Interesse do Flamengo em estádio próprio é ‘cortina de fumaça’, diz jornalista

Clube busca uma praça esportiva em alternativa ao Maracanã


Atual permissionário do Maracanã ao lado do Fluminense, o Flamengo tem mostrado descontentamento com a briga judicial envolvendo o Vasco, que exige atuar no estádio. Por conta disso, o Rubro-Negro cogita ‘abandonar’ a licitação e pretende construir uma arena em alternativa à praça esportiva que administra. No entanto, para o jornalista Roberto Nazário, a ideia é uma “cortina de fumaça”.

Isso (construção do estádio) parece uma cortina de fumaça para minimizar o impactado do que aconteceu em relação ao Maracanã, por conta do Vasco. E até o Vasco já está começando a ventilar que pode exigir outros jogos da Série B no Maracanã. Esse imbróglio pelo jeito não está perto de acabar — disse o jornalista.

Roberto Nazário ainda ressalta que a promessa de campanha do presidente Rodolfo Landim não tinha como prioridade a construção de um estádio para o Flamengo. Por isso, o jornalista acredita que o interesse não passa de uma “cortina de fumaça”, já que viabilizar o projeto é algo muito complexo.


Camisas do Flamengo, acessórios e muito mais: compre e ganhe brindes na melhor loja online do Mengão!



Está muito longe de acontecer, em função da dificuldade de terrenos para serem comprados no Rio de Janeiro. E um ponto que seja centralizado, melhor localizado para a torcida do Flamengo — pontuou Nazário.

Além disso, o jornalista também ressalta que a construção do estádio na Barra da Tijuca, local de maior interesse por parte do Flamengo, seria prejudicial para quem mora na Baixada Fluminense ou em Niterói, por exemplo. A região, inclusive, é palco de discussão por parte da associação de moradores.

Eventos que ocorrem no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, que possuem capacidade para cerca de 20 mil pessoas traz transtornos para o bairro. Por isso, um estádio com capacidade para 60 mil espectadores “traria o caos”. Vale destacar, inclusive, que a região não possui acesso por metrô, apenas com o corredor rodoviário do BRT.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Se fosse o Bandeira de Mello também seria blefe, pois ele foi outro que desistiu facilmente da construção do estádio.

  • O presidente é o Landim? Então é cortina de fumaça mesmo! Se estivéssemos com o eterno Eduardo Bandeira de Melo, a história seria outra…