Mauro Cezar destaca surto de covid-19, calendário apertado e vê comparações injustas entre Domènec e Jesus

FOTO: REPRODUÇÃO

O Flamengo vive uma maratona de jogos, foram quatro partidas em nove dias. No último compromisso, o Rubro-Negro entrou em campo contra o Red Bull Bragantino após um descanso de apenas 48 horas. O duelo terminou empatado por 1 a 1 e, com isso, o clube carioca perdeu a oportunidade de assumir a liderança do Campeonato Brasileiro na 16ª rodada. O resultado inesperado frente ao penúltimo time da competição, rendeu muitas críticas e comparações entre Domènec Torrent e Jorge Jesus.

O ex-treinador do Flamengo, Jorge Jesus fez uma campanha de invejar à frente do Mais Querido. Com o treinador português, o Fla bateu inúmeros recordes na competição nacional e terminou com o título do Brasileirão. Desta forma, a comparação com o atual técnico é inevitável. No entanto, o jornalista Mauro Cezar Pereira acredita que não é justo equiparar os trabalhos dos comandantes e justificou o motivo.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


– O Jesus não teve uma semana como essa, não teve a infecção em massa pelo covid. Antes dele assumir a liderança nessa mesma rodada em 2019, ele já havia sido eliminado da Copa do Brasil, passado aquele sufoco contra o Emelec, já tinha tomado 3 a 0 do Bahia. Nem tudo estava uma maravilha. Ele não pegou covid, seu auxiliar também não. Aliás, acho que o covid nem pega Jesus, Deus… Brincadeiras a parte, eu acredito que essas comparações não me parecem corretas, não são justas – disse o comentarista durante o programa ‘Linha de Passe’, da ESPN.

Apesar de não ter saído com a vitória, o Flamengo se manteve no topo da tabela. Com 31 pontos conquistados, o Rubro-Negro ocupa a terceira posição no Campeonato Brasileiro. Vale destacar que Atlético-MG e Internacional possuem a mesma pontuação que o clube carioca, porém, levam vantagem nos critérios de desempate, sendo assim o líder e o vice, respectivamente. O Mais Querido já se prepara para entrar em campo novamente em busca dos três pontos. O próximo compromisso é contra o Corinthians, no domingo (18), às 16h (horário de Brasília), na Arena Neo Química.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Esse técnico é uma GRAAANDEEEE cagada do M.Braz. Veio para justificar as férias dele na Europa e ainda deu mole pra galinha de Minas contratar um muito melhor que está doido para vir para o Fla.

  • Não tem jeito. Parte da torcida do Flamengo é muito NOJENTA.

  • Nem sempre concordei com o Mauro César, todavia, nesse comentário concordo com ele
    Primeiro; temos que aceitar a realidade, Jorge Jesus é um técnico e Dome é outro e muito
    diferente, o Jorge é treinador há anos, Dome tem no flamengo seu primeiro desafio como
    treinador, Jorge fez uma excelente pré temporada e não teve covid, Dome não teve pré
    temporada e teve mais de 30 infectados, como se vê, muitas diferenças, não espero do
    Dome outro Jorge Jesus porque não será, por fim, trocar o Dome, só se for o Sampaoli, os
    demais Luxa, Abel, Mano Menezes, etc etc, sabemos o que vai ser por experiência nossa
    e, até agora estamos no top 3, por fim, a mídia aposta no mengão pra ser o campeão.

  • O Arrascaeta é o único jogador no flamengo que não tem reserva. O Lázaro é infinitamente melhor que o Diego.
    O Diego vive de mídia fazendo média, em 4 temporadas no flamengo não tem gols e assistências igual ao Arrascaeta, com apenas uma temporada.

  • Mesmo antes dessa maratona o time não vem jogando nada, equipe muito espaçada, previsível, sem pegada, e sem a marcação alta, os jogadores parecem que sentem que o estilo de jogo que o tecnico quer implantar não vai dar liga, acho que foi uma tremenda bola fora do Marcos Braz.

  • O que irrita o Flamenguista é a forma que o nosso time joga agora. Passamos de um clube que era favorito absoluto em tudo a um clube que corre sérios riscos de perder em qualquer competição de mata-mata por irregularidade. A confiança que todos nós vimos no Flamengo de Jesus, não acontece no Flamengo do Dome. Se o Flamengo do ano passado perdesse, era algo inesperado e chocante. Se o Flamengo desse ano perder, vai ser apenas algo incomum.

    O Jesus, literalmente, se adaptou ao estilo de jogo do Flamengo. Dá pra lembrar que, no início, ele queria jogadores com características diferentes, mas acabou tendo que se virar com o que tinha. Já o Dome se recusa a adaptar-se ao Flamengo. Ele tem sua própria maneira de pensar e convicções, porém está tentando mudar tudo da noite pro dia e com a competição rolando.

    JJ fazia as mudanças necessárias de acordo com o jogo, cobrava e consertava qualquer erro durante as partidas. O Dome fica de braço cruzado na beirada do campo assistindo o resultado. Sem falar nas PÉSSIMAS alterações que ele faz durante a partida. Não fosse a pandemia e com o Maraca lotado, ele já teria caído há MUITO TEMPO, pois a torcida não perdoaria as substituições completamente equivocadas.

    A insistência do Dome em jogadores que já consumiram toda nossa paciência também irrita demais. Renê, Vitinho, Lincoln, Michael, Diego, Léo Pereira não podem ser titulares em um time sério. Qualquer jogador da base não fica devendo nada em relação a esses citados. Cadê os jogadores que enfrentaram o Palmeiras? Gabriel Noga, Richard, Guilherme Bala, Ramón?

    Querer jogar igual 2019 talvez seja demais, porém ainda temos o melhor elenco do Brasil e o treineiro não explora o potencial dos jogadores como antes havia sido feito. O resultado é essa mediocridade que estamos vendo. Até quando o Flamengo ganha, parece que algo está faltando.

    As comparações com o Jorge Jesus não são injustas, pois ele é o nosso técnico mais recente. O mesmo já havia acontecido com ele que, na ocasião, foi comparado com o Abel Braga e no final, mostrou ser mais capaz. Pelo que o Dome mostrou até agora, será muito dificil ver o mesmo acontecer.

  • O problema é que sem Arrascaeta e com Éverton Ribeiro visivelmente desgastado, contamos apenas com Diego Ribas, que não é mais o jogador de anos atrás: conduz demais a bola, atrasando o jogo e sem nenhuma criatividade. Além disso, parece que desaprendeu ou não treina mais as cobranças de faltas, apesar de sempre se apresentar e isolar ou mandar na barreira. Acho que é hora do Dome começar a ir preparando alguém da base para ir ganhando experiência e servir de opção para o rodízio de jogadores, essencial nesse ano atípico.

  • Este Mauro césar não tem coerência. Espinafrava o Abel vinho Braga e agora vive passando o pano para o estagiário do Abel Braga.

  • A questão é que o Flamego está enfrentando inúmeros desafios, no entanto, o time vem ganhando aos trancos e barrancos, ontem empatou mas, pelo fraco futebol que vem jogando, poderia ter empatado outros jogos que venceu. A questão central é que não se vê um padrão de jogo eficiente, quando o Flamengo tem a bola parece jogar em câmera lenta, isso fica evidente quando o adversário toma a bola e a velocidade é muito maior, essa lerdeza só beneficia o jogo do adversário…e isso acontece desde antes dessa maratona…