Léo Duarte elogia trabalho de Marcelo Salles e destaca: “Temos um relacionamento muito bom com ele”

O Flamengo venceu o Corinthians por 1 a 0, na última terça-feira (04), e se classificou para as quartas de final da Copa do Brasil. O assunto mais comentado desde então é que, desde que Abel Braga pediu demissão, o time ainda não foi vazado nas duas partidas que disputou. Léo Duarte concedeu entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (06) e falou sobre o tema.

O Flamengo jogou contra o Fortaleza, no último sábado (01), e venceu por dois a zero. A defesa, naquele confronto, foi pouco exigida. Na terça (04), o Rubro-Negro sofreu alguns perigos do Corinthians, que precisava do resultado positivo para se classificar, mas também não foi vazado. Léo Duarte afirmou que Marcelo Salles, técnico interino do Fla, recuou Willian Arão, fazendo com que a defesa fique mais protegida.

Não tem como mudar de um dia para o outro. Mas ele fez uns ajustes. Arão jogava praticamente como um meia. Isso protege um pouco mais a nossa defesa. Sempre que estamos no ataque, tem mais gente protegendo -, disse Léo Duarte, que prosseguiu:

Nosso contato com Marcelo, ele sempre esteve por perto. Sempre trabalhou com a gente nos treinos. Temos um relacionamento muito bom com ele e está dando certo -, finalizou o defensor.

Ainda com Marcelo Salles na beira do gramado, o Flamengo encara o Fluminense no próximo domingo (09), no Maracanã. A partida vai ter início às 19h (horário de Brasília) e é válida pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Jorge Jesus, novo treinador do Fla, chega ao Rio de Janeiro no sábado (08) e deve acompanhar a partida no estádio.

Veja também

  • Espero que Marcelo Salles continue com essa estrela, nesses últimos jogos, mas que ensine Arão a marcar. Passou tanto tempo achando que era “meia” que esqueceu que é volante, e a primeira obrigação de um volante é marcar. Tendo Diego, Arrascaeta e Éverton Ribeiro jogando, Arão tem mais é que marcar, e uma vez ou outra, de surpresa, surgir dentro da área, coisa que faz até muito bem. Contra o Corínthians alguns sustos que tomamos foi por ele perder o “tempo” da marcação e ser envolvido pelos toques de Jadson, Sornoza e Jr. Urso. Se ele conseguir isso, vamos ter o sonhado “equilíbrio” que precisamos. E que J.J. se adapte rapidamente ao futebol brasileiro. Trazer um treinador estrangeiro, sem passagem pelo Brasil e no meio da temporada, é um tiro no escuro que pode dar muito certo, como tb pode dar muito errado. Espero que dê certo. Com Marcelo Salles e J. J., estamos muito bem servidos.

  • Deveria da uma oportunidade a esse interino com técnico quem sabe não temos o mesmo êxito que tivemos cm o Andrade

  • O Arão é arame liso,só cerca,nunca dá o bote certo,tomara que esse novo técnico perceba essa deficiência dele e mude.

  • O Arao nao coseque marca esse e verdade tmbm nao e bom de passe a unica coisa que ele sabe mais ou menos e a jogada aeria, ele seria um sentravante regula da aqueles de antigamente que fica prantado esperando a bola chegar

  • Esse colocou o Aarão no lugar dele.

  • Time tava andando com Abel, aquele ímpeto não existia maiS, jogadores acomodaram, talvez este seja o gde desafio do Jesus, não deixar a peteca cair, percebemos q são bons atletas mas acomodados, vide Gabigol!!!

  • Dizer que a defesa ficou mais protegida com o recuo do Arão é sacanagem, Arão como sempre andou em campo,a bola rondou a área do Flamengo, Vagner Love recebeu umas 3 bolas de costa pro gol e teve tempo de virar e bater… Arão é uma bosta!

    • EU JOGARIA COM O PIRES E CUELLA JUNTOS !

    • Concordo. Nota-se que ele não é um jogador rápido e brigador na marcação, além de se colocar mal. É o perfil do cara, não adianta insistir. Claro que ele tem a virtude de aparecer na área e fazer gols de cabeça e algumas tabelas, mas é só. Para um time que quer voltar a ganhar a liberta é muito pouco.

  • Realmente vem fazendo um belo trabalho, dando continuidade ao trabalho de Abel!

Comentários não são permitidos.