Comentarista critica Rogério Ceni após não efetuar substituições no Flamengo: “Não tem como passar pano”

No último sábado (19), o Flamengo perdeu para o RB Bragantino por 3 a 2 e deu adeus aos 100% de aproveitamento no Brasileirão. Embora tenha feito boa partida, o Mais Querido pecou nas finalizações e foi castigado com um gol do adversário no último lance do jogo. Após o confronto, Paula Mattos, comentarista do Coluna do Fla, criticou a postura de Ceni diante do estado físico dos atletas na segunda etapa.

– Não tinha banco, não tinha. Mas nos últimos jogos também não tinha, porque a gente já está com os desfalques para a Copa América há algum tempo. A gente não pode falar ‘ah não tinha banco’ porque era o mesmo banco dos últimos jogos. O Flamengo estava totalmente sem meio de campo. Faz falta o desfalque? Faz, é obvio que faz. Mas a gente sempre fala, o João Gomes é uma realidade nesse time. 

 – Precisava tentar oxigenar o time, quando não vai na técnica, vai na raça. Quando a gente fala de cria, os garotos entram comendo a bola, podem até não ter técnica, mas vão correr, vão tentar fazer alguma coisa. Ele nem tentou oxigenar o time. Ele não usou porque ele não quis, não quis tentar. Não tem como passar pano para o Rogério.

ASSISTA AO VÍDEO NA ÍNTEGRA:


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


A fim de virar rapidamente a página, o Mais Querido foca suas atenções no próximo compromisso, válido pelo Brasileirão. Assim, o Flamengo enfrenta o Fortaleza nesta quarta-feira (23), às 19h (horário de Brasília), no Maracanã. A partida contará com exibição do Premiere FC, mas o Coluna do Fla traz a transmissão mais rubro-negra da internet, no YouTube.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Diego NUNCA foi marcador na carreira, nem quando era jovem, eu detesto essa mania estúpida que treinadores brasileiros têm de inventar posição pra jogador. Deve ser pra receberem os méritos da imprensa esportiva caso alguma dessas invenções dê certo.

    Estamos com 1 volante (que também nunca foi primor de marcação) improvisado na zaga, mesmo com Noga, Otávio e Thuler (que infelizmente saiu porque não recebia nenhuma chance) tendo mostrado que davam conta do recado sempre que foram testados.

    Estamos com 1 meia improvisado de volante, que como eu disse, nunca foi marcador na vida, e agora com quase 40 anos já não tem vigor físico para tal. A propósito, jamais deveria jogar 90 minutos, inadmissível um treinador não perceber isso.

    No jogo de sábado, o Flamengo havia acabado de virar o jogo, o ataque já tinha feito a sua parte, 2 gols. Diego visivelmente muito mal, qualquer idiota saberia que o Bragantino atacaria mais após a virada.

    O ÓBVIO a ser feito era trocar o Diego para dar mais consistência no meio-campo, aumentar o poder de marcação para frear o ímpeto do Bragantino. Quem sabe até mesmo trocar o Gerson, que já entra em campo desconexo, cabeça já está lá na França.

    O pardal não trocou ninguém, pelo contrário, botou o Max, que vive até hoje do golaço na estreia do Carioca e nunca mais apresentou NADA em campo. QUAL O CRITÉRIO?

    Gente, não dá mais, eu não aguento mais esse treinador afundando o Flamengo. Perder EM CASA pro Bragantino após estar vencendo o jogo é inadmissível.

  • O Flamengo é muito melhor sem o Rogerio Ceni. Ele é incompetente e os títulos que o Flamengo ganhou desde que ele assumiu são de exclusividade da sorte e da competencia de alguns jogadores, pois no que depender dele não ganhamos nada e quem pensa o contrarário está se iludindo. Para isto basta analisar os jogos e não os resultados. Rogerio ceni é limitadíssimo e está muito abaixo do que o clube merece.

  • O Diego morto em campo armando vários contra ataques para o RB … O segundo gol começa de um erro dele no ataque… No terceiro gol ele sequer sai na foto … estava no meio do campo sem conseguir recompor
    Enquanto isso João Gomes e Hugo Moura descansados no banco
    INACEITÁVEL

  • Falo isso desde o ano passado. Rogério erra em escalação, erra em substituição, em não substituir. Ganhamos títulos com ele por mera sorte. Temos a copa do Brasil mais fácil dos últimos anos, a libertadores mais fácil de muitos anos e ainda um brasileiro com poucas opções de favoritos. Mas com Rogério, dificilmente vamos ter êxito em todas, nem na maioria.