Um Flamengo pragmático, porém sem alma

Confesso que o jogo da última quarta-feira (23) foi um dos mais deprimentes que eu já acompanhei do nosso Mais Querido. A causa disso não foi o futebol praticado, pois a equipe já fez partidas muito piores tecnicamente, nem o resultado final, pois jogar na Argentina independente do momento do time adversário, ainda mais, contra um clube de expressão como o River Plate, sempre é tarefa difícil, mas sim a postura pragmática da equipe, que parece ter saído satisfeita com o empate.

Não obstante, podemos dizer que o pragmatismo foi um dos responsáveis pela classificação do Flamengo após sucessivas eliminações na fase de grupo. O empate fora de casa contra o Santa Fé foi determinante para a classificação, apesar do Flamengo ser mais time e pudesse ter ido à Colômbia com uma postura diferente, esse resultado foi determinante para que necessitasse “apenas” de uma vitória em casa, já com torcida, contra o Emelec para avançar. Na Colômbia o que se viu foi um Flamengo jogando pelo empate, assim como contra o River, abdicando de suas tradições.

O pragmatismo não é propriamente um defeito, vários times e seleções na história foram considerados assim, como a Holanda de 2010 e a Argentina de 2014, contudo, o Flamengo não pode ir contra a sua história e ignorar o lema “vencer, vencer, vencer”, mesmo diante de situações que o empate pode ser considerado “bom resultado”.

Por: Wesley Paulo
Saudações RN.

20 Comentários
  • Mais um comentarista falando merda, não percebe o desgaste do time do Flamengo.
    Na década de 80, o futebol era menos físico e por temporada se disputava 50 a 60 partidas.

    Hoje com um futebol de alta intensidade, muito físico se disputa 80 a 85 partidas, só nesses 4 meses o Flamengo já disputou 40 partidas, diferente do River que no mesmo período só disputou 22 partidas.

    O Futebol Argentino tem um calendário infinitamente superior ao Brasileiro, lá não tem estaduais, dessa forma os técnicos tem muito mais tempo pra treinar o time, o que resulta que o futebol argentino é muito superior Taticamente ao brasileiro.
    O Flamengo cheio de desfalques por contusão (jogadores estourados com contusão muscular), com zaga
    reserva, o time exausto, vai jogar na casa do Atlético Mineiro, temos de jogar no contra-ataque, nada de ir pra cima, pra tomar uma goleada, só para agradar os comentaristas de futebol, que nada entendem de
    Fisiologia, muito menos de Tática.

        • Isso de clássico equilibra as coisas, só existe em relação ao FLAMENGO. Desculpa afiada de quem não consegue se impor. Eu canso de ver o Corinthians entrar como favorito nos clássicos paulistas, e mostrar isso em campo. É claro que existem as exceções. Mas no FLAMENGO isso é regra. O time se atrapalha por sua própria incompetência. Não existe justificativa para empatar com um time que tem disparado a pior defesa da Série A. Os caras levaram quase 50 gols no ano, a segunda defesa mais vazada, levou metade. Foram himilhados até por times medíocres. O FLAMENGO, fez o gol, depois assistiu a eles jogarem o primeiro tempo inteiro! Os caras caminharam em campo.

        • Já jogou bola na sua vida? Se não se ganha na qualidade tem que se sobressair na vontade, e foi oque o Vasco fez, foi superior tecnicamente boa parte do jogo, e como fizeram isso? Te garanto que não foi pela qualidade do gênio Pikachu, ou pelo craque Desabato, foi Pq se doaram mais em campo. Enquanto tiver torcedor inventando mil e uma desculpas pros fracassos colocando a responsabilidade em outras pessoas, se não nós jogadores, comissão e diretoria, ficaremos no cheirinho.

  • Me doeu ver o Júnior ter que dizer que estavam jogando como um time pequeno, não demonstrar a mínima vontade de ganhar foi o pior. passamos exclusivamente Pq tinha um saco de pancadas no grupo, se fosse o Atlético tucuman ao invés do Emelec, empatariamos sem sombra de dúvida e sem exagero. o pior não é nem o resultado, e sim o conformismo por sempre ser segundo que já dura 3 anos, vice não vai pra prateleira.

  • A verdade é que o Flamengo jogou consciente de seu tamanho em competições sul-americanas, é um time que coloca medo em ninguém, inclusive vi nas redes sociais diversos torcedores de Santa Fe e Emelec lamentando o fato de terem empatado/perdido para “un modesto equipo brasileño”. Se alguém ainda tem dúvidas do tamanho do Flamengo nessas competições, é só olhar para outras equipes que estavam no pote 3 junto conosco no sorteio dos grupos, e alguns que estavam no pote 2, sem contar o ranking da CONMEBOL, que consegue ser ainda mais deprimente.

  • ganhando os títulos, pode ser o que for, tanto faz, o problema é não ganhar nada, mesmo jogando bonito, vide seleção de 1982, a “melhor de todos os tempos”….
    a que jogava feio, 1994, trouxe o tetra!

    • Dizer que a seleção de 94 jogava feio é um absurdo. Time com toque e saída de bola, sem chutão e com o maior centro-avante de todos os tempos jamais jogaria feio.

        • Raí não estava jogando nada e por isso foi pro banco. Independente do número de volantes, todos eles eram muito técnicos e faziam muito bem a transição defesa-ataque. Revendo todos os jogos da copa de 94, não vi a seleção jogar feio nenhum jogo.

  • Sem alma não, sem organização.

    A muitos anos já não vejo um time de Flamengo colocar a bola no chão e tocar consciente, saindo com bola da defesa sem chutão e envolvendo o adversário no ataque.

  • Definição de time com e sem alma para uma boa parte da torcida.

    Ganhou = TEM ALMA E RAÇA, POHA!
    Perdeu/Empatou = Bando de sem raça, sem alma, acomodados.

  • Esse papo de “alma” “raça” “entrega” e “espírito rubro negro” está muito clichê e consequentemente muito vago.
    A verdade é que temos um elenco fraco, as contratações são aleatórias e o CIM é muito ruim, liderança nula por parte dos dirigentes, que nossos diretores aceitam ser roubados toda rodada, será que a culpa vai sempre recair de quem entra em campo?
    Bandeira, Fred Luz e Rodrigo Caetano levaram o Flamengo pra o fracasso.

  • Nesse caso não foi um bom resultado, pois valia o mesmo que uma derrota. A dúvida é: se foram pra empatar, porque levaram o time titular? Muitos jogadores cansados e pendurados poderiam ser dispensados dessa viagem estarem mais “inteiros” hoje contra o galinho. É incoerência misturada com incompetência. Precisamos de um departamento de futebol profissional.

  • Criação de sites e aplicativos para celular