Ex-jogador relembra passagem difícil pelo Flamengo: “Quase larguei o futebol”

FOTO: DIVULGAÇÃO / LAZIO

Detalhes no futebol podem acabar com a carreira de um jogador, como aconteceu com André Dias. Tricampeão brasileiro pelo São Paulo, o agora ex-atleta tivera uma rápida passagem pelo Flamengo, mas as recordações não são das melhores. Isso porque, ele quase largou a carreira após receber ‘conselho‘ de um funcionário do Rubro-Negro, que sequer o conhecia.

Após se destacar pelo Paraná, André Dias foi contratado pelo Flamengo em 2002. Contudo, as coisas não fluíram conforme o esperado. Além disso, o ex-jogador conviveu com atraso salarial, algo que dificultou, inclusive, as compras de mantimentos para a casa, como revelou em entrevista à ESPN.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Com dinheiro ou sem, as pessoas sempre vão ver [o Flamengo] como um time gigantesco. Na minha época era muito ruim em todos os aspectos: dentro de campo, fora de campo, salários… E o nosso time não era ruim: Júlio César, Fernando, André Bahia, Váldson, Alessandro, Felipe Melo, Jorginho, Athirson, Liédson e Felipe. Os treinadores foram Lula Pereira, Evaristo de Macedo e Nelsinho Baptista. Não devo ter jogado uns 15 jogos -, disse o ex-jogador, antes de continuar:

A experiência de ver um monte de caras que iam para a seleção foi um choque muito grande. Eu não tinha ambiente por lá, mas não porque os caras fossem ‘malas’. Ao contrário, eles me tratavam muito bem. Só que me faltou um pouco de personalidade para mostrar o que sabia fazer. Em time grande não tem muita paciência e acabei saindo -, explicou.

Cheguei a fazer as compras do mês com R$ 50 morando na Barra da Tijuca. As pessoas achavam que eu estava milionário por estar no Flamengo. Na época daria para viver tranquilamente com a minha esposa, mas o Flamengo não pagava. Eu tinha que me virar no 30! Cheguei a ficar sete meses sem receber salários somando o período entre o Paraná e o Flamengo -, recordou-se. Ele ainda contou:

André Dias e Flamengo decidiram rescindir o contrato e foi neste momento a situação mais difícil da sua carreira. Um funcionário desconhecido, que nunca havia conversado com o ex-jogador, ‘aconselhou’ o ex-zagueiro a ir estudar. O ex-defensor, depois disso, decidiu a largar tudo, mas a esposa o fez repensar a decisão.

Foi uma experiência tão traumática que só voltava ao Rio quando ia jogar. O Rio é a coisa mais linda, e sei que o Flamengo é gigante, mas para mim foi ruim. Tem clubes que você passa e as coisas não andam. Quando fui rescindir meu contrato com o Flamengo, um cara da contabilidade do clube me disse: ‘Você é novo e está fazendo uma rescisão boa. Vai fazer faculdade. Futebol não dá para você’. Eu nunca tinha visto o cara na vida e ele me jogou esse balde de água fria. Eu pensei que ele tinha razão, porque nada dava certo -, ponderou.

Ela me disse: ‘Você está louco? Eu abandonei a minha família não só para viver teu sonho, mas para te ajudar também. Sei o quanto é difícil. Você morava na favela até esses dias’. Ela me contou toda a minha história porque eu já estava esquecendo. E resolvi tentar mais um pouco. O Abel Braga, que foi meu técnico no Paraná, estava na Ponte Preta e queria me contratar. Eu iria ganhar bem menos, mas queria jogar. O maior problema é que os salários também estavam atrasados -, encerrou.

Após atuar 12 jogos pelo Flamengo, André Dias foi para o Paysandu, onde se reencontrou no futebol. Com atuações de destaque, ele atuou duas temporadas pelo Goiás, antes de chegar ao São Paulo em 2006 e participar ativamente do tricampeonato brasileiro do Tricolor. Depois disso, o ex-zagueiro foi para a Lazio, da Itália, onde tivera destaque e encerrou a carreira.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Pelo contrário F. Walker: é sempre bom relembrar o passado para não repetir as M***** no futuro! E essa diretoria de B**** que está aí, não vai demorar muito para afundar o time em dívidas…
    Fico impressionado mesmo é com a falta de profissionalismo e amadorismo destes dirigentes. Se aconselham ao cara largar o futebol porque não é para ele, então porquê contrataram?

  • Isso é falta de assunto.

  • Ele era ponta direita, jogou com o zagueiro Dequinha.em 74.

  • Quem esse agora, ele jogou na década de 70?

  • Quem esse agora, ele jogou na década de 70?

  • Quem é esse cara!?

  • Houve um tempo que o Flamengo era assim, hoje não mais. Não vejo serventia ficar futucando um passado já distante, trazendo à tona fatos que jamais se repetirão. Nem as mesmas pessoas envolvidas estão mais exercendo qualquer cargo no Flamengo, então…pra quê isso?
    Pelo andar da carruagem, já já vão trazer o “testemunho” do Ronaldinho Gaúcho, do Tiago Neves ou do Vampeta.
    Vamos falar de coisas boas. Somos quase octa-campeões brasileiros. Fica a dica.

  • Os caras querem ver só o que é bonito do clube, entrem só no site do Flamengo então. É de uma burrice sem tamanho a pessoa preferir se manter desinformada do que ver as coisas que acontecem e aconteceram no clube. A verdade dói, mas liberta, temos sempre que recordar esses momentos sombrios pra que não deixemos eles voltarem nunca mais.

  • Boa tarde!!!!
    Senhores editores essa coluna não é Flamengo???? Por que matérias que falam mau do Mengão????? Claro que não devemos tampar o sol com a peneira, mais nesse casos não leva a nada!!! Vamos falar do que é bom e bonito, afinal para falar mau já temos a Globo esporte e as mídias paulistana!!!!
    Saudações Flamenguista!!!

  • Boa tarde!!!!
    Senhores editores essa coluna não é Flamengo???? Por que matérias que falam mau do Mengão????? Claro que não devemos tampar o sol com a peneira, mais nesse casos não leva a nada!!! Vamos falar do que é bom e bonito, afinal para falar mau já temos a Globo esporte e as mídias paulistana!!!!
    Saudações Flamenguista!!!

  • Prezados amigos da coluna do fla, este período negro da nossa história existiu, mas, ela
    teve seu fim com a chegada da era Bandeira de Mello e continua com Landim, hoje privamos
    pelo respeito aos salários dos profissionais, vivemos uma outra realidade, melhor deixar
    aquele período onde está, enterrado no passado.

  • Mais um “Tiago Neves”.

  • A cada dia vejo a inutilidade desta coluna. Quem foi esse rapaz? Porque fazer essa matéria tacanha? O pior dar voz a quem está ofuscado.
    Desnecessário!!!