Goiás faz mudanças e cresce em luta por permanência: conheça o próximo rival do Fla no Brasileirão

FOTO: HEBER GOMES/AGIF

Por: Giuliano Cosenza

De tratado como rebaixado à retorno na briga pela permanência na Série A. O Goiás nos últimos 11 jogos viveu uma transformação sob o comando de Glauber Ramos e Augusto César. Sim, uma dupla. O primeiro é quem assina súmula como técnico, pois o segundo não tem a licença A da CBF e não pode oficialmente comandar a equipe. Nesse período em que os dois assumiram o Esmeraldino foram cinco vitórias, dois empates e quatro derrotas. Mas o que mudou no time durante neste tempo?


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


ESQUEMA TÁTICO
Antes da dupla assumir o comando do Goiás, a equipe era comandada por Enderson Moreira. Ele ficou por 10 jogos e acumulou sete derrotas, além de três empates, tendo apenas 10% de aproveitamento. Sua equipe era montada em um 4-2-3-1 que era muito vulnerável e sofreu 19 gols no período, uma média de quase dois gols sofridos por jogo. 

Quando Glauber e Augusto Ramos assumiram o comando técnico resolveram mudar drasticamente o sistema de jogo do time. O Goiás passou a jogar num 3-5-2 que melhorou o desempenho do clube na competição. Os dois conseguiram juntos fazer o aproveitamento da equipe disparar. Nesses 11 jogos, o esmeraldino conquistou 51% dos pontos disputados. 

DUPLA DE ATAQUE
A mudança no sistema tático também trouxe uma nova identidade ao Goiás. O time passou a jogar com dois centroavantes, Fernandão e Rafael Moura, o He Man, e viu a dupla ser responsável por quatro gols nos últimos seis jogos da equipe goiana.

Glauber Ramos disse em entrevista  que “a função dos dois centroavantes é o que realmente complica muito os adversários” e complementou “colocamos duas “torres” lá na frente e ajudam muito nossos alas“.  

CONHECIDO DO NINHO E EX SÃO PAULO
Dois jogadores que ganharam mais espaço com Glauber e Augusto foram Shaylon e Douglas Baggio. O primeiro surgiu como uma grande promessa no São Paulo, atual líder do campeonato, e o segundo era um grande matador nas categorias de base do Flamengo. Ambos não alcançaram o sucesso esperado, mas são fundamentais na retomada do Goiás. 

Eles são os famosos alas do esquema 3-5-2 adotado pela dupla de técnicos. São fundamentais na recomposição defensiva e para dar velocidade ao time pelos lados do campo. Quando Fernandão e Rafael Moura fazem o pivô e acalmam o jogo, Shaylon e Baggio são procurados para desafogar a equipe. Os conhecidos da torcida de dois postulantes ao título brasileiro possuem quatro assistências somadas no brasileirão.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *