Paula Mattos: “Imprensa faz esforço para tirar o Pedro do Flamengo”

Palmeiras cogitou fazer proposta pelo jogador mas diretoria do Fla rechaça qualquer negociação


Nos últimos dias, o interesse do Palmeiras em contratar Pedro, atacante do Flamengo, tomou conta do noticiário rubro-negro. O clube paulista chegou a sinalizar que estaria disposto a pagar um valor de R$ 110 milhões + um jogador. No entanto, o Mengo não tem a intenção de negociar o atleta, principalmente para um adversário direto. Em meio a isso, Paula Mattos, comentarista do Coluna do Fla, questionou o ‘esforço’ da imprensa, que tenta colocar o camisa 21 no rival.

Eu acho engraçado que quando o Pedro estava na Fiorentina, por exemplo, que ele não era titular, ninguém levantou nenhuma possibilidade do Pedro estar infeliz, triste ou mal aproveitado. Ninguém nem lembrava do Pedro. Mas foi só ele vir para o Flamengo que começaram a aumentar e tentar forçar uma rivalidade entre Pedro e Gabigol, justificando que ele vive às sombras do Gabi, que ele sempre seria um reserva de luxo — afirmou, antes de prosseguir:


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Não tem essa de Pedro mal aproveitado, não tem essa de Pedro triste no Flamengo, e não tem essa de que ele nunca seria convocado (para a Seleção) porque ele é reserva. O que me incomoda é que estão fazendo um esforço estratosférico para tirar o Pedro do Flamengo e levá-lo para o Palmeiras, justificando apenas a questão da reserva. A mídia embarca em uma rivalidade que não existe, e começa a especular problemas no elenco que não existem, e corroboram para um discurso em massa que não existe. O Pedro sempre mostrou estar muito feliz no Flamengo — disse.

Em meio ao interesse do Palmeiras, Pedro segue trabalhando no Flamengo e, junto com os companheiros, se prepara para o próximo compromisso do Mais Querido. Neste sábado (12), o Rubro-Negro entra em campo pela 11ª rodada do Campeonato Carioca, diante do Bangu. A bola rola às 19h30 (horário de Brasília), no Maracanã, na primeira partida do ano no estádio – que estava fechado por conta da reforma no gramado.

VEJA A OPINIÃO COMPLETA:

Veja também