Olheiros? Rivais do San José, Mugni e Sergio Raphael dão dicas para o Flamengo superar time boliviano

Por: Higor NevesVenê Casagrande

A competição mais importante do calendário do Flamengo está prestes a se iniciar. Na próxima terça-feira (05), o Rubro-Negro vai à Bolívia para encarar o San José na estreia da Libertadores. Para a partida, o clube realizou uma preparação de exatos dois meses, e agora pode contar com mais uma “ajuda de olheiros”: Lucas Mugni, ex-Fla, e Sergio Raphael – zagueiro brasileiro com passagens por equipes como Vasco e Bahia -, que defendem o Oriente Petrolero, conversaram com a reportagem do Coluna do Flamengo e deram dicas sobre o próximo rival do time comandado por Abel Braga

Durante o bate-papo, os jogadores revelaram as principais características e pontos fortes da equipe que o Flamengo enfrentará, apontando também quais são as dificuldades do San José dentro de campo. CONFIRA AS REPOSTAS:


LUCAS MUGNI (MEIA OFENSIVO)

Você, como jogador de ataque, destaca quais jogadores do sistema defensivo do San José?
Os principais jogadores da defesa do San José são Barrera (que está lesionado) e Ovando.

Qual é a principal qualidade dos jogadores defensivos do San José?
A principal qualidade no setor é que eles conseguem ter um bom tempo de bola.

E o ponto fraco?
Apesar de terem um bom tempo de bola, eles são lentos nas jogadas individuais, lances de um contra um.

Quando o San José joga em casa, eles costumam atacar ou são mais cautelosos?
Eles partem para cima, são muito ofensivos jogando em casa.

Sergio Raphael (camisa 3) e Lucas Mugni (camisa 10) durante comemoração de gol da equipe (Foto: Divulgação)

SERGIO RAPHAEL (ZAGUEIRO)

Qual é o jogador mais perigoso do setor ofensivo do San José?
Com certeza o centroavante Carlos Saucedo. É um jogador que não se movimenta tanto, mas tá sempre ali na área pra aproveitar qualquer bola que sobre. Podemos dizer que se posiciona bem, porque a bola sempre cai onde ele está.

O San José tem muita jogada ensaiada no ataque?
É uma equipe de poucas jogadas ensaiadas. Mas tem que tomar cuidado com o camisa 10 (Pablo Zeballos), ele é bom nas bolas paradas, bate bem as faltas.

Você, como brasileiro, acha que os jogadores do Flamengo vão sofrer bastante com a altitude?
Acredito que vão sofrer sim. Jogar na altitude costuma ser muito difícil, e a dificuldade maior é de recuperação, o fôlego. É bem complicado.

Tem alguma dica para amenizar os efeitos da altitude?
R = Respirar devagar, tentar se adaptar o mais rápido possível desde que chegue. Porque quanto mais tempo na altitude parece que piora quando não se tá com uma boa respiração. Além disso, pode ser bom dormir em Santa Cruz na véspera da partida e viajar apenas no dia do jogo para a cidade de Oruro.


SITUAÇÃO DO SAN JOSÉ

No torneio “apertura” da Bolívia, que corresponde ao primeiro turno do campeonato nacional, o San José ocupa atualmente a sexta posição, dentre 14 clubes que disputam a competição. Ao todo, são dez jogos, com três vitórias, cinco empates e duas derrotas. Um dos jogos mais recentes do adversário do Flamengo na Libertadores foi justamente contra o Oriente Petroleto, de Lucas Mugni e Sergio Raphael. No embate, disputado em 21 de fevereiro, a equipe do ex-jogador do Fla venceu por 4 a 3, com direito a gol da vitória aos 43 minutos do segundo tempo.

Além do revés para o Oriente Petrolero, vale destacar que o San José vem de mais três partidas sem vencer. Enquanto isso, o Flamengo tem sequência duas vitórias consecutivas na Taça Rio. Para tentar dar sequência à boa fase, Abel Braga escalará força máxima na Bolívia, tentando sair da altitude de Oruro com três pontos na bagagem. O duelo terá bola rolando às 19h15, horário de Brasília.

Veja também

  • Mas onde foi parar o Mugni, meu Deus do céu!….rsrsrs. Veio pro Flamengo como o “sucessor do Maradona”, assim como Maxi Biancucci era o “primo do Messi”. Que bom que sumiram do Flamengo. ..

Comentários não são permitidos.