • Muito boa analise Tude Lima, abriu minha para algumas reflexões, principalmente em relação ao Muricy. Lembro dessa entrevista do Pará.

  • Afasta os “come e dorme”!!!

    Tão com medo de processinho por “constrangimento”, “impossibilidade de exercer a profissão” blá, blá, blá…?

    É medo do Fla aumentar a fama de queimador de jogadores?

    Besteira…A tal ortodoxia não funcionou nestes 04 anos e não será agora com o próximo ano aí dando as caras. Lembrando que após o episódio do “bonde da Stella” imaginou-se ser a reprimenda um momento histórico, no qual o Fla acabava com sua triste sina de subserviência a jogador mau caráter.

    Acabou não!!!

    Os atuais podem não estar em orgias durante a preparação (o que fazem nos dias de folga é problema deles, embora…) mas cometem algo tão danoso quanto.

  • Deixe-me ver se entendi:
    1a) Se ganha com Zé Ricardo, foi graças ao talento individual dos jogadores que decidiram as partidas;
    1b) Se perde com o Zé Ricardo, a culpa é dele e do M. Araújo (mesmo o ataque perdendo um caminhão de gols);
    2a) Se ganha com o Rueda, o técnico arrumou o time e agora temos uma cabeça pensante ao invés do estagiário;
    2b) Se perde com o Rueda, o time está de manha e má-vontade com o novo treinador.
    E vida que segue… &;-D

    • Você é um brincalhão

      • A idéia é essa… &;-D

    • É a primeira vez que vejo um torcedor fanático da diretoria e Zé Ricardo. Tem umas viúvas e torcedor, mas fanático só vi você.

    • assim mesmo. Ruedetes tão a todo vapor. Vão virar viúvas este ano ainda

      • Espero que não. Torço pelo Rueda! &;-D

    • Boa, amigo. Parte da torcida que não quer aceitar o erro de ter pedido um técnico estrangeiro ataca o comentarista. Aí o termo ricardete virou moda. Não aceitam que estavam enganados em defender a saída dele. A questão é da diretoria agora. Querem manter Rueda? Vão ter que mudar parte do time. Isso só em 2018. Mas, será que essa mesma torcida que defendeu a troca vai suportar resultados ruins no começo do trabalho? A diretoria vai suportar a pressão?Enquanto isso, 2017 vai pro saco.

      • Ricardetes já existe desde março, então sua teoria ruiu. Eu não pedi Rueda, mas com certeza pedi pro Zé Ricardo não ser efetivado depois da queda vertiginosa de rendimento no final de outubro de 2016 e as escalações de MA e Vaz ( você tem coragem de dizer que Cuellar e Juan não são melhores?).
        Um brasileiro poderia dar errado por ser final de temporada. Diretoria errou muito, poderia ter deixado o Jayme de tampa buraco ou um da base. Trazer Rueda pra 2018. Agora já foi, tá na hora de esquecer Zé Ricardo e pensar num 2018 de mais qualidade. 2017 já era!

        • Prezado, nem discuto. Os resultados do BR estão aí. Dos 6 primeiros colocados, 4 não trocaram técnico. Carille, Cuca, Tite, Marcelo Oliveira: os últimos cinco títulos de Brasileirão de times que não trocaram técnico. Dos 4 apenas Tite e Cuca podem ser considerados acima da média. Portanto a questão de que um técnico bom é responsável direto pelos títulos nem sempre é verdadeira. Talvez a mais importante questão seja estabilidade, mesmo quando há queda de rendimento. Corinthians, Palmeiras e Cruzeiro tiveram instabilidade durante o período que foram treinados pelos técnicos citados acima, porém mantiveram a rota. E o que veio depois já é história. Sobre o termo ricardete, não tenho teoria: acho uma idiotice mesmo.

      • “Parte da torcida que não quer aceitar o erro de ter pedido um técnico estrangeiro ataca o comentarista.” — Mais simples e direto que isso, impossível! &;-D

    • Quanta besteira cara,não dá pra levar a sério o que você fala!

      • E no entanto, perde tempo em comentar… &;-D

    • Então explica por favor as diferenças de curriculo entre ZR e Rueda. Quase a mesma coisa né?

      • Um deles praticamente começou a carreira no ano passado… &;-D

    • Como você disse no final, vida que segue, esquece o Zé cara hehe

      • Disse bem: mas espero que em um futuro não muito distante, ele retorne… &;-D

  • Agora parace q ninguém pensou nas consequências de trazer um treinador estrangeiro no meio do ano. A cobrança em cima dele só será sustentável em 2018. Infelizmente, por enquanto, temos q torcer p time jogar bola e ganhar essa vaga na liberta usando o sangue… se tiverem algum.

  • Não gostam do tecnico ai ja começam com corpo mole, jogador brasileiro é cheio de mimimi, mimado pra cacete.

    É natural um estranhamento com um tecnico de fora, mas os jogadores tem que fazer a parte deles e ao menos se esforçar. Hoje os unicos que demonstram vontade são cuellar e paqueta, e o paqueta é um menino esses marmanjos deviam ta com vergonha.

    • Vergonha?jogadores mal caráter como Wiliam arão, Pará e Vaz não sentem vergonha de nada não,só porrada resolve!!

  • Só fica “decepcionado”, quem vem com vontade de vencer. Me lembro do entusiasmo dele na apresentação. O problema são os jogadores, que não aceitaram a saída do amador e ficam nitidamente de má vontade. A modernidade, o novo incomoda só quem não quer colaborar. Rueda tem muita qualidade, não é com ele o problema a meu ver. Usar um time mais aberto já deu certo em outras partidas, hora se fosse esse o problema…jogar com três linhas, me lembro de ver isso no Boca e dá muito certo e aqui mesmo em clubes no Brasil, mas só no Flamengo não dá certo? A diferença é que no Flamengo os jogadores não se aplicam como deveriam. Os caras ficam parados tocando de um lado para o outro (como era com o ex também). Rueda cansou de falar em “intensidade”, para um bom entendedor pingo é letra. Um time, que tem nomes como: Diego Ribas, Diego Alves, Everton Ribeiro, Guerrero…rodados e experientes, não pode vir com desculpas esfarrapadas. Os garotos quando entram é com vontade como Paquetá (esquecido pelo ex-treinador) e que vem fazendo boas partidas, Vinicius Jr vem entrando (queria até ver mais). Eu não vejo o que tem de errado no esquema…sim as escolhas como: MA não dá, mas a proposta é basicamente o que se fazia com o ex-treinador. Um ponta veloz, um time rápido no contra ataque… o problema são esses jogadores sem DNA Rubro-negro. e uma gestão fraca no futebol. Só isso. VERGONHA UM TIME COMO O DO FLA ESTAR EM 7º NO BRASILEIRO. NÃO DÁ.

    • Perfeitamente.

    • O elenco não é tão bom como foi alardeado. Você citou os jogadores de mais qualidade, mas a lista dos que não tem nível pra jogar no Flamengo é bem maior. O que poderia fazer a diferença seria ter um time organizado, mas poucas vezes se viu isso esse ano.

  • “Ain, ganho mais de 200 mil de reais por mes, mas os treinos sao muito puxados…”
    Porra ne mermao… esses caras tao de sacanagem? Levam uma vida de rei e ainda fazem corpo mole? Tao reclamando vao bater massa e levantar parede pra ver se eles nao ficam com saudades dos treinos em dois tempos… bando de Ze Ruela!

  • Bora golear hoje, 1#0.
    Tmj.
    SRN

    • Do jeito que esse time anda derrotado, o Curintcha ainda de ressaca pelo campeonato ganha facin facin

  • Time de garotos criados por avós.
    Muito mimados. Deveriam começar o treino levando dez chineladas para parar de manha.

  • O adversário entra apertando esse time de mulas e eles entregam. A insistência na escalação de jogadores que pouco podem entregar como Márcio Araújo, Pará, Renê, Vaz entre outras asneiras fez com que o time se perdesse ainda mais. A falta de vontade dos jogadores é notória, os chutes de fora da área uma raridade.

  • Quem refresca ku de pato é lagoa. Quem ficar de corpo mole, manda pra Lagoa brincar de pedalinho com a papelada da recisão.

  • Dia desses na ESPN mostrou o gol do Palmeiras, onde o Moisés passa do Meio campo com a bola, e o jogador de marcação mais próximo, está a mais de 9 metros de distância, deixando o cara a vontade pra lançar a bola nas costas da defesa. O jornalista questionou se alguém acha que o Rueda pede pro time fazer essa marcação frouxa.

  • Moral da história. O estilo do Rueda serviria pra ir comandar o Botafogo , que é o time que se retranca pra jogar nos contra ataques e não o Flamengo que tem a posse de bola e busca sempre o ataque , daí quando ele pega um time que joga no estilo dele o time fica perdido jogando bola pra dentro da área.

    • No Atlético Nacional ele só jogou na retranca, quando foi campeão da Libertadores?

      • Ele sempre jogou no estilo do Botafogo , se retranca e saia nos contra ataques

        • Eu percebi a retranca quando ele ganhou do São Paulo no Morumbi, com o toque de bola

          • Eu tive o prazer de ver aquele jogo. Acho que pra alguns torcedores que chamam Rueda de retranqueiro, vale a pena procurar VT. Engoliu o São Paulo com uma aplicação tática e toque de bola refinado.

    • Jogar fechado não quer dizer necessariamente uma retranca. Pessoalmente, gosto de times que focam na marcação e buscam as oportunidades para fazer 1×0 e administrar resultados. Ganhamos um monte de partidas assim no BR-2016 com o Zé Ricardo. O problema é que sob o ponto de vista da mídia e do torcedor, eles vêm esta metodologia como “covarde e não faz jus à tradição do clube em dominar e jogar para frente para praticar um futebol bonito”. Resultado: o Zé Ricardo “tentou” implantar esta filosofia, acabamos expondo nossas fragilidades defensivas e por fim, passamos a empatar/perder mais jogos se comparado o ano passado, no qual “vendíamos caro as derrotas”!

      E o mais interessante: enquanto que no ano passado tivemos um dos ataques menos positivo da competição, esse ano lideramos no quesito de time que mais fez gol no ano! No entanto… Diferente do Flamengo, o Botafogo não tem essas manias de grandeza e o Jair Ventura teve mais tranquilidade de manter o bom trabalho que vinha fazendo. Eis o resultado: sem ser brilhante, o time de General Severiano vence e convence!

      Por isso, digo: GRANDE PARTE DA MÁ CAMPANHA DO TIME É JUSTAMENTE POR CAUSA DAS EXPECTATIVAS E COBRANÇAS DOS TORCEDORES!!! &;-D

      • Chega pra um torcedor do Botafogo e fala assim:

        “SEU TIME VENCE E CONVENCE!”

        Ele vai por fogo na sua cara. Sem trocadilhos, claro.

    • Você não sabe nada

  • Os incômodos dos jogadores são o treino pesado e a cobrança dura pelas derrotas mas o incomodo está longe de ser a derrota.
    Não precisa nem mais comentar

  • Tirem suas conclusões….

  • Nitidamente está havendo um boicote por parte de jogadores que gostavam de mandar no time na época do Zé Ricardo, lembro que até para fazer uma substituição o Zé Ricardo ia conversar com jogador, dando a falsa impressão de que eles é quem manda em alguma coisa, e hoje com um treinador de verdade, eles querem derrubar para voltar a querer mandar no time, minha esperança de que isso não aconteça e que metade desse elenco va embora

    • Concordo com vc mano!!

    • Justamente amigo, o negocio é mandar esses falsos profissionais embora, deixar o rueda montar o time com profissionais de verdade. Esses come e dormi tem que está longe do mengão

      • Verdade

    • Eita… é tão difícil assim aceitar que o problema NÃO ERA O TÉCNICO? &;-D

      • Eita… É tão difícil tu acordar e cobrar esses jogadores que só querem conforto e A DIRETORIA que passa a mão na cabeça deles?

        • E é tão difícil assim apoiar e deixar as cobranças para o final da temporada? &;-D

          • Sim. Por que eu iria cobrar no final do ano se eles fazem corpo mole desde o começo? Irei cobrar resultados que eles podem dar agora. Apoiar o time eu apoio durante o jogo, depois do jogo se jogou mal eu vou cair em cima mesmo pra esses jogadores tomarem vergonha na cara e souberem o que é Flamengo.

      • Menos cara, preciso falar mesmo?
        De todo o trabalho ruim que ele fez

    • Penso da mesma forma!

  • O Rueda quer treinar e os sangue-sugas querem vagabundar. Comemoram eliminação para o Palestino para descansar. Time sem alma, sem sangue, sem raça e sem amor ao Flamengo. Totalmente contaminado e protegido pelo banana mor e sua trupe.

  • O cara não tem nem 4 meses no Brasil, esses fdps tudo sem sangue que são os culpados

  • O que nais me irrita é ver que os caras ganham mais de 100mil por mês e ainda querem treino levo para não ficarem cansados.

Comentários não são permitidos.