Dirigente do Flamengo desabafa após mudança de atitude da CBF: “Clubes que investem alto não ganham nada”

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

O Flamengo segue vivo na disputa do Brasileirão, na semifinal da Copa do Brasil e na final da Libertadores. O plantel Rubro-Negro conta com jogadores acima da média que constantemente são lembrados por suas Seleções. Dessa forma, algumas partidas são adiadas por causa dos desfalques. Porém, a CBF divulgou que não vai mudar o calendário mesmo com as ausências na equipe carioca, o que provocou o desabafo de um dirigente Rubro-Negro.


Quer comprar produtos do Flamengo pela internet? Conheça a loja mais rápida e segura!


Entre Junho e Novembro deste ano, teremos 14 datas para eliminatórias mais 30 dias de Copa América. Clubes que investem alto não ganham nada. Não paralisam nada. Importante mesmo são os jogadores entrarem de férias em 10/12 e não em 29/12, como propomos. Então tá. Isonomia…“, disse Luiz Eduardo Baptista (BAP), em seu perfil no Twitter.

CONFIRA A PUBLICAÇÃO:

O dirigente lembrou as constantes convocações e o calendário com muitos jogos em sequência. Vale destacar que Gabigol, Everton Ribeiro, Arrascaeta e Isla são nomes certos nas chamadas. Além disso, outros atletas do plantel são monitorados. Luiz Eduardo Baptista (BAP), destacou as 14 datas para as Eliminatórias e o quanto isso pode prejudicar até nas férias dos jogadores.

Com o calendário em debate e partidas adiadas, o Flamengo foca no compromisso diante do Athletico-PR, neste domingo (03). O jogo é válido pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 16h (horário de Brasília), no Maracanã. A exibição na TV aberta será na Rede Globo, no entanto, a transmissão mais rubro-negra da internet, você encontra no Coluna Do Fla, via Youtube.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Como dirigentes da CBF são torcedores de algum time, a inveja fala mais alto, tudo que puderem fazer para prejudicar o Mengão, com certeza farão! Aqui é Brasil, não são pessoas sérias!