Michael revela detalhes da relação com Renato Gaúcho no Flamengo: “Às vezes a gente só precisa de apoio”

FOTO: MARCELO CORTES/FLAMENGO

Michael viveu altos e baixos no Flamengo, mas desde a chegada de Renato Gaúcho está desfrutando a boa fase. A relação do técnico com o jogador virou a chave e engrenou o camisa 19 como um dos amuletos do Rubro-Negro. Recentemente, Portaluppi descreveu o atleta como ‘chatinho’, que levou na brincadeira e destrinchou o relacionamento dos dois.

Em entrevista à FlaTV, Michael relatou a importância de Renato em sua vida profissional. O atacante rasgou elogios ao treinador e reforçou que se sente mais ‘leve’ ao entrar em campo sob o comando de Portaluppi. Além disso, enalteceu o elenco rubro-negro e disse estar muito feliz no clube carioca.

– Ele é brincalhão, alegre. Deixa todo mundo à vontade. Eu fico muito feliz com a forma que ele me trata. Às vezes a gente só precisa disso: um empurrão, uma conversa, um apoio. O que o Renato fez comigo foi isso. Eu entro em campo leve, à vontade – antes de completar:


Quem será o próximo a perder para o Mengão? Saiba como lucrar com previsões esportivas!


– A forma como ele me trata me deixa muito mais à vontade. O grupo é fantástico e chegou um cara que é mais fantástico. Eu só posso agradecer. Eu estou muito feliz aqui, eu sou feliz aqui. É agradecer e trabalhar – finalizou.

Com Michael à disposição, o Flamengo encara o Grêmio pelo segundo jogo das quartas de final da Copa do Brasil. O duelo acontece na quarta-feira (15), às 21h30 (horário de Brasília), no Maracanã, que contará com 35% da capacidade total.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Na verdade Caio, temos mesmo é que pegar no pé dos idiotas responsáveis por este tipo de atitude. Flamenguistas em geral são assim: SEMPRE escolhem um para ser criticado! A bola da vez agora é o Isla.

  • Essa foto deveria servir de mural fixo na coluna, ficaria como exemplo do que um “simples
    apoio”, pode fazer na vida de um profissional. Michael foi um dos jogadores mais “agredidos”
    “humilhados” e “ridicularizados mesmo” pela turma da coluna, assim como Arão e outros
    mais, Rodinei precisou “sair” do flamengo pra ganhar confiança e mostrar seu futebol. Nós
    precisamos repensar essa mania de sempre “escolher” alguém pra criticar. Uma hora nós
    teremos de entender que TODOS os jogadores titulares do flamengo fazem parte do
    “MELHOR TIME DE FUTEBOL” do pais e da América do Sul.