fbpx

Matheus Brum: “O que falta é futebol”

Foto: Dhavid Normando/Futura Press/Folhapress

Olá, companheiros e companheiras de Coluna do Fla. Estamos de cabeça cheia por causa da derrota de ontem. Mas, eu e diversos outros colunistas deste site estamos alertando desde o início do ano sobre a forma como o time está se comportando em campo. Seja nas vitórias ou derrotas, escrevemos sobre o futebol pífio que o rubro-negro está jogando. Infelizmente, muitos dos que nos leem “sentam” no resultado e nos xingam quando apontamos as falhas da equipe.

Essa coluna não é um “eu avisei”, até porque não tenho tal pretensão. Apenas peço pra que cada um olhe e analise bem pro Flamengo que entrou em campo ontem. Foi a personificação de todos os erros que tenho apontado desde o início do ano: falta de compactação defensiva, criatividade e um estilo de jogo que funcione.

O ridículo primeiro gol da LDU mostra muito bem isso. Faltando vinte segundos pro fim do primeiro tempo, Pará dá um bico na bola, pra ninguém. O zagueiro do time equatoriano domina e dá outro chutão. Nossa zaga dormiu, não viu o atacante, assim como Pará, que ficou parado, dando condição. Além disso, Diego Alves tava no gol, quando a maioria dos goleiros se adianta pra poder dividir com o atacante.

Outro dado assustador é como o time recuou (como de praxe), após abrir o placar. Até o gol de Bruno Henrique, estávamos com 61,2% de posse de bola. Depois, este número caiu pra 37%. Em determinados momentos, de acordo com o site de estatísticas Footstats, a LDU chegou a ficar mais de 70% do tempo com a bola nos pés.

O mapa de calor da equipe mostra que a produção ofensiva foi pequena, com a bola concentrada no meio e na intermediária defensiva. Ao fim da partida, Everton Ribeiro deu a seguinte declaração: “Faltou jogar mais próximo, para aproveitar os espaços que a LDU estava nos dando. A gente precisava jogar coletivamente. A gente deixou muitos espaços, tanto na frente quanto na defesa. Isso dificultou para todo mundo”.

Mapa de calor mostra como que o Flamengo ficou mais com a bola na defesa e no meio. Segundo as estatísticas, apenas 19% do jogo, o rubro-negro ficou com a bola no ataque (foto: Footstats)

E o camisa 7 tem razão. Falou coletividade. Acima de tudo, faltou um padrão de jogo. Só que este problema acontece desde o início do ano. Disse aqui após da vitória contra o San José (onde fui xingado até a alma). Nossas vitórias estão acontecendo com base na individualidade, mas tem hora que não vai funcionar, principalmente diante de adversários mais classificados. Não adianta termos dinheiro e um dos melhores elencos do país se futebolisticamente isso não se apresenta em campo.

E a parte mais desagradável vem de uma ala da torcida, que só sabe fazer a análise por trás do resultado. Infelizmente, no Brasil, vivemos a síndrome de 1994: o que importa é ganhar, não interessa como. Só que jogando mal, sem padrão, as chances diminuem. Uma equipe estruturada pode não vencer todas, mas o caminho pode ser mais tranquilo.

E essa crítica ao trabalho do Abel precisa ser feita. Precisamos analisar o que o time está apresentando. Esses erros, como o chutão do Pará, a paralisia do Diego Alves, a falta de marcação no segundo gol e a dificuldade de criar jogadas são resolvidos com treinamento. A pergunta que fica é: como este time treina? Quais são as atividades passadas pela comissão técnica?

Não podemos ficar em cima das velhas “muletas”, como altitude, cansaço, maratona de jogos, etc. O que falta é futebol. E o treinador precisa ser cobrado por isso.

Acredito que, minimamente, as coisas estão mudando. A mudança do sistema de jogo, com Gabigol na direita, ER7 no meio, Arrascaeta na esquerda e Bruno Henrique no comando de ataque pode render frutos. Mas é preciso movimentação dos jogadores. E mais, é preciso que a bola chegue com qualidade. Por isso o trabalho dos volantes é imprescindível. Só que a insistência com Arão é surreal. Não consigo encontrar embasamento tático, técnico ou estatístico que comprovem sua “intocabilidade”. Aliás, os dados que temos vão na contramão. Ontem desarmou menos que Arrascaeta, que jogou apenas 45 minutos. E em todo o momento, o vemos correndo errado. Ou muito pra trás, ou muito pra frente.

Com o time que temos, podemos vencer qualquer partida de uma forma bem simples: jogando futebol, não pelada.

16 Comentários

    • Amigo as criticas não são injustas, eles merecem! um time muito técnico, mas de jogadores Nutella, mimados, não é um elenco montado pra ser copeiro, quando tomam um gol arregam, quando tomam uma pancadinha pedem pra sair, não são jogadores de libertadores, com exceção do Cuellar que não se intimida com ninguém!!!

  • Tá certíssimo amigo,ganham um rio de dinheiro e não fazem jus a ele,falta a famosa”RAÇA RUBRO NEGRA”,pois talentos eles tem só falta botar em campo.

  • O QUE FALTAR É OS JOGADORES NÃO COMETEREM TANTO ERROS INDIVIDUAIS. QUANDO UM JOGADOR ERRARPROBLEMA NÃO É ESQUEMA DE JOGO ( TIVEMOS 2 ERROS INDIVIDUAIS ONTEM,POR ISSO VEIO A DERROTA) ESSA OBSESSÃO PELA ” LIBERTADORES ” VEM PREJUDICANDO O MENGÃO NESSES ANOS QUE DISPUTAMOS.CLUBES BRASILEIROS PERDERAM A FÓRMULA DE JOGAR UMA LIBERTADORES. NÃO É SÓ TER UM ELENCO DE ÓTIMOS JOGADORES QUE VÃO SER CAMPEÕES ( MENGÃO / PALMEIRAS / CRUZEIRO / GRÊMIO TODOS ANO PASSADO TINHA EXCELENTE PLANTEL NEM NA FINAL CHEGARAM ) QUALQUER UM QUE DIGA QUE UM MENGÃO DO ANO PASSADO TINHA UM TIME MELHOR,PODE TER CERTEZA QUE VENDO OUTRO ESPORTE ( ANO PASSADO GIRAVA A BOLA PRA TDS OS LADOS DO CAMPO E MAIS NADA.RESULTADO NENHUM TÍTULO. NEM EM FINAL CHEGAMOS) VEJO GALERA FALANDO EM ” RUEDA ” NÉ ESSE TREINADOR QUE PERDEU UMA FINAL DE LIGA SUL – AMERICANA NO MARACANÃ LOTADO ( ENTÃO SERVE ESSE KKK )… TORCEDORES FLAMENGUISTAS QUEIMAM QUALQUER JOGADOR E TREINADOR ISSO É FATO. ( ESSE ANO VEJO UM TIME QUE JOGAR PRA DISPUTAR AS COMPETIÇÕES. NÃO VAMOS GH TODOS OS JOGOS,ISSO IMPOSSÍVEL. MAIS COM CERTEZA MUITO MELHOR QUE DO ANO PASSADO.AFINAL FUTEBOL E FEITO DE CONQUISTAS NÉ ( UM CAMPEONATO DISPUTADO,1 TÍTULO CONQUISTADO) E TODOS SABEMOS QUE CARIOQUINHA É UM LIXO,MAIS ESSE LIXO ESTÁ EXPOSTO NA ” GAVÉA ” E VI TORCEDORES BRABOS QUANDO ABELÂO ESCALAVA TIME RESERVA. DEIXEM DE SER TORCEDORES TRAIRAS,E VIRAM TORCEDORES FIÉIS AO MANTO ‘ SAGRADO ” SRN

    • errado. Não foi só pelos erros individuais. Time coletivamente jogou mal. segundo tempos nao tivemos ataque

    • concordo com o Pedro Reis, e digo mais… só aparecem os erros individuais porque o Flamengo não tem coletivo, é cada um por sí… um bando em campo obedecendo um técnico ultrapassado!!!

  • Galera o Flamengo nos últimos anos parou de revelar grandes jogadores para contratar e talvez seja esse o problema muitos jogadores que vem de fora com grande status não sabe como eh o flamengo já os meninos da base são diferentes eles crescem no flamengo e sabem como eh que é aqui dentro do clube eles sabem como se comportar em um jogo importante acho que jogadores como Lincon e Ronaldo deveriam ter mais oportunidades assim como o klebinho lateral que tem muita qualidade se botaram os meninos para jogarem a maioria vai corresponder tenho certeza ano passado o flamengo evoluiu muito com Paquetá e Vinicius Jr

  • Arão joga na velocidade e estilo de um veterano, Pará não merece comentários. Pare de inventar Abel Braga!!!

  • Discordo que essa mudança na posição dos jogadores de frente vai render frutos! prefiro cada um na sua… gabriel centroavante, bruno e everton nas pontas com liberdade de flutuar pro meio e o Arrascaeta na armação… e o Arão não pode mais ser titular! o Cuellar não aguenta mais correr sozinho ali cobrindo as duas laterais, vai acabar saindo do clube porque todo treinador que entra explora ele pela sua boa vontade… quando deveriam dar um aumento de salário e colocar alguem pra ajudar ele!

  • Falta futebol mesmo. O Pará é ridículo. O Renê é irregular. Os 2 zagueiros não ganham uma bola de alçada na área. O Arão é medíocre. E os caras que deveriam ter jogado e se escondem em decisões, mais uma vez desapareceram (Diego, E.Ribeiro, Arrascaeta, B.Henrique, Gabigol. Muita grana e pouquíssimo futebol. Só um milagre pra se classificar.

  • Tem elenco e ótimos jogadores. Falta time e escolhas certeiras nos passes e contra ataques. Ou seja, falta treinamento como um TIME de futebol competitivo, não como um time de torneio de várzea.

  • Criação de sites e aplicativos para celular