Rubro-negro relembra título da Libertadores em votos de casamento: “Emoção de quando Gabi fez o segundo gol”

FOTO: REPRODUÇÃO/ TWITTER

Por: Jonas Coelho e Paula Mattos

O bicampeonato da Libertadores do Flamengo já está eternizado no coração dos torcedores rubro-negros, e para o estudante Fellipe Baptista, de 25 anos, o título ganhou capítulo especial até no matrimônio. O carioca, que atualmente mora nos Estados Unidos, roubou a cena nas redes sociais com votos de casamento inusitados em referência ao tento ‘salvador’ de Gabigol contra o River Plate.

Em vídeo que circulou na internet, o rubro-negro fanático fez questão de relembrar o título memorável de 2019. Fellipe, inclusive, chega a declarar de forma irônica que o dia do casamento é o segundo mais emocionante de sua vida.

É o segundo dia mais emocionante da minha vida, e eu vou te explicar o porquê. Eu lembro de uma vez que o Diego recebeu uma bola, o Gabigol levantou a mão, o Diego olhou e cruzou a bola. O Pinola cabeceou errado, e o Gabigol virou o jogo, aos 47 minutos do segundo tempo, em uma final de Libertadores. Então, amor, eu sei que este dia é muito emocionante, mas você nunca ganhou uma Libertadores – disse o torcedor.


As melhores ofertas para produtos do Flamengo: aproveite desconto e brindes!


VEJA VÍDEO:

Em contato com a reportagem do Coluna do Fla, Fellipe Baptista explicou a ideia de relembrar o título do Flamengo, justamente, na hora da homenagem à esposa.

Na hora dos votos, eu ainda não tinha nada para falar. A emoção que eu estava sentindo naquele momento, por começar uma família, foi a mesma que senti naquele segundo gol do Gabi, e o discurso acabou saindo dessa forma. Acho que ninguém esperava, nem eu (risos) – declarou o rubro-negro.

Dois anos após o triunfo em Lima, no Peru, o Flamengo terá a oportunidade de chegar à ‘Glória Eterna’ pela terceira vez. No dia 27 de novembro, o Mais Querido enfrenta o Palmeiras na decisão da Libertadores, no Centenário, em Montevidéu (Uruguai). Vale lembrar que o estádio foi o palco do primeiro título do Rubro-Negro, em 1981.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *