Jornalista argentino vê quarteto do Fla como ‘titular em qualquer time europeu’, mas detona atitude de reservas no banco

FOTO: MARCELO CORTES/FLAMENGO

A virada por 3 a 2 sobre o Vélez Sarsfield na terça-feira (20), foi o suficiente para fazer valer a superioridade técnica do Flamengo, principalmente na parte ofensiva, e chamar bastante atenção da mídia esportiva argentina. Para o jornalista Pablo Carrozza, o Rubro- Negro ostenta o melhor plantel do continente e possui atacantes nível europeu.

Apesar de reconhecer a enorme qualidade da equipe brasileira diante dos demais times da América, o jornalista não amenizou nas críticas referentes ao banco de reservas rubro-negro. Nas redes sociais, Pablo disse que os substitutos ‘gritam mais do que ‘Valéria Lynch’ (cantora argentina).

– O Flamengo é por escândalo o melhor time do continente. Os quatro primeiros são titulares de qualquer equipa europeia de primeira linha. Para mim, ele está a caminho de ser campeão da taça. Dito isso, a coisa do banco substituto é uma pena. Eles gritam mais alto do que Valeria Lynch.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


O triunfo de virada por 3 a 2 sobre o Vélez, fez com que o Flamengo quebrasse dois tabus de uma só vez: o clube não ganhava uma partida sequer em solo argentino há 20 anos e há 40 pela Libertadores. A última vitória na Argentina foi sobre o San Lorenzo, por 2 a 1, pela Mercosul de 2001. Além disso, conquistou três pontos importantíssimos que o colocaram momentaneamente na liderança do grupo G.

Nesta quarta-feira (21), Unión La Calera e LDU fecham a primeira rodada do grupo G da Libertadores. O confronto entre as equipes está marcado para acontecer no Estádio Municipal Nicolás Chahuán Nazar, no Chile, às 23h (horário de Brasília).

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Walker, a solução é simples: tirar o Éverton Ribeiro (que está jogando mal a tempos), colocar o Bruno Viana ao lado de outro zagueiro, voltar com Arão como volante e manter um trio de meias: Diego, Gerson e Arrascaeta. Claro que o Everton se tornaria o 12 jogador, para pressionar o titulares e eventualmente, voltar para a titularidade, substituindo um deles (provavelmente o Diego).

  • Gostaria de saber o que o Sormani achou fora da matéria 😁❤🖤.

  • O importante é manter o ritmo de pegada e ajustar a parte defensiva. Os reservas estão ali para incentivar os seus colegas, independente do resultado já que o Mengão não pode contar com a presença do décimo segundo jogador.

  • Verdade Sergio e Mafrol,JJ procurou fazer o óbvio,Marí canhoto, Rodrigo na direita,Arão volante,Ceni demora a substituir,e erra, exemplo,contra o Palmeiras,era Ribeiro e não Ribas,e porque Ramon não está entre os profissionais,os caras são cegos?

  • # Otávio, “pra ontem”

  • Quando O Bruno Viana jogou na zaga, gostei do seu futebol, marca em cima e toca a bola de primeira. Então, temos 1 beque. O quê o Rodrigo Caio quer dá vida a gente não sabe, só vive machucado e quando joga entra igual a um cavalo nos advs. Como não gosto dos demais beques, subiria o Otávio que jogaria junto com o Bruno Viana e Arão de volante. Mas o Rogério Ceni gosta de viver perigosamente, coloca os beques que a torcida não os querem.

  • Dizer que os jogadores do banco gritam muito, para mim é elogio. Quero eles gritando mesmo, participando do jogo, mesmo sem estarem nas 4 linhas. O Flamengo ontem jogou muita bola. Sofreu muito, mas soube superar e buscou a merecida vitória. Me admira as pessoas criticarem o time por conta das dificuldades enfrentadas. Se esquecem que do outro lado tem times que também treinam e também querem vencer. Torcedor ficou muito mal acostumado com campeonatos cariocas, onde 90% dos jogos não têm nem adversário. Vida real é diferente.

  • O artigo acima acertou em exaltar o ataque Rubronegro o comparando aos das equipes européias. O problema do time inteiro não jogar como no Velho Continente está na ausência de um treinador à altura do que há de melhor por lá. Entre os brasileiros não há nenhum atualmente no nível deles. Daí o sucesso do Mister em 2019 e do Abel no Palmeiras recentemente. A metodologia, planejamento e a gestão de grupo dos europeus, especialmente dos portugueses em função do idioma estão em outro patamar. Temos que ter a humildade para reconhecer e parar com o argumento que ganhamos 5 edições da Copa do Mundo, principalmente devido ao talento superior que nossos jogadores mostravam em tempos já distantes. O mundo mudou assim como o futebol e desde a Copa de 2010 perdemos esta supremacia

  • O problema do Flamengo está no sistema defensivo. Como jogamos hj com 4 meias de ofício no meio-campo a marcação ali não é tão forte quanto antes, e a marcação alta não tem sido feita com a mesma intensidade de outros tempos, então sobra pra última linha a tarefa de segurar muitos ataques. Rogério tem que encontrar uma maneira melhor de proteger a zaga, que tb perde muito sem a presença de Rodrigo Caio. Gustavo Henrique oscila demais, Bruno Viana ainda está em processo de adaptação e Léo Pereira, ao que parece, é carta fora do baralho só esperando aparecer algum comprador. Acredito que o treinador deva tentar resgatar e restaurar aquele ímpeto anterior na marcação alta, não deixando que muitas jogadas do adversário estourem na zaga. Jogar com a bola o Flamengo sabe muito, precisa reaprender a jogar sem ela.

  • Acho esses elogios ao Flamengo muito exagerados, isso atrapalha muito, a equipe acha que está jogando o fino da bola quando na verdade as dificuldades em campo tem sido enormes. Acho que assisti outro jogo, no jogo que assisti vi muitas dificuldades.