Após ‘Projeto Tondela’, Flamengo planeja compra de outros clubes pela Europa e por outros continentes

FOTO: REPRODUÇÃO/ GE

O trabalho de internacionalização da marca Flamengo segue a todo vapor na cúpula da Gávea, que tenta fechar a compra do Tondela ainda em 2021. A aquisição do clube português, inclusive, é apenas o primeiro passo do projeto ambicioso do Mais Querido.

De acordo com Rodrigo Tostes, vice-presidente de finanças do Rubro-Negro, a diretoria já conversa com investidores sobre o plano de compra de outros clubes pela Europa e pelo resto do mundo nos próximos anos.

Esse é só o primeiro passo. Essa estratégia não vai funcionar se for um clube só fora do Brasil. Todos (possíveis investidores) com quem estamos conversando colocam isso, a gente coloca isso. A gente quer ter um clube na Alemanha, um na Espanha, um na França, na África, na China, nos Estados Unidos, ou seja, não é um projeto de um clube só – disse Tostes, antes de completar:

O tempo para início da segunda fase depende do sucesso do primeiro “case”. A gente precisa de pelo menos três anos para maturar esse projeto, levar o clube para as primeiras posições do Campeonato Português, essa é a ideia. Depois disso a gente pensa na fase dois – finalizou o dirigente, em entrevista ao GE.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Rodrigo Tostes também falou sobre o prazo para a compra do Tondela. O vice-presidente de finanças confirmou a meta de concluir a aquisição até o final deste ano, mas revelou dificuldades para cumprir esse planejamento.

– A gente queria ainda este ano. Está apertado. Bem apertado, por uma série de fatores. A gente ainda trabalha com o prazo deste ano. Mas está bem apertado, não é fácil. Estamos trabalhando pesado – explicou Tostes.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Jota, ainda sonho com o projeto “Boutique da Gávea”, para algo entre 25 a 30mil, ao mesmo tempo que mantém o Maracanã para os grandes jogos. E se as coisas encrencarem com o governo em relação a Maraca, podemos ficar tranquilamente na Gávea, enquanto eles se viram para manter o templo de futebol funcionando.

  • Não tenho nada contra a internacionalização da marca CR Flamengo, que pode ser muito importante para o clube aumentar seu poderio financeiro e angariar mais torcida em outros continentes, mas não era a hora de se pensar em ter um estádio pronto( os custos para manter o Maracanã são proibitivos)? A bola está quicando na área com a possibilidade de se lançar o IPO na Bolsa do BRB Nação Fla e arrecadar mais de 1 bilhão. Basta desenhar esse projeto para ser lançado no início de 2022 para fugir dos efeitos da corrida maluca que vai ser a campanha política para a Presidência da República, a qual vai paralisar os investimentos no Brasil do mesmo jeito que a parada da cadeia produtiva brasileira durante a pandemia fez.