Em livro, jornalista conta bastidores da reestruturação financeira do Flamengo

IMAGEM: DIVULGAÇÃO

Por Tulio Rodrigues

O torcedor costuma acompanhar o seu time o futebol de um modo geral somente olhando para os aspectos das quatros linhas: o artilheiro, o meia habilidoso, o camisa 1 intransponível nas traves, o gol do título, a defesa milagrosa… Dificilmente se acompanha com paixão os “dribles” para arrolar uma dívida, a “linda jogada” para o clube não fechar no vermelho ou até mesmo convencer que a prioridade não é ganhar títulos, mas “arrumar a casa” financeiramente e administrativamente. Esse foi o objetivo do jornalista Rodrigo Capello em seu livro “O futebol como ele é”. Na obra, ele detalha minuciosamente a reestruturação do Flamengo desde 2013, início da primeira gestão Eduardo Bandeira de Mello.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


São 66 páginas dedicadas a reestruturação do Flamengo, iniciada em 2013. Rodrigo inicia a história no dia da posse de Eduardo Bandeira de Mello, no dia 27 de dezembro de 2012. Horas antes do evento que selaria a chegada da nova gestão, o então mandatário, junto com Rodrigo Tostes, futuro vice de finanças, se reuniram na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, no Centro do Rio de Janeiro, para renegociar as dívidas tributárias e fiscais do clube.

O leitor poderá conhecer o perfil dos principais executivos que figuravam no primeiro grupo chamado de “Chapa Azul raiz”. Além de Bandeira e Tostes, a nova direção contava com Wallim Vasconcellos, ex-BNDES, Carlos Langoni, ex-presidente do Banco Central, Frederic Kachar, Diretor Geral da Editora Globo, Romulo Dias, presidente da Cielo, Rubén Osta, presidente da Visa e Rodolfo Landim, ex-presidente da Petrobras Distribuidora, que viria a ser presidente do clube em 2018. Capelo traz ainda detalhes de contratos e a evolução financeira e administrativa ao longo dos anos.

 

O livro “O futebol como ele é” traz, além do Flamengo, a história do futebol brasileiro através das gestões dos principais agremiações do país. A obra de 588 páginas é “um trabalho jornalístico de vasta pesquisa e apuração minuciosa“, “cujos segredos ajudam a explicar por que seu time do coração se encontra na situação em que está nos dias atuais“, diz a editora Grande Área na sinopse. Há história dos 13 clubes considerados “grandes” do Brasil. Em resumo, após a leitura, é possível entender os motivos da situação de cada time atualmente.

“O futebol como ele é” pode ser adquirido em dois formatos: físico, através do site da editora Grande Área e em Kindle, no site da Amazon.

Ficha técnica:

Título: O futebol como ele é
Subtítulo: As histórias dos clubes brasileiros, investigadas em seus meandros políticos e econômicos, explicam como e por que se ganha (e se perde) neste jogo
ISBN: 978-65-88727-065
Páginas: 588 páginas
Formato: 16 x 23cm
Acabamento: Brochura costurada com laminação fosca
Valores: R$ 79,90 no formato físico e R$ 44,91 no formato Kindle

Sinopse completa:

Sorte e azar são aspectos indissociáveis do jogo de futebol — um esporte praticado com os pés e, portanto, impreciso por natureza. Contudo, há mais explicações para o sucesso ou fracasso de uma equipe do que a participação do imponderável.

Em “O Futebol Como Ele É”, da Editora Grande Área, o jornalista Rodrigo Capelo investiga e explica esses fatores que não conseguimos enxergar quando olhamos somente para o campo. As decisões tomadas fora das quatro linhas e o contexto no qual elas estão inseridas podem contribuir diretamente para que a bola ultrapasse a linha do gol. São detalhes imperceptíveis durante os noventa minutos, mas capazes de determinar o resultado de uma partida ou, até mesmo, de um campeonato.

Com a atenção voltada para a gestão, em um trabalho jornalístico de vasta pesquisa e apuração minuciosa, além de entrevistas exclusivas com personagens como Eurico Miranda, Andrés Sanchez e Alexandre Kalil, o autor conta a história do futebol brasileiro e mostra como há muito tempo, desde bem antes do que se imagina, o esporte das massas é também um grande negócio — cujos segredos ajudam a explicar por que seu time do coração se encontra na situação em que está nos dias atuais.

Sobre o autor:

Rodrigo Capelo é jornalista, graduado em comunicação social. Começou como repórter na Máquina do Esporte, passando por Época Negócios, Época e O Globo. Atualmente, escreve para o ge e comenta no SporTV. Especialista na cobertura de negócios do futebol, o autor aborda dinâmicas econômicas e políticas do esporte, explorando áreas como finanças, marketing e gestão. Foi o jornalista que revelou a corrupção no Cruzeiro, em reportagem veiculada no Fantástico. Além de conteúdos variados sobre os principais clubes do Brasil, Capelo escreve anualmente uma série sobre as finanças do futebol.

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Viva bandeira de melo