Fla costura acordo para que jogos de grande apelo tenham “operação de Copa do Mundo”

O Flamengo volta a campo pela Copa Conmebol Libertadores na próxima quarta-feira (16), às 21h45, horário de Brasília, e será o primeiro embate pela competição internacional com portões abertos ao público neste ano. Afinal, o clube cumpriu dois jogos de suspensão, sem direito a ter torcida no estádio, devido aos incidentes na final da Copa Sul-Americana de 2017.

Com o intuito de evitar que as cenas se repitam, pois podem ocasionar em penas até maiores – o clube pode ser eliminado das competições organizadas pela Conmebol -, o confronto contra o Emelec, do Equador, deve contar com uma “operação de Copa do Mundo”, conforme informou o Uol Esporte. A decisão foi tomada em conjunto entre o Fla, Polícia Militar e Prefeitura do Rio de Janeiro.

Segundo o periódico, a informação ainda não foi confirmada pelas autoridades, embora o veículo tenha informações sobre como será a organização do evento: “O objetivo é montar um perímetro para impedir a aproximação de qualquer torcedor que não esteja portando o ingresso da partida. A dificuldade está no fato de ser um dia útil e no horário do duelo: 21h45, de quarta-feira (16). Neste caso, a área do Maracanã precisaria ser isolada pelo menos quatro horas antes do evento, algo a ser avaliado por conta do horário do rush e da intensa movimentação de veículos na região. Independentemente disso, as partes estudam barreiras nas quais apenas portadores de ingressos terão acesso.“, disse parte da matéria do Uol.

O site ainda entrevistou o Tenente-coronel Sílvio Luiz, que é comandante do Grupamento Especial de Policiamento em Estádio (GEPE). De acordo com o Tenente-coronel, há sim um plano semelhante ao que fora usado na Copa de 2014 no Brasil, no entanto, fica a cargo da prefeitura a decisão final sobre o esquema a ser usado.

Existe o plano de um esquema muito semelhante ao que aconteceu na Copa do Mundo, inclusive com o isolamento do perímetro. A Prefeitura que baterá o martelo até o fim da semana, mas sabemos que não podemos prejudicar milhares de pessoas por causa de 60 mil que vão ao jogo. É lógico que o perímetro facilitaria muito o nosso trabalho, mas se não for possível, verificaremos os ingressos antes dos acessos às catracas, de uma forma mais intensa do que já é feita atualmente —, explicou o comandante do Gepe ao Uol.

Sobre o assunto que movimentou as redes sociais neste semana: o fato de os sócio-torcedores terem que adquirir ingressos para a partida da Libertadores, ao invés de carregar o mesmo em seus cartões de ST (clique aqui para ler mais detalhes), o Tenente detalhou o motivo pelo qual optaram por essa decisão. Segundo Sílvio Luiz, o cartão é um problema, pois o associado pode cancelar o seu plano, mas usar o objeto para se aproximar das catracas, gerando assim tumulto. Agora, o bilhete é visto visualmente por todos, facilitando assim o esquema de segurança que poderá ser aplicado na próxima quarta (16).

Não resta dúvida de que o cartão foi um dos problemas. A pessoa que cancela o sócio-torcedor permanece com o cartão e chega próximo das catracas da mesma forma. É ali que o tumulto é gerado. A verificação de um ingresso é visual. Do cartão, não. É impossível verificá-lo antes da catraca. A aglomeração gerada pode ser o estopim para graves problemas quando pessoas mal-intencionadas estão por ali. Discutimos possibilidades para findar esse impasse. O Flamengo foi avisado há algum tempo e concordou com tudo, ainda que possa não ter gostado —, encerrou o comandante, em entrevista ao Uol.

O Flamengo e a Polícia Militar pretendem adotar o novo esquema de segurança em todos os jogos de grande apelo a partir do embate contra os equatorianos. A única dúvida, segue em relação ao cartão ingresso, tendo em vista que é um dos benefícios que o sócio tem. No entanto, o GEPE espera que o clube apresente uma solução satisfatória para que a PM possa fazer a verificação dos bilhetes e dos cartões ingressos mais facilmente. Contudo, segundo o Uol, isso não está próximo de acontecer.

Veja também

  • Tudo isso por causa de gente mal educada, baderneiros idiotas que querem levar vantagem em tudo… Se dizem flamenguistas e só fazem é prejudicar o time.

  • um tablet na mão de uma empresa terceirizada que operasse junto à polícia nas barreiras resolveria o problema, gera um custo pro clube? Sim, mas quanto custa o tumulto? . Eu fui ao Maracanã na Copa e achei o esquema excelente. Várias coisas são importantes, tipo a proibição de venda e troca de ingressos 1 hora antes do jogo, isolamento de perímetro. Se as pessoas querem organização, não adianta chegar em cima da hora, tem que se preparar. Uma hora a galera acostuma.

  • As mesmas coisas que escrevi há 2 dias atras… esse é o “jogo do empurra”, e agora a responsabilidade passou para a polícia e a prefeitura. Se o Flamengo brigasse para não atender as recomendações da polícia, ia assumir sozinho a culpa de eventuais problemas.

    Parabéns a gestão do Flamengo, que finalmente entendeu que um acordo razoavel é melhor que uma boa briga.

    • Já eram pra tanto a prefeitura policia militar e flamengo ter feito este plano para evitar problemas futuros, e ai quem comprou o ingresso ja estaria ciente de que precisava do ingresso fisico.

      • Perfeito.

  • Até hj não acharam (e nem prenderam) os baderneiros da final da Sulamericana. Tem vídeo, tem foto, tem testemunha, depoimento, perícia, e nada. Tem é que fiscalizar melhor, e ao primeiro sinal de tumulto (serão sempre os mesmos baderneiros, e eles estarão lá dia 16), enfia na caçapa e leva. Porque ainda não existe um “check-in” antecipado de quem vai ao jogo? Porque ainda não existem meios eletrônicos eficientes, com leitura ótica próximo as catracas, para se checar quem pode entrar no estádio ou não? Chegou lá e não pode entrar Pq cancelou o plano ou não pagou? Coloca pra longe a pontapés. Não quer ir embora, e está criando tumulto? Chama a cavalaria e trancafia. Porque não dão prazo mais dilatado pra chegar ao estadio? Quem quer ver esse jogo pouco se importa de chegar lá às 17h e ficar esperando até a hora do jogo.
    Jeito tem. Basta querer. Papelzinho na mão só vai estimular a falsificação dos ingressos, e vai punir quem comprou legalmente, que as vezes é impedido de entrar. Se em jogos da copa do mundo funcionou e ninguém reclamou, agora vão reclamar só porque é jogo do Flamengo?
    Me poupem.

    • Também acho que a polícia sempre foi a responsavel pelo que acontece fora do estadio. Pagamos altos impostos, tanto o clube como nós torcedores. A obrigação de prover segurança publica é do governo.

      Contudo há momentos que é melhor atender do que brigar. Nâo queremos o Flamengo assumindo a responsabilidade sozinho, e possiveis culpas e punições. Agora a responsabilidade é deles!

      • Na verdade é um trabalho conjunto, onde o clube cria formas alternativas de faturar com os ingressos, e o poder público tem que acompanhar o movimento, provendo meios de fiscalizar melhor. Se o clube cria um cartão ótico, o poder público acompanha com a leitora do cartão. O que não pode é o clube virar refém das “limitações” (muitas vezes capciosas e velhacas) do Estado, quer seja municipal, estadual ou federal, haja visto que, para certas “atividades” outras, não há limitação alguma.
        A Polícia está ali para manter a ordem, e não pra fiscalizar ingresso, porque se depois houverem tumultos, vão reclamar que estavam em “desvio de função” e não puderam cumprir a missão precípua. Fiscalizar cabe ao consórcio, à FERJ, a CBF, à CONMEBOL, ao Flamengo, ao Emelec, ou coisa que o valha. Tem que haver sintonia entre as partes, e um bom planejamento logístico e de segurança, duas coisas que são quase impossíveis de acontecer estando o Estado envolvido na questão. Mas dá pra fazer. Se forçarem a barra, a coisa sai.

        • Eu também acho que essa solução ainda não é a ideal. Provavel que vão aparecer outros problemas, só espero que não tão graves como da ultima vez.

          O que defendo neste momento é atender as recomendações deles, para passar essa respinsabilidade para eles. Se dircutirmos e modificarmos agora, vamos assumir mais um risco.

          Nada impede que pra o jogo seguinte o esquema continue melhorando. Talvez o Flamengo possa encontrar uma nova solução, que atenda a comodidade do ST e ainda assim facilite o trabalho da polícia. Mas no momento é melhor não ariscar.

  • Sou off rio…alguém sabe explicar pq no jogo contra o inter por exemplo, “lotou” com 60.000 torcedores mas pela tv vi uns grandes espaços com cadeiras vazias…sei la de 5000 a 10000 lugares…pq não poe pra vender tudo se há demanda ? Na copa não vendeu tudo ? Qual a capacidade total do maraca hj ?

    • Capacidade total do maraca 78k, aqueles clarões acontecem devido a separação da torcida visitante que consome uns 10k de cadeiras. Nessa partida contra a ponte não entendi o pq não liberar a totalidade da capacidade do maraca, já que não haverá torcida visitante.

  • Fica claro pra mim que o comandante quer facilitar os cambistas e o próprio bolso ,tem muita coisa por trás disso. Como que é impossivel verificar o cartao ingresso? e ingresso de papel é fácil? o que aparece de ingresso falso, é ridículo isso. Não sei como consegue ter a cara de pau de falar uma porra dessas. Se quisesse realmente resolver o problema, era só ter uma fiscalização maior, usando maquinhinhas para verificar se o cartao ingresso ta carregado. Nunca teve fiscalização…só falam “ingresso na mão, quero vê o ingresso na mão” e isso vai adiantar alguma coisa? o que tem de ingresso falso, não vai mudar em nada. Antes do cartao ingresso smp teve invasão em jogos importantes, smp! o que falta é uma fiscalização descente e nao ferrar o sócio do flamengo! E pelo o que eu to vendo se o flamengo não abrir vão querer acabar com o cartão. Que covardia!

  • Tudo isso por causa de um bando de animais que não sabem se comportar em público ou ter respeito pelos outros, pelas leis e pela sociedade em geral… e ainda fica uns trouxas aí defendendo esses “torcedores” e falando que a culpa é da polícia e das autoridades. Como se marmanjo tivesse que ter babá a vida inteira para saber se comportar em público.
    Essa galera que fica nesse papo trouxa aí que a culpa é das autoridades é tão, ou até pior, MARGINAIS como a galera que se acha no direito de “invadir” um espaço alheio.
    São os moderninhos (criados e educados por conta da nossa “Pátria Educadora”), que se acham melhores ou com mais direito do que os outros.

  • Por causa de baderneiros e “organizadas” os torcedores decentes sofrem…

  • Se tiver que trocar ingresso eu simplesmente não vou. Simples assim. Só vou trocar esse porque fui avisado após a compra. O mínimo que o flamengo poderia fazer seria dar mais desconto ainda no próximo jogo. Vou tentar trocar amanhã numa loja de shopping e vou gastar gasolina e estacionamento. Espero que os profissionais de marketing escutem o feedback que está sendo dado nas redes sociais.

    • melhor assistir de graça em casa pela tv amigo.. já que quer mas descontos, flamengo tbm precisa do dinheiro.. abraço.

Comentários não são permitidos.