Especulado no Flamengo, Rui Vitória já deu declarações polêmicas sobre Gabigol

Técnico já trabalhou com Gabigol durante a passagem do atacante pelo Benfica


O Flamengo vai à Europa em busca da contratação de um técnico para a temporada de 2022. Os dirigentes, Marcos Braz e Bruno Spindel, possuem algumas reuniões marcadas e, uma delas, é com Rui Vitória. O treinador está no radar do Rubro-Negro, e é importante destacar que ele já deu declarações polêmicas sobre Gabigol.


A relação entre o camisa 9 do Flamengo e Rui Vitória não foi das melhores. Durante a passagem de Gabigol pelo Benfica, o técnico estava à frente da equipe portuguesa e é apontado como um dos principais responsáveis pelo atacante não ter tido sucesso no clube. Além disso, Rui já concedeu algumas declarações sobre o jogador.

RELEMBRE ALGUMAS FALAS DE RUI VITÓRIA SOBRE GABIGOL: 

– Setembro de 2017:

“A primeira coisa que eu gostaria de dizer é que não é Gabigol, é Gabriel. Esse (nome) Gabigol é coisa de artista, e não gosto de chamar meus jogadores assim. É Gabriel.”

“O Gabriel está trabalhando bem, é evidente que ainda está em uma fase de adaptação e, quando estiver bem, espero que esteja em condições de corresponder. É um jogador de qualidade, como todos os outros que estão no Benfica, está em um período de adaptação, hoje não jogou e vamos ver nos próximos jogos.”

– Fevereiro de 2018:

“Gabriel é um jogador de qualidade e tem facilidade para fazer gol quando aparece na cara do goleiro. Mas há contextos e momentos na vida de um jogador, na vida dos clubes, contextos até sociais que podem não ser os mais adequados. Eventualmente, em um outro momento poderia ter apresentado outro rendimento. No Santos deve ter um contexto muito favorável. Às vezes há jogadores que devem estar em um outro contexto, em outro clube, em outro país, com outro treinador e com outros torcedores. Vejo isso com naturalidade. Fui um dos primeiros a considerar bom o seu retorno ao Brasil, porque está em um clube em que foi feliz e onde pode encontrar novamente essa felicidade.” 

– Abril de 2021:

“O Gabigol veio emprestado do Inter, onde estava sem jogar. Quando chegou nós tínhamos o Jonas, o Raúl Jiménez, o Seferovic… e o Gabigol apareceu com muito menos idade [21 anos] e altas expectativas. É um jogador com enorme potencial, precisava de um contexto muito favorável para poder mostrar qualidade e exprimir todo o seu futebol, algo que acabou por acontecer no Flamengo. Talvez por ser mais novo, às vezes a maturidade, um contexto diferente faz com que… os avançados muitas vezes precisam de mais um ano em cima em termos de experiência, assim começam a perceber o campeonato, as defesas, etc. A maturidade é importante. A culpa não foi dele, não foi minha. Foi o contexto.”

“Tem qualidade? Claro que tem. Foram seis meses em Portugal, em Itália também não teve rendimento, mas encontrou um contexto diferente no Brasil. Hoje está mais preparado para jogar no futebol europeu, que é mais tático, mais desgastante do ponto de vista mental, mais constante nos ritmos de treino, na intensidade mental. O foco precisa ser muito elevado, correr, defender, é um futebol que tem um determinado perfil. Ele não funcionou em Portugal num curto período de tempo, mas não deixa de ser um jogador com qualidade e que em qualquer outra equipa pode vir a render.” 

As melhores ofertas para produtos do Flamengo: aproveite desconto e brindes!

Enquanto Rui Vitória falou, publicamente, de Gabigol em algumas oportunidades. O atacante, por sua vez, concedeu apenas uma declaração relembrando a passagem pelo Benfica. Na ocasião, em abril de 2019, o jogador, que já estava no Flamengo, apontou “poucas oportunidades” e disse: “No meu primeiro jogo a titular, fiz gol [frente ao Olhanense, para a Taça de Portugal]. Não tive sequência. Gosto de me sentir importante no plantel”.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • John Smith, não discordo da palavra contexto só não vejo motivos para ser repetida oito vezes

  • Mesquita, contexto é uma forma resumida de dizer que as circunstâncias do momento o favorecem. No Flamengo, ele se encaixou em um esquema de jogo que privilegia a sua movimentação, um grupo qualificado que o favorece na construção das jogadas e direção técnica “sabe” lidar com personalidades fortes. Esse é o motivo pelo qual muitos jogadores se dão bem no Brasil, mas tem dificuldades de se acertar no futebol estrangeiro.

  • Também não falou coisa com coisa só sabe usar muito a palavra contexto, parece ter aprendido a palavra contexto e gostou muito dela, contexto não joga bola

  • Não vi nada demais nas declarações. Muitas delas inclusive em minha opinião bastante acertadas. Mas dizem que o clima entre eles não era bom. Talvez porque o Gabriel seja um pouco estrelinha, achou que por estar no Benfica deveria jogar. Mas o ataque deles era muito bom, Jonas era excelente, inclusive acho que deveria ter ido pra Copa aqui no Brasil, e o Raúl Jiménez também é ótimo, provou sua qualidade na Premier League. O melhor pro Gabriel foi ter voltado pro Brasil mesmo, na Europa ele dificilmente ia despontar com esse temperamento que ele tem.

  • Nada demais. Bastante ponderado e sem ofensas pessoais.