Livre, leve e solto: Gabigol fica mais participativo, dá mais toques na bola e cresce em produção com Renato

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

Por: Higor Neves

O Flamengo vive um novo momento. A equipe, conhecida por ser avassaladora, voltou a ser… avassaladora. Desde a chegada de Renato Gaúcho, o Rubro-Negro conquistou seis vitórias em seis jogos disputados, com direito a 24 gols marcados e apenas três sofridos. Na parte psicológica e comportamental, os jogadores demonstram claras diferenças, porém, as mudanças vão além do ‘intangível’. Gabigol, por exemplo, cresceu em rendimento e já tem claras mudanças táticas.

O camisa 9, que por muitas vezes era utilizado como uma referência mais ‘fixa’ na faixa central do campo, voltou a se movimentar com liberdade e participar do jogo de forma mais ativa. A exemplo da partida mais recente, contra o Corinthians, Gabriel atingiu seu maior índice, tocando na bola por 66 vezes vezes e concedendo 47 passes certos. Se comparado ao último jogo sob o comando de Ceni, a diferença é abissal: naquela ocasião, o atacante teve 22 toques na bola e acertou apenas nove passes.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Em uma análise estatística realizada pelo Coluna do Fla, com dados do Sofascore, pode se concluir que o crescimento  justamente por conta da liberdade que o setor ofensivo ganhou para transitar, fator que, consequentemente, reflete na participação do camisa 9 nas diversas fases da construção. Como objeto de comparação, seguem as médias dos três jogos mais recentes sob o comando de Renato Gaúcho e os três últimos jogos com Rogério Ceni, ex-treinador.


  • Média – Três últimos com Ceni
    72 minutos por jogo
    24 toques na bola (um a cada 3:00 minutos)
    18 passes certos (76% de aproveitamento)
  • Média – Três últimos com Renato
    82 minutos por jogo
    49 toques na bola (um a cada 2:08 minutos)
    28 passes certos (77,3% de aproveitamento)

*Os dados completos, de cada jogo, serão disponibilizados ao fim do texto.


Considerado como protagonista desde que chegou ao Flamengo, Gabigol tem incorporado um novo estilo, mas ainda com números altos com o novo treinador: são cinco gols e duas assistências em seis jogos, ou seja, média superior a uma participação em gol a cada partida. Outros jogadores do setor ofensivo têm dados parecidos. Arrascaeta é um desses exemplos: com mais liberdade para transitar por toda a faixa intermediária, o uruguaio soma seis assistências e dois gols nesse período, totalizando oito participações.

Renato Gaúcho provoca Gabigol: 'O que você tem, tenho de título'
Dentro e fora de campo: o ‘entrosamento’ entre os dois artilheiros já é grande nas resenhas e brincadeiras durante o dia-a-dia no Flamengo (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Para o próximo jogo, Gabriel, Arrascaeta e toda a ‘comitiva de peso’ do time titular do Flamengo não irá atuar. Isso porque, após bater o ABC por 6 a 0 na partida de ida, o Rubro-Negro decidiu poupar toda a equipe no duelo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, que está marcado para esta quinta-feira (05). O técnico Renato Gaúcho, assim como boa parte do elenco, sequer viajará para a cidade de Natal, onde acontece o confronto.

CONFIRA OS DADOS COMPLETOS DOS JOGOS ANALISADOS:

  • Últimos três jogos com Ceni

Flamengo 2×2 LDU
– 45 minutos
– 25 toques na bola (um a cada 1:48 minuto)
– 13 passes certos (76%)

Flamengo 3×1 Fluminense
– 81 minutos
– 25 toques na bola (um a cada 3:14 minutos)
– 31 passes certos (84%)

Flamengo 0x0 Vélez
– 90 minutos
– 22 toques na bola  (um a cada 4:05 minutos)
– 9  passes certos (69%)

  • Três jogos mais recentes com Renato

Flamengo 5×1 São Paulo
– 81 minutos
– 37 toques na bola (um a cada 2:11 minutos)
– 15 passes certos (68%)

Flamengo 6×0 ABC
– 76 minutos
– 44 toques na bola (um a cada 1:46 minuto)
– 23 passes certos (74%)

Corinthians 1×3 Flamengo
– 90 minutos
– 66 toques na bola (um a cada 1:22 minuto)
– 47 passes certos (90%)

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *