Parceiros de zaga no Flamengo, Arão e Rodrigo Caio atuaram juntos nas categorias de base do São Paulo

FOTO: GAZETA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO 

O Flamengo viveu uma crise no sistema defensivo na temporada 2020. A zaga começou a se acertar com a decisão de Rogério Ceni em colocar Willian Arão improvisado na posição. Formando dupla com Rodrigo Caio, titular absoluto, o camisa 5 reedita uma parceria que aconteceu há mais de uma década.

Isso porque, Willian Arão e Rodrigo Caio jogaram juntos nas categorias de base do São Paulo e, mais do que isso, foram campeões da Copinha em 2010. Na época, Rodrigo tinha apenas 16 anos e Arão 18. A dupla se reencontrou no Flamengo e, recentemente, passou a dividir a posição. O zagueiro, apesar de mais novo, é quem orienta o camisa 5 na nova função.

Tento ajudá-lo da melhor forma. Ele recebe muito bem as orientações e quando precisa falar é muito enérgico na fala, na forma como age, e isso me identifica muito. Gosto de tentar expressar o que estou sentido. Ele tem uma forma única de falar e agir em situações, o que é muito importante no futebol. Estamos nos adaptando nessa nova função dele e esperamos fazer um grande trabalho para ajudar a equipe – disse Rodrigo Caio, antes de completar:


Quem será o próximo a perder para o Mengão? Saiba como lucrar com previsões esportivas!


É uma grande honra compartilhar momentos tão maravilhosos com o Arão. Vivemos conquistas na base do São Paulo, passaram alguns anos e nos encontramos no Flamengo para fazer história. É gratificante demais – finalizou o zagueiro em entrevista ao Globo Esporte

Até o momento, a dupla atuou junta somente em três jogos: 100% de aproveitamento e dois gols sofridos. A estreia foi contra o Palmeiras, no Brasileirão, e, logo em seguida, o Corinthians. Pelo Carioca, a partida contra o Madureira foi a primeira da temporada 2021. Agora, Rodrigo Caio e Willian Arão se preparam para enfrentar, novamente, o Alviverde, desta vez, pela final da Supercopa. O duelo acontece domingo (11), no estádio Mané Garrincha, às 11h (horário de Brasília).

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *