Além de Gabigol: Diego se firma entre artilheiros do século no Flamengo e pode ultrapassar Guerrero

FOTO: MARCELO CORTES/FLAMENGO

O Flamengo aplicou uma goleada sobre o Madureira na última segunda-feira (05), e venceu o duelo por 5 a 1. A partida marcou a segunda atuação dos titulares na temporada de 2021 e contou com apresentações impressionantes dos jogadores. Um dos destaques do confronto, Diego Ribas marcou um tento e se firmou entre os artilheiros do século no Fla, podendo ultrapassar o peruano Paolo Guerrero.


Quem será o próximo a perder para o Mengão? Saiba como lucrar com previsões esportivas!


Diego Ribas chegou ao seu 42º gol com o Manto Sagrado e está a apenas um tento de igualar o ex-companheiro de equipe, Guerrero. Além disso, camisa 10 da Gávea ainda tem a chance de ultrapassar o peruano e se tornar o nono artilheiro da história do Flamengo no século XXI. O jogador já acumula 213 jogos com a camisa do Fla e é um dos grandes nomes do elenco atual rubro-negro.

MAIORES ARTILHEIROS DA HISTÓRIA DO FLAMENGO NO SÉCULO XXI:

1º – Gabigol – 2019/2021 – 73 gols em 105 jogos
1º – Renato Abreu – 73 gols em 271 jogos
3º – Bruno Henrique – 57 gols em 117 jogos
4º – Vágner Love – 47 gols em 81 jogos
4º – Obina – 47 jogos em 182 jogos
4º – Léo Moura – 47 gols em 519 jogos
7º – Hernane – 45 gols em 87 jogos
8º – Edílson – 44 gols em 90 jogos
9º – Paolo Guerrero – 43 gols em 114 jogos
10º – Diego – 42 gols em 213 jogos

Após a chegada de Rogério Ceni, Diego Ribas conseguiu mais oportunidades no elenco titular do Flamengo, já que o treinador recuou Willian Arão para a zaga. Em meio a isso, o camisa 10 tem feito grandes atuações com o Manto Sagrado e recebido elogios da torcida. Na temporada de 2021, o jogador entrou em campo duas vezes e fez um gol.

Diego Ribas chegou ao Flamengo em 2016, literalmente nos ‘braços da Nação’. O jogador foi recebido por milhares de rubro-negros no aeroporto e fez grandes atuações com o Manto Sagrado desde então. Em 2019, o meia foi responsável por conceder a assistência a Gabigol que deu o título da Libertadores ao Mais Querido.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Sou fã do Diego, mas na minha opinião, não concordo com a sua titularidade. O sistema defensivo fica muito desprotegido (vimos isso no jogo contra o Madureira) e sem opção para as bolas no alto. Já que temos o Bruno Viana, formaria a zaga com ele e o Rodrigo Caio, retornaria o Willian Arão ou o Thiago Maia para a posição e colocaria o Diego como opção imediata para o 2o. tempo!