Jornalistas questionam troca de Gabigol por Gabriel Jesus na Seleção: “Precipitado”

FOTO: LUCAS FIGUEIREDO/CBF

O técnico Tite deve realizar algumas mudanças na escalação da Seleção Brasileira para enfrentar o Paraguai, às 21h (horário de Brasília), desta terça-feira (08). A principal delas deve ser a troca entre Gabigol e Gabriel Jesus. O atacante do Flamengo, que iniciou o jogo passado entre os 11 principais, deve iniciar a partida no banco de reservas.

Para André Rizek e Arnaldo Ribeiro, jornalistas do Grupo Globo, a decisão de Tite é muito precipitada – visto que uma partida foi muito pouco para se tirar conclusões sobre a passagem de Gabigol na Seleção Brasileira durante estes amistosos.

É até cruel dar apenas uma chance ao Gabigol. É muito pouco observar apenas uma partida de um jogador que está fazendo tanto para o futebol brasileiro -, disse Arnaldo Ribeiro durante o programa ‘Seleção SporTV’.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


VEJA TAMBÉM:


André Rizek, apresentador do programa, corroborou com a opinião do companheiro de bancada: “Acho precipitado trocar o Gabigol pelo Gabriel Jesus depois de apenas um jogo. Muito pouco”, disse em tom questionador.

Considerando todas alterações realizadas por Tite nos treinos, é possível que a Seleção Brasileira vá a campo com: Alisson; Danilo, Éder Militão, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro, Fred e Lucas Paquetá; Richarlison, Neymar e Gabriel Jesus.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Tite é um Paneleiro e já tem sua Patotinha para a Copa, só convocou o Gabigol devido a fase do Atacante no Fla. Seleção só faz amistosos contra Timécos, vários dos seus convocados são reservas onde jogam, inclusive Gabriel Jesus e esse Fred que pra mim não joga nada e deve estar para ser negociado.

  • A prioridade de Tite é a turma dos euro-brasileiros.
    Tite tem um excelente retrospecto na seleção, mas a eliminação na última copa do mundo mostrou que sua estratégia está obsoleta e, se continuar no comando, vamos experimentar mais uma perda do “caneco”.
    Opta por um meio de campo “mordedor de calcanhar, quando NUNCA precisamos deste tipo de formação, para ganhar copas. Sempre nos destacamos por ter um meio de campo criativo e jogando na vertical. Tivemos Zito, Didi e Pelé, em 1958, Zito, Didi e Zagallo, em 1962, Clodoaldo, Gérson e Pelé, em 70, Mauro Silva Zinho e Raí, em 94 (aí, até que aparece um batedor (Mauro Silva), mas ainda assim, tinha seus momentos de boa técnica), Gilberto Silva, Ronaldinho Gaúcho e Rivaldo, em 2002. R. Gaúcho também foi atacante, junto ao fenômeno, mas armou muitas jogadas e foi considerado meio-campista, naquela formação. Gilberto Silva foi o Mauro Silva da seleção de 2002.
    O meio de campo de Tite tem: Casemiro, Fred e Lucas Paquetá. Paquetá cria algumas jogadas, mas prende muito a bola e costuma ficar apagado, nos jogos da seleção.
    Tem que trazer um técnico com experiência na Europa, que logo vai colocar no time, muitos craques que atuam no Brasil e lhes dar sequência de jogo.

  • Gabriel Barbosa erra muito gol. Deveria ser reserva do Pedro.