Fabrício Chicca: “Abelão: Perdido ou um estrategista incompreendido? Ou simplesmente Abel, um retranqueiro?”

Hau Cara Pálida! Nessa coluna vamos tratar de discursar a respeito da necessidade ou não de estarmos em pânico.

Abel Braga, ou Abelão, o escalador do Negreiros (lembra dele?), campeão do mundo, da Libertadores, do Brasileiro, de tudo foi contratado com grande apoio da torcida, e claro, da diretoria. Tratava-se do técnico boleiro, adorado pela mídia, que, junto com o Pelaipe, gerente de futebol, cobraria do grupo os resultados esperados.

Houve pouca discussão a respeito de como o Abelão armava os times, de certo mesmo apenas a cobrança e possivelmente a capacidade de tirar leite de pedra. Ora, os últimos times treinados pelo técnico, limitados, renderam muito mais do que podiam. Era de se esperar o mesmo do Flamengo, certo? Errado.

Durante o período Dorival EBM eu dizia na Tv Coluna do Flamengo: Abelão é um técnico excelente para times limitados, gosta de montar times defensivos e com saída rápida de bola, boas transições e contra-ataque bem montados. Essa ainda é a opinião eu mantenho. Mesmo com o DNA flamenguista ofensivo a torcida, diante de tantas frustrações recentes, aceitaria o Abelão se as vitórias viessem. Mas o fato é, nem isso o Abel apresentou até agora.

O maior erro do treinador foi, durante o mês de janeiro até o jogo contra o Fluminense, ter feito experiencias e assumido o discurso de dois times titulares (ou não-time-titular). Essa perda de tempo fez com que o Flamengo não conseguisse ter o padrão simples e ultrapassado do treinador (porém muitas vezes efetivo – vide o própria Abel, Felipe 7 x 1, Carille, Muriçoca…). As experiências podem ter outro nome: Abelão tá meio perdido. O motorista de táxi sabe dirigir, mas pode se enrolar quando sentar em um Fórmula 1.

Sim, é preciso mais tempo. Sim, o Diniz com o mesmo tempo fez um trabalho melhor no outro time. Sim, times e grupos reagem de maneira diferente, o próprio Diniz no ano passado entregou o time dele na zona de rebaixamento. Não há matemática precisa nesses casos.

RESUMINDO A ÓPERA:

1 – Abelão errou: não colocando o time principal desde sempre. O time tem que entrosar, os jogadores têm que se conhecer, e treino é treino e jogo é jogo.

2 – Abelão é defensivo: sem novidades, sempre foi assim, e não há sinais de que vai mudar. Ou seja, podem esquecer, vamos colocar gasolina de avião em um fusca, ou seja, o flamengo vai jogar (e possivelmente ganhar torneios) jogando feio, com até 3 volantes….como o time que ele treinava no ano passado jogava.

3 – Abelão é ultrapassado: Quando deu a declaração que o time que só ataca, que joga com um volante é time de índio, mostrou que não estuda o que se passa no melhor futebol do planeta, alguns dizem que é arrogante.

4 – Abelão vai melhorar o time: sim, se o Abelão continuar à frente do time deve haver alguma melhora. O contra-ataque deve começar a funcionar, a zaga deve ficar menos exposta e a transição deve ser muito melhor. Se ele subir um pouco a marcação, o time já ficará muito mais competitivo

5 – Abelão é teimoso: Ele gosta de jogar com dois volantes, mas o Arão não marca o suficiente e se coloca à frente dos meias mesmo quando o flamengo não tem a bola.

6 – Abelão tem leitura deficiente durante o jogo: O time não muda o estilo de jogo e melhora pouco nos intervalos, as substituições raramente mudam o jeito do time jogar, apenas o fazem, na maioria das vezes mais defensivo. É ainda muito preocupante a atuação do treinador no vestiário se considerar o que ele faz no tempo técnico, reparem, ele apenas abana os jogadores.

Se quiser nos ver: estamos na TV Coluna do Flamengo, todos os dias às 9 da noite com o Resenha (link aqui), ou podemos falar pelo Twitter: @fafochicca

15 Comentários
Carregando comentários...
Criação de sites e aplicativos para celular