Wright revela segredo sobre polêmico Flamengo x Atlético-MG na Libertadores de 81

Quase 40 anos após a maior conquista do Flamengo no futebol sul-americano, a Libertadores de 1981 ainda é um título contestado. Grande parte da polêmica é ligada à partida contra o Atlético-MG, na qual o árbitro José Roberto Wright expulsou cinco atletas da equipe mineira e o rubro-negro venceu por W.O.

O ex-árbitro conversou com o jornalista Rica Perrone e falou sobre o caso. De acordo com Wright, suas atitudes na partida foram corretas, desta forma, ele não se vê como injusto ou culpado pela vitória do clube da Gávea.

— O que você considerou um erro foi o maior acerto que eu tive. O jogo tava difícil, pegado, muita pancadinha. Chegou uma hora eu não tinha mais condições de segurar na base da bronca. Chamei os dois capitães e disse “O primeiro que der, sai!“. O que eu vou contar agora é a primeira vez que revelo. Quando chamei os dois capitães e avisei que expulsaria, o Reinaldo virou pro Nunes e disse “duvido, não vai expulsar ninguém!”. Então foi uma expulsão mais do que logica. Ou você se impõe ou é engolido —, disse Wright.

CONFIRA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:

https://soundcloud.com/cara-a-tapa/jose-roberto-wright-fala-de-flamengo-x-atletico-em-1981

Veja também

  • Daqui a pouco vão dizer q é o Sport o campeão da libertadores de 81… Cuidados!

  • O xororô atleticano acabaria com uma entrevista com Cerezo, Zico e Júnior.
    Até Cerezo, que dava as suas pancadas, entendeu o anti jogo de sua equipe.
    CHEGA DE XORORÔ!
    O Mengão venceu a Libertadores daquele ano e foi campeão MUNDIAL!!!

  • A confusão e a atitude anti-esportiva dos jogadores do Galo começaram fora de campo.
    Estavam todos hospedados no mesmo hotel e os jogadores do CAM foram proibidos de falar com os do Flamengo. Zico e Cerezo ficaram em total saia justa.
    A orientação que se “leu”disso tudo foi “vençam a todo o custo”.
    Basta rever o jogo. O time do Atlético, estava mordido pelo título perdido em 1980 e não queria deixar o time do Mengão jogar, com a estratégia da violência em todas as bolas divididas.
    Luciano do VALLE, que narrou o jogo pela Globo, disse que quase sempre o jogo era parado com falta, quando a bola era do Mengão. Era morder calcanhar o tempo inteiro.
    A primeira expulsão foi de Reinaldo, que deu uma tesoura, por trás, no Zico. Depois, foi a vez de Éder dar um tranco no juiz: expulso. Durante uma confusão, Chicão disse o que bem quis, para J.R. Wright, assim como Palhinha, e ambos foram expulsos.
    Depois, tal foi o xororô que todos já sabem. Atleticanos e os anti-rubro negros (Brasil – rubro negros) se juntaram numa campanha para inverter a realidade do jogo.
    Não esquecer mais a frase do J.R. Wright, aos repórteres de campo: “Os jogadores do Atlético cometeram o anti-jogo. Vieram aqui para não jogar futebol, com instrução vinda de fora. Não é a primeira vez que esta equipe faz isto”, o que foi uma verdade.
    Júnior Maestro chegou a dar uma entrevista, ainda em campo, sobre o que estava acontecendo e disse que, se Wright não fizesse o que fez, algo grave iria acontecer.
    Questão parecida com o título de 1987. Alguém duvida de quem é o verdadeiro campeão daquele ano?
    SRN!

    • Isso aí! Não é à toa que nos chamam de ladrões, sendo que eles são os imorais de toda história do nosso desporto. É a lógica do psicopata.

      Eles se unem para nos difamar. Flamengo x arcoíris united e nós somos o lado do bem.

  • Os cara tava batendo no zico as loucas, tem que expulsar mesmo

  • Esse ex-árbitro foi muito injustiçado nesse jogo. A verdade é está aí. O patético é um time psicótico. Os caras fizeram o inferno subir a terra antes, durante e depois dessa fatídica partida. Mereceram cada expulsão e perder o jogo. Quem sabe das estórias desses jogadores das lurdinhas também sabe quanta cocaína estava no sangue desses loucos. Sabe o quanto o pai do Kalil fez pressão nos bastidores antes do jogo?

    “Em artigo brilhante publicado na mesma Placar, na edição de 12 de março de 1982,
    o jornalista e escritor mineiro Roberto Drummond, atleticano histórico,
    era preciso ao detectar, já no título: “O mal do Galo é cultivar a
    neurose do Flamengo”. Segundo ele, desde a derrota por 5 a 1 no célebre
    amistoso de 1979 em que Pelé vestiu a camisa rubro-negra, os atleticanos
    viviam uma obsessão: dar o troco na mesma moeda.” – Blog Somos Flamengo

Comentários não são permitidos.