Anderson Alves: “O Flamengo se ressente de sua torcida”

Lá vamos nós e você pensou que era uma coluna que passava pano para alguém e escondia defeitos do atual momento. Achou errado! O momento do time é difícil e as respostas aos questionamentos não são simples. Não podem ser. A verdade é que dificilmente se vai conseguir uma resposta unívoca que garanta um culpado e satisfaça. A resposta que mais chega perto de uma unanimidade é que o time sente falta daquele jogador que levanta a moral quando as coisas dão errado. Que empurra os companheiros quando não consegue ir na técnica. Que está sempre caçando os adversários onde quer que estejam. A torcida.

 

Mas antes disso não vamos mascarar o momento. O Flamengo vai mal. Desde o abandono do treinador, passando pela pandemia e culminando no fracasso do preparo físico dos jogadores que se apresentam muito abaixo física e tecnicamente. Colocar a culpa no “Jesus” da vez, coincidentemente o técnico, mas o novo não o velho, é encontrar um culpado pouco culpado para o momento. Não. Não estou dizendo que ele é completamente inocente, apesar de entender que sua culpa é absolutamente ínfima.

 

Honestamente, precisamos entender que mudar a filosofia de jogo do time sem um tempo adequado para tal é kamikaze. Temos comprovado a olhos vistos como não tem funcionado. Minha impressão é que o espanhol implantando sua filosofia nos mostrará resultado, apesar de não entender algumas vezes suas substituições até aqui, mas não vamos esquecer que JJ tirou Arrascaeta e Everton no mundial.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


O Flamengo teve uma queda física vertiginosa. Não é que não somos os mesmos do ano passado. Não somos os mesmos dos jogos ruins com o Fluminense. Nosso preparo está vergonhoso. Temos visto os jogadores caindo pelas tabelas e profissionais nessa área precisam ser contratados e cobrados. O português levou toda a sua equipe, então deve haver buracos a serem preenchidos, mas está vergonhoso neste quesito o time. A parte física é quem dá suporte para a parte técnica aparecer. Sem ela, até gênios viram medíocres.

 

Ficamos vários dias parados depois da final estadual. Muita gente diz que todo o problema do Flamengo agora é reflexo deste período sem jogos, sobretudo na mídia. Ficar sem treinador este período é pouco para eles… A verdade é que a saída conturbada do JJ foi vital para os problemas que estamos enfrentando.

 

Não podemos ignorar o fato de que os jogadores com a língua para fora e acossados por adversários famintos de vencer o atual campeão olham para o lado e não encontram o maior norte que se acostumaram a buscar. Aquele grito uníssono “Vai pra cima deles, Mengo”! que empurrava o time sempre pra cima e não deixava descansar nem os nossos jogadores, nem os deles. A pandemia transformou o Flamengo em mais um time e nem sei se seria desejável que o clube encontrasse solução para este problema. Depender da sua torcida é o que torna o Flamengo tão original como é. É diferente!

 

Fato é que o time precisa dirimir este problema o mais rápido possível para que o encontro do Flamengo com sua torcida seja em condições de título e festa. Vai pra cima deles, Mengo!

 

Anderson Alves, O otimista

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • # FORA ESTAGIÁRIO, em 15 dias acabou com uma hegemonia de um ano

  • Muitas verdades estão escritas
    Desde a saída do ex técnico, o peso mas costas do Dome, o mau preparo dos jogadores, as substituições estranhas do Dome e as do Jesus, além do grande papel que a torcida do Flamengo exerce. A equipe precisa acordar, senão quando o público voltar não terá mais o que fazer.
    Nós só lembramos o final do Jesus, mas o começo dele foi muito estranho também.
    Se no grupo não tiver quem acorde os jogadores, o Flamengo está precisando de alguém de fora que se meta no trabalho, de um tapa na mesa e mexa com o brio de todos.
    Acorda Mengão, ainda dá tempo.