Filipe Luís explica adaptação ao futebol brasileiro e disseca função exercida com Rogério Ceni

Desde 2019, o Flamengo investiu pesado em contratações de nível europeu para reformular o elenco. Assim, Filipe Luís decidiu deixar o velho continente e reforçar a defesa do Mais Querido. O jogador precisou se adaptar ao esquema de jogo brasileiro, e assim, revelou como foi sua mudança de posição com os treinadores do Rubro-Negro.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Cheguei jogando assim no Flamengo, nos primeiros 15 jogos. O Jorge Jesus não gostava que eu ficasse tão por dentro. Gostava que eu passasse quando a bola estivesse no corredor. Com o tempo fui me adaptando ao jogo do Jorge. Tive um dos meus melhores momentos. Veio o Dome, e o Dome adaptava dependendo de cada jogo, mas eu estava passando muito mais do que hoje.

– Agora eu passo na boa, com essa função que o Rogério me deu. Uma função de construção, de marcação. Acho que o time todo ganha. Temos um lado direito muito profundo com o Isla, é um jogador que sabe romper no espaço como ninguém, e do lado esquerdo temos o Arrasca, que sabe tabelar, e o Bruno que é mais profundo e vai no espaço. A gente se completa como um todo no time. E mesmo os jogadores que estão no banco entram sabendo a função que têm que fazer. Agora, neste momento, minha função é toda pelo Rogério. Tudo foi ele que pensou e falou para mim. Fizemos a partir da ideia dele.

Com Filipe Luís à disposição, mas sem Rogério Ceni na beira do campo (diagnosticado com Covid-19), o Flamengo visita o Coritiba nesta quinta-feira (10), às 19h (horário de Brasília), no Estádio Couto Pereira. O duelo, válido pela ida da terceira fase da Copa do Brasil, será exibido pelo SporTV. Porém, o Coluna do Fla, como de costume, traz a transmissão mais pé quente e rubro-negra da internet, via YouTube.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *