Ex-jogador argentino exalta atletas do Flamengo: “Deviam estar jogando na Europa”

FOTO: REPRODUÇÃO/ESPN ARGENTINA

A vitória do Flamengo sobre o Vélez Sarsfield por 3 a 2, impressionou muita gente do meio do esporte. Isso porque, além do excelente jogo, as estrelas do elenco rubro-negro brilharam, como De Arrascaeta. Dessa forma, o destaque do plantel do Mengo ficou por conta da imprensa argentina. Assim, os ‘hermanos’ frisaram que os atletas que atuam no Mais Querido poderiam, tranquilamente, jogar futebol no Velho Continente.

Um deles foi o ex-jogador Seba Domínguez, que fez questão exaltar o futebol praticado pelo Rubro-Negro. Para o zagueiro, que teve passagem pelo futebol brasileiro (Corinthians), o Mais Querido tem tudo para ganhar a Copa Libertadores. Além disso, o triunfo contra o Vélez Sarsfield não foi por acaso, visto que, como mencionado, diversos atletas do Mengo poderiam estar jogando no futebol europeu.

O Flamengo tem um plantel em que sete jogadores deviam estar jogando na Europa. Tranquilamente uma das melhores equipes da América. Do meio para frente vão todos, a defesa é mais complicada, mas do meio para frente são todos – disse o ex-Corinthians.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Após deixar os argentinos ‘tremendo’, o Mais Querido se prepara visando o próximo desafio: o título da Taça Guanabara. Na decisão, o Flamengo enfrenta o Volta Redonda neste sábado (24), às 19h (horário de Brasília), no Maracanã. A partida contará com exibição da FlaTV+, mas o Coluna do Fla traz a transmissão mais rubro-negra da internet, no YouTube.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Seu pseudônimo tinha que ser
    “Jonh Smith”.
    Gente que é colonizada
    mentalmente, por
    dentro, resignada em
    viver numa colônia, num
    país onde todas as riquezas
    são transferidas para o
    exterior, que assiste de
    braços cruzados a fuga de
    seus talentos, sejam eles
    grandes jogadores, sejam eles
    cientistas. Por que? Porque é
    o segundo país mais injusto
    do mundo, que concentra a
    renda nas mãos de 1% dos
    indivíduos. Fosse um país
    menos injusto, a maioria dos
    torcedores teria renda para
    comprar os produtos com a
    marca de seu clube e o Flamengo,
    que possui a maior torcida do
    mundo, seria a maior potência
    do futebol do planeta. Se você,
    se conforma com essa ” triste”
    realidade, considerando tudo
    muito natural, eu não me
    conformo, considerando essa
    permanente fuga de talentos
    do Brasil para o exterior
    um sintoma de uma relação
    neocolonial contra a qual
    temos que lutar.

  • O Darcy tem razão em dizer que é triste. Mas infelizmente, é a realidade. Os salários no Brasil já estão exorbitantes, apesar de bem abaixo do nível europeu. Mas não é só salário. O desafio do futebol europeu é muito atrativo para os atletas. Se fosse só pelo dinheiro, iriam todos pra China ou EUA.

  • Sério Darcy? E quem vai pagar os salários destes caras?
    É cada um que aparece… KKK

  • Como é triste constatar a
    resignação de parte da população
    da América Latina com sua
    condição subalterna. Se um
    jogador de futebol for de alto
    nível, a conclusão é que “devia
    estar jogando na Europa”, como
    se para lá fosse o destino natural
    do que há de melhor, cabendo a
    nós, pobres latinoamericanos,
    as sobras, os jogadores
    de futebol medianos
    ou em fim de carreira, para
    serem assistidos em
    partidas de futebol medíocres,
    sem o brilho dos grandes
    artistas da bola, que deleitam
    os torcedores dos países ricos,
    velhas e novas metrópoles
    imperiais, em eterno desfrute
    das belezas e riquezas de suas
    velhas e novas colônias. Eu, ao
    contrário, sempre que vejo
    um craque brasileiro no
    exterior, me digo: “deveria estar
    jogando no Brasil”, fazendo a
    alegria de nosso povo, como
    foi até o início da década de
    1990.