Em despedida de Paquetá, Flamengo decepciona e sai derrotado pelo Atlético-PR

FOTO: STAFF IMAGES/FLAMENGO

Flamengo e Atlético-PR se enfrentaram neste sábado (01), no Maracanã, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O embate, que marcou a despedida de Lucas Paquetá com a camisa rubro-negra, acabou sendo finalizado com uma derrota do clube carioca, de virada, diante de 60 mil torcedores, que vaiaram o time ao final do jogo.

O JOGO

A partida foi iniciada com o Atlético-PR tomando as iniciativas de jogo, enquanto o Rubro-Negro tinha dificuldades de sair da marcação adversária. Prova disso era a maior posse de bola do Furacão, que envolvia aos poucos a equipe carioca.


Compre capinhas oficiais do Mengão para seu celular. São diversos modelos para você escolher o que mais combina contigo. CLIQUE AQUI para conferir!


O clube da Gávea precisou de quinze minutos para entrar de vez no embate e ameaçar o Atlético. No entanto, os passes eram, em sua grande maioria, interceptadas pela defesa da equipe curitibana. Se com a bola trabalhada, o jogo do Fla não estava funcionando, o mesmo não se pode dizer para as jogadas de bola parada. Em escanteio cobrado na direita por Diego Ribas, aos 22, Rhodolfo subiu mais alto e abriu o placar para o Rubro-Negro.

O gol despertou ainda mais o clube carioca, que entrou no jogo e finalmente conseguiu se impor diante de sua torcida. Aos 35 minutos, em uma boa trama pela direita, Arão cruzou e Paquetá escorou para Uribe, já na pequena área. O colombiano cabeceou em meio à marcação individual, mas jogou por cima, quase ampliando a vantagem da equipe.

O Flamengo ainda teve mais um lance para sair com 2 a 0 no primeiro tempo. Agora pela esquerda, Paquetá fez cruzamento rasteiro, e a bola acabou sobrando para Everton Ribeiro, na área sem marcação. O camisa 7 dominou e arrematou colocado, mas o goleiro Felipe Alves fez grande defesa, evitando uma vantagem ainda maior do Rubro-Negro.

A segunda etapa foi marcada pela forte pressão do Atlético-PR. Melhor durante boa parte da etapa complementar, os visitantes chegaram ao gol de empate aos 19 minutos, com Matheus Rossetto. Em bela troca de passes, o volante teve tempo para dominar, girar e bater, não deixando chances a César.

Aos 24, Uribe ainda teve a oportunidade de colocar novamente o Flamengo a frente do placar. O atacante dominou dentro da área e bateu forte, mas a bola passou à esquerda do gol defendido por Felipe Alves.

Com a equipe reserva e tendo a entrada do titular Lucho González, a equipe de Coritiba virou a partida, aos 25, logo após a ótima chance perdida por Uribe. Rony dominou de fora de área, se livrou da marcação e bateu, marcando um golaço e deixando o Atlético em vantagem.

Arão ainda teve chance de empatar, aos 34 minutos. O volante recebeu fora da área, abriu espaço e chutou forte, mas a bola passou com muito perigo à direita do goleiro paranaense.

Com mais de 60 mil torcedores entoando o canto de “time sem vergonha” no Maracanã, o Flamengo encerrou a temporada de 2018 com mais uma derrota. Ainda assim, assegurou a segunda colocação do Campeonato Brasileiro. O clube, agora, se volta para as eleições presidenciais que acontecem no dia 8 de dezembro, para definir o mandatário que comandará o Rubro-Negro nos próximos três anos (2019-2021).

Veja também

  • Se estivéssemos precisando do resultado pra sermos campeões, teríamos perdido o título. Assim foi contra o Palmeiras no Maracanã, e contra o São Paulo no Morumbi. Na hora do vamuvê, esse time pipoca. E que não venham falar de falta de tempo pra treinar, depois da Copa, pois o time começou a cair justameente depois de passar 30 dias só treinando. Falta de planejamento e tardias decisões contribuiram para a perda do título, mas não foi só isso. Faltou comprometimento da grande maioria dos jogadores. Estavam ali só pra ganhar salário em dia, se esquecendo de que são atletas, que jogam num clube como o Flamengo, e que lidam diretamente com a emoção das pessoas. O clube faz um investimento enorme em estrutura, proporcionando aos jogadores tudo o que precisam, e a resposta é pequena, em termos de comprometimento. Essa postura, impensável há alguns anos atrás no Flamengo, é que precisa mudar. Injetar nesses caras, com agulhas muito compridas, uma boa dose de DNA rubronegro, pra que fique lá, nas profundezas e surta o efeito desejado. Se o jogo de ontem não valia nada, porque foram ao Maracanã 66.000 torcedores? Se pensassem como os jogadores, teriam ficado em casa, mas estavam lá, querendo uma exibição de campeão e uma bela vitória num jogo que não valia nada. A derrota pro time reserva do Furacão deu a exata noção do respeito que esses jogadores tem pela camisa do Flamengo e por sua torcida. Pra quem achar que o futebol é só “uma profissão”, o melhor a fazer é ir embora na barca. Seja quem for. O Flamengo não precisa de burocratas em campo, já bastam os que existem na diretoria.Que venha 2019.

  • A VERDADE É QUE ESSE TIME NÃO MERECE A TORCIDA QUE TEM

    • Falou tudo! Esses jogadores não deram importância à camisa e à torcida. Daí os resultados pífios que alcançaram. 8 derrotas foi demais!

  • E Agora será que ainda parte de torcedores do Flamengo vão querer a permanência desta AMEBA do Dorival Junior. Esse Cara mostrou a mesma passividade do Barbieri na beira do campo. Cadê aquele padrão de jogo que alguns diziam que o Dorival Jr. deu a equipe. Ah! É melhor que saia logo e contratemos o Abel. Adeus Técnico de bosta

  • Ótimo resultado pra não terminar o ano achando que esse elenco vai ganhar alguma coisa ano que vem…
    Que o novo presidente faça uma limpa!!!

Comentários não são permitidos.