Flamengo espera “fechar” camisa com patrocínios em fevereiro e dá primeiro passo nesta quinta-feira

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

Por: Igor Dorilêo e Venê Casagrande

Com a saída de alguns dos principais patrocinadores, como a Caixa Econômica e a Carabao, a diretoria do Flamengo trabalha para atrair novos investidores. A intenção do clube é “fechar” a camisa em fevereiro, entrando em março já com todos os acordos definidos para o restante da temporada. O primeiro passo para esse planejamento ser executado com sucesso será dado nesta quinta-feira (31).

Em reunião na sede da Gávea, o Conselho Deliberativo irá votar a aplicação da logomarca Multimarcas Consórcios, como adiantado pelo Coluna do Flamengo. Caso seja aprovada, a empresa focada no comércio de veículos e imóveis será estampada na barra da camisa, abaixo dos números, por dois anos, com valor não revelado. Atualmente, o grupo já investe no Cruzeiro e no Vila Nova. Como de praste, a diretoria não comenta negociações em andamento.

Quanto ao patrocínio master, a expectativa do Flamengo é de lucrar mais de R$ 25 milhões por ano, valor que era investido pela Caixa. Conforme apurado pelo Coluna do Flamengo, três empresas já procuraram o clube demonstrando interesse em estampar a marca no principal espaço da camisa rubro-negra, na parte frontal, abaixo do peito. Uma delas é a SEMP TCL, um empreendimento conjunto entre a marca brasileira SEMP e a multinacional chinesa TCL.

Outra empresa que viu o Rubro-Negro como um bom alvo para investir foi o banco BMG. Porém, o acordo proposto era similar ao que foi fechado com o Corinthians: R$ 12 milhões anuais, mais 50% de taxa variável referente ao resultado financeiro. Além da equipe paulista, o Atlético-MG está finalizando contrato nos mesmos moldes, mas com um valor fixo menor que o do time do Parque São Jorge. O tipo de negócio não agradou ao Fla.

Atualmente, o Flamengo exibe duas marcas no material de jogo. Na região da omoplata, está a Universidade Brasil, que chegou ao clube na metade de 2017. Já acima dos números, nas costas, fica a MRV, que renovou com os cariocas recentemente, até o final de 2020. Estima-se que a construtora irá render ao clube carioca R$ 20 milhões pelos próximos dois anos de contrato.

1 Comentários
  • Criação de sites e aplicativos para celular