Diego relembra trajetória pelo Flamengo e celebra 5 anos de clube: “História autêntica e verdadeira”

FOTO: PEDRO AINBINDER/IFLAMENGONEWS

Diego Ribas completou nesta segunda (19), cinco anos no Flamengo. O atleta foi apresentado à Nação Rubro-Negra em 19 de julho de 2016, no segundo ano da gestão de Eduardo Bandeira de Mello. Através das redes sociais, o meia publicou um ‘post’ relembrando sua chegada com um texto em declaração ao clube e fotos com a recepção calorosa da torcida no aeroporto.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Uma primeira impressão que já demonstrava a grandeza desse clube e de toda a Nação Rubro-Negra! Cinco anos depois, o meu sentimento é de gratidão e de muito entusiasmo com o que está por vir… —, escreveu para complementar em seguida:

— … As conquistas que celebramos e as dificuldades que superamos juntos me dá a certeza de que, acima de tudo, nossa história é autêntica e verdadeira! Obrigado, Flamengo! —, finalizou.

CONFIRA A PUBLICAÇÃO:

Apresentado como uma das maiores contratações recentes do Flamengo em 2016, Diego chegou cercado de enorme expectativa. Após bom início e a briga pelo título do Brasileirão daquele ano, o meia passou por momentos conturbados. Primeiro foi a lesão em 2017, que lhe retirou do restante da disputa da fase de grupos da Libertadores e depois, a sequência de derrotas nas finais da Copa do Brasil e da Sul-Americana, no mesmo ano.

Com a falta de títulos expressivos, Diego sempre foi o jogador mais cobrado. Em 2018, a seca de troféus trouxe protestos fortes de torcedores em aeroportos e o camisa 10 sempre foi o maior alvo. Mesmo com todas as dificuldades, sempre exaltou a torcida e o clube. Após passar por uma quase agressão, fez um gol na partida seguinte e sua atitude foi a de se declarar ao Flamengo: “Nada vai mudar aquilo que penso. Eu amo a torcida“, disse na ocasião.

Em 2019, com a chegada de Jorge Jesus, Ribas viu a sorte mudar. A partir daquele ano, mesmo no banco de reservas, ajudou o clube a conquistar o Brasileirão e a Libertadores. Na decisão continental, contra o River Plate, participou ativamente nos dois gols decisivos de Gabigol. As glórias não pararam por aí. Em 2020 veio o bi do Brasileirão, a Recopa Sul-Americana e Supercopa do Brasil.

Com Rogério Ceni, Diego se reinventou. Jogando mais recuado, passou a atuar como volante, como o segundo homem do meio de campo. Seu novo posicionamento foi essencial para que no segundo semestre de 2020 e no primeiro de 2021, o Flamengo continuasse a empilhar taças: Além do já mencionado bi nacional, disputado este ano por conta da pandemia, ainda teve a segundo troféu consecutivo da Supercopa do Brasil e o tricampeonato Carioca (19, 20 e 21).

Com a possibilidade de mais conquistas expressivas, Diego segue na preparação para a segunda partida das oitavas de final da Libertadores, nesta quarta (21), contra o Defensa y Justicia, no Mané Garrincha, em Brasília, às 21h30m. Você pode acompanhar o duelo na transmissão mais Rubro-Negra da internet, no Coluna do Fla, via Youtube, com narração de Rafa Penido.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *