CBF propõe mudança em uniforme, e Flamengo se manifesta contrário à ideia

FOTO: MARCELO CORTES/FLAMENGO
O Campeonato Brasileiro ainda não começou, mas as reuniões a respeito da competição nacional já estão acontecendo. Isso porque, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) se reuniu na última terça-feira (11) com os clubes da Série A para discutir uma mudança: a padronização de números e nomes nas camisas das equipes.

A reunião aconteceu virtualmente por conta da pandemia e, além de Manoel Flores, diretor de competições da CBF, e Gilberto Ratto, diretor de marketing da CBF, contou com os representantes de marketing dos clubes da Série A. O projeto apresentado pela entidade é de que todas as equipes usem o mesmo ‘layout’ e ‘design’ nas camisas a partir da temporada de 2021.
Como o Brasileirão se inicia no fim do mês de maio, inicialmente, não seria obrigatória a mudança para esta temporada. No entanto, Manoel Flores, junto ao Conselho Técnico da CBF, prevê uma regra futura para a competição nacional, algo semelhante ao que acontece na Champions League e Premier League, por exemplo.

Quem será o próximo a perder para o Mengão? Saiba como lucrar com previsões esportivas!

Vale destacar que a CBF se propôs a disponibilizar os modelos dos nomes e números, de forma gratuita, com uma empresa específica, caso seja do interesse do clube. Apesar da ideia ter agradado a uma parte dos clubes, o Flamengo, de antemão, descartou a possibilidade e informou que seguirá com o que está sendo utilizado nesta temporada.
Além disso, o Rubro-Negro entende que não é do ofício da CBF controlar ‘design’ e ‘layout’ e, ainda mais, a produção de nomes e números dos clubes. Sem contar que o Flamengo precisa ter as camisas aprovadas pela Adidas, ou seja, necessita do aval da fornecedora caso aceite este novo projeto da confederação. A informação foi inicialmente divulgada pelo jornal O Dia.
Em meio a isso, o Flamengo tem estreia marcada no Brasileirão. O Rubro-Negro encara o Palmeiras, no dia 30 de maio, às 16h (horário de Brasília), no Maracanã. O Mais Querido entra em campo em busca do novo título nacional e, além disso, visando o tricampeonato na competição.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Pra falar em nível europeu, vamos começar pela arbitragem, isto sim, eles deveriam se preocuparem…..

  • Ao que parece, o Sr. Manoel Flores quer mostrar serviço, DE ALGUMA FORMA, e resolveu “IMPORTAR POEIRA”, ou seja, “IMPORTAR NADA QUE PRESTE”.
    Só porque Champions League e Premier League adotaram um padrão para camisas, não signifique que esta medida acrescente um valor às competições brasileiras.
    Algum dirigente se deu ao trabalho de pesquisar o fundamento deste tipo de padronização europeia? Será que as “Leagues” não contrataram uma mesma empresa que confecciona camisas e, por isso, as mesmas ficam mais baratas? Ou teria outra razão?
    Isto traz algum benefício ao futebol brasileiro, a ponto de ser priorizado pelos dirigentes da CBF?
    Estamos vendo (muitos) clubes à beira da falência, sem qualquer apoio da CBF.
    O Botafogo, Cruzeiro, Vasco, Coritiba, Goiás, Guarani, Ponte Preta, Náutico, Vitória, entre outros clubes que já conquistaram títulos expressivos no cenário Brasileiro, vivem a complicada expectativa de retornarem à série A, do Brasileiro, mas somente 4 conquistarão este direito. Os que permanecerem na série B, terão seus cofres cada vez mais reduzidos. Como sobreviver?
    Sabem porque Portuguesa de Desportos e Bangu, que já foram vice-campeões brasileiros, Santo André, que já foi campeão da Copa do Brasil, ABC, Treze, e outros, não conseguem (ou melhor, conseguirão) retornar à série A (estão na SÉRIE D)? É POR FALTA DE DINHEIRO…MESMO QUE TENHAM AJUDADO A ENCHER OS COFRES DA CBF…
    Entretanto, padronizar números e outros detalhes de camisa dos clubes, é mais importante do que a “sobre-vida” dos clubes…(na cabeça de “camarões” de colarinho branco)

  • Daqui a pouco vai querer impor o fabricante de material esportivo “sarrafo”…

  • É interferência de todo lado!!!!
    Já absurdamente limitaram quantos técnicos o clube pode ter durante o ano…..
    Tem que ficar liberando jogadores praquela merda de seleção, ferra o clube, os caras não jogam e voltam machucados.
    Porra, chega !!!!!

  • Tem muito uniforme que não dá pra ler o número do jogador pela tv, porque o patrão da patrocinadora é horrível. O Flamengo já sofreu com isso pouco tempo atrás. Premier League, Champions e ate a NBA, só as maiores ligas dos principais esportes do mundo, padronizam numeração. Aí chega no Brasil nego vem dizer que é bobagem. Se os grandes fazem é porque tem um bom motivo, podem ter certeza.

  • Po so faltava essa a cbf querer mandar na camisa dos clubes… vai gastar o tempo em coisas mais produtivas como: pensar num calendario decente onde os jogadores convocados nao desfalques seus times, principalmente em competicoes mata-a-mata.

  • Cabeça vazia oficina do diabo

  • Falta do que fazer é phoda!