Marcos Vinicius: “Recordes, recordes e mais recordes…qual será o próximo?”

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

“Quebrar esse tabu de 45 anos foi importante, mas hoje, somos torcedores e queremos que esses jogadores atuais façam o que a geração de Zico fez. Que conquistem a segunda Libertadores e quem sabe o segundo Mundial?”, disse Rondinelli, considerado o “Deus da Raça”, ao Coluna do Fla.

Na ocasião, quebrou um tabu de 45 anos sem vencer o Athletico-PR em Curitiba, já que o último triunfo foi em 1974, quando Zico e Paulinho marcaram os gols da vitória por 2 a 1.

Rodada a rodada, o time de Jorge Jesus é motivo para discussão nos programas esportivos, na fila do ônibus, dentro do banco, no almoço entre colegas da empresa, na praia ou numa curta viagem de Uber. E assim foi, na última vitória sobre o Athletico-PR na 25ª rodada, onde o Mais Querido chegou aos 58 pontos, abrindo oito de diferença para o vice-líder Palmeiras e dez para o Santos, terceiro.


Um banco sem tarifas! Venha para o BS2, aqui cuidamos de seu dinheiro, e você ainda ajuda seu time do coração!


E as discussões são giradas em torno dos recoredes sucessivos que o Flamengo vem batendo nesta versão BR/2019, vejamos:

Ao vencer o Cruzeiro por 2 a 1, o Rubro-Negro emendou sua sétima vitória e ultrapassou em sequências de vitórias do Mais Querido na história do torneio de pontos corridos, as equipes de 1978, 1982 e 2015, todos com seis jogos. BATIDO.

Na história do Flamengo em Brasileiros, com os três pontos conquistados na Arena da Baixada, os comandados de Jorge Jesus estão há doze partidas sem saber o que é derrota. Já ultrapassou o time de 1982 (11) e está atrás apenas do de 1997 (13), do de 1974 (14), do de 2011 (16) e do de 1980 (17). BATIDO.

A campanha do Clube de Regatas do Flamengo com Jorge Jesus chama tanto a atenção, que um dado quase passou desapercebido: ao vencer o Athletico por 2 a 0, o time completou um turno inteiro batendo recordes. O Flamengo completou 19 jogos, com 15 vitórias, 3 empates e uma derrota e somou impressionantes 48 pontos. Mais que o Corinthians em 2017, e o Palmeiras em 2018, que fizeram 47 pontos, com 14 vitórias e 5 empates. BATIDO.

Na Arena Condá, no jogo contra a Chapecoense, na 24ª rodada, o 1 a 0 garantiu não só apenas a manutenção da liderança mas também quebrou o recorde de pontuação após 23 rodadas da competição: com 52 pontos conquistados, o rubro-negro estabeleceu um novo recorde no torneio. BATIDO.

Contra a Chapecoense, Bruno Henrique marcou o gol da vitória (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Antes era o São Paulo de 2007, o Cruzeiro de 2013 e o Corinthians de 2015 e 2017, que somavam na 23ª rodada, 50 pontos e não deixaram escapar o título. BATIDO.

Em 2013, em seu quarto título de campeão brasileiro, Vanderlei Luxemburgo conseguiu com o Cruzeiro, o melhor aproveitamento na era dos história em pontos corridos, com 72,5%. O Flamengo já chegou a 75,4%. BATIDO.

A torcida do Flamengo já tem a melhor média de público nos estádios em um ano do Brasileiro nos pontos corridos. Em 2018, foram 47.139 rubro-negros por jogo. Neste ano, a média é bem superior: 52.639 pessoas. BATIDO.

Ao final desta 23ª rodada, o Flamengo tem sete jogadores na seleção do 50º prêmio ESPN Bola de Prata: o goleiro Diego Alves, o lateral direito Rafinha e o zagueiro espanhol Pablo Marí, o volante Willian Arão, o meia Éverton Ribeiro e os atacantes Arrascaeta e Gabriel. O recorde é do Palmeiras, que em 2016, teve seis nos melhores do ano. A BATER.

Quando o Brasileiro passou a ter 38 rodadas, o Cruzeiro de 2003 foi o time que mais balançou as redes: 55 vezes. O atual líder tem até aqui, 53. A BATER

O Flamengo precisa somar 24 pontos dos 39 que irá disputar, ou seja, se vencer mais oito partidas das treze que restam, chegará aos 82 pontos e ultrapassará o Corinthians que fez 81 em 2015. A BATER.

O Cruzeiro, com seus 77 gols marcados na edição de 2015, é o time a ser superado. O Flamengo tem 53 e faltam 24 em 13 partidas a serem disputadas, que dá uma média de 1,84 gol por partida. A BATER.

Ataque mais contundente de todas as edições de Brasileiros, em 2004, o Santos de Robinho, Elano e Deivid e treinado por Luxemburgo, teve média de 2,24 gols por partida, enquanto a equipe rubro-negra está com a média 2,09 bolas nas redes a cada jogo. A BATER.

No mesmo ano, o centroavante Washington “Coração Valente”, marcou 34 gols com a camisa do Furacão e sagrou-se vice do Brasileiro. Máximo goleador do Nacional neste ano, Gabigol tem 18 e restam 13 partidas. A BATER.

Ao final desta 23ª rodada, o Flamengo tem sete jogadores na seleção do 50º prêmio ESPN Bola de Prata: o goleiro Diego Alves, o lateral direito Rafinha e o zagueiro espanhol Pablo Marí, o volante Willian Arão, o meia Éverton Ribeiro e os atacantes Arrascaeta e Gabriel. O recorde pertence ao Palmeiras, com seis jogadores em 2016. A BATER.

O garoto Reinier, de 17 anos, pode ser o mais jovem a ser Campeão Brasileiro como jogador, ao lado do companheiro Diego Ribas, que venceu o título pelo Santos em 2002, com apenas 17 anos. A BATER.

Ao total, são sete recordes batidos e oito que poderemos bater dezembro.

Portanto, até lá, o Flamengo causará muitos debates nos programas esportivos, você poderá se distrair e perder seu ônibus mesmo estando na fila, as pessoas reclamarão que você está conversando muito quando no banco se exige silêncio, vai se atrasar na volta do almoço com os colegas da empresa e será chamado a atenção pelo chefe, vai entardecer na praia e doer no bolso a curta viagem no Uber.

Isso aqui é Flamengo!

Em tempo: na coluna do dia 1° de outubro, intitulada “Jesus x Renato: o confronto”, cometi um erro imperdoável. Não coloquei um asterisco no rodapé do texto e não dei crédito ao Ricardo Gonzalez, jornalista e comentarista dos canais Sportv, ao extrair partes de sua brilhante coluna para a minha. Venho aqui pedir perdão ao nobre colega e aos leitores.

Por: Marcos Vinicius
Twitter: @ViniciusCharges


Aqui eu expresso minha opinião, e você leitor tem todo o direito de discordar. Comente, critique sem ofender ou elogie se merecer, mas não deixe de participar.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Nao percebi a parte dos melhores ataques.
    1 foi cruzeiro de 2003 com 55 golos. Mais tarde afinal foi cruzeiro de 2015 com 77 golos. Depois ja é o Santos de 2004 sem informacao do total mas com media 2,24 por partida.
    Fico sem saber quem foi o melhor ataque.

  • Favor corrigir equívocos nos parágrafos 10, 13, 14 e 15 Vanderlei Luxemburgo não treinava o cruzeiro em 2013. Era Marcelo Oliveira. E nos quesitos gols e pontos está confuso 77 ou 55?

  • Revisa o texto antes de mandar. muito erro de digitação.