Wesley Paulo: “Barbieri precisa inovar para salvar o Brasileirão”

Como pôde-se ver nesse confronto contra o Cruzeiro pela Libertadores e também nas partidas do Campeonato Brasileiro após a parada da Copa do Mundo, o nível do futebol jogado pelo Flamengo caiu. Um dos motivos, é a ausência de Vinicius Jr, outro é a estagnação do esquema de jogo, que se mostra ineficaz e pouco resiliente quando se muda alguma peça.

Vitinho e Marlos, os ‘substitutos de Vinicius Jr’, apesar de serem bons jogadores, não conseguiram ainda se encaixarem no esquema, além de oscilarem bastante. Já os laterais pouco contribuem ofensivamente, Renê, é aquele tipo de lateral que sempre corta pro meio e tem uma dificuldade enorme de chegar na linha de fundo, já Rodinei, consegue chegar na linha de fundo, aproveitando o espaço deixado por Éverton Ribeiro, contudo, tem muita dificuldade nos cruzamentos, além de ser afobado.

Como a chegada de reforços é bem improvável nesse momento do ano, Barbieri terá que se virar com o que tem. Se uma mudança de esquema, pode ser muito radical, ainda mais com jogos de três em três dias, uma adaptação dele, para elevar o futebol do time.

Uma alternativa seria a entrada de Piris para fortalecer o meio de campo, no lugar de Vitinho/Marlos, e com isso substituir Renê, por Trauco, que é um lateral que deixa a desejar na parte defensiva, porém é muito útil na parte ofensiva, pois possui muita técnica. A entrada do lateral peruano, pode auxiliar o centroavante do time, pois seja qual for o nome escolhido Uribe/Lincoln/Dourado, é fato que o esquema não contribui para que ele possa fazer gols.

Saudações RN.
Por: Wesley Paulo

6 Comentários
  • Com o Vitinho será preciso insistir muito, pois é muito bom jogador, mas está sem ritmo de jogo e inadaptado ao time.A entrada do Piris pode ser opção fazendo os atacantes não fixarem posição com a saída do Dourado. Aí Trauco poderia entrar no lugar do Renê…

  • Não acho que mudar o padrão de jogo seja um problema para o Barbieri, a questão me parece ser outra mais delicada.

    Desde a chegada de Murici Ramalho o Flamengo começou a implementar uma forma de jogo padrão única para toda a base e o time titular, como fazem os grandes clubes europeus, então vieram Zé Ricardo, Rueda, Carpegiani e agora Barbieri, e a forma de jogar não mudou muito, então minha conclusão é que o Flamengo impõem aos treinadores a prioridade de se jogar nesta formação.

    Vamos ver se na próxima administração algo vá mudar neste sentido.

    Mas se observarmos o excessivo numero de jogos decisivos a cada temporada, o alto números de times no Brasileirão, o calendário apertado para o descanso apropriado, tudo isso contribui para que os times joguem um futebol burocrático, e isso favorece times que priorizam a parte defensiva e o Flamengo quando joga assim a torcida reclama! Então se a torcida exige demais o clube alcança resultados relevantes de menos.. é uma questão lógica.

    SRN

  • Criação de sites e aplicativos para celular