Vice jurídico do Fla se manifesta sobre ‘traição’ da CBF: “Eu estava na reunião e ouvi o que foi dito”

FOTO: REPRODUÇÃO

Em nota divulgada nesta sexta-feira (01), a CBF comunicou que voltou atrás na decisão de adiamento dos jogos dos clubes que tiveram jogadores convocados para Eliminatórias da Copa. A entidade já havia comunicado ao Flamengo antes, mas o vice geral e jurídico do clube, Rodrigo Dunshee, só se manifestou após o posicionamento oficial e revelou que um acordo foi descumprido.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Para mim, mais que qualquer papel, vale a palavra. Foi isso que meu pai me ensinou. Meu avô ensinou para ele. E eu tô ensinando para o meu filho. Eu estava lá na reunião com a alta cúpula da CBF e ouvi o que foi dito. Ninguém me contou.… —, disse Dunshee, que em outra postagem, colocou um vídeo do coordenador da Seleção Brasileira, Juninho Paulista, que revela o acordo para adiamento dos jogos:

Sim, nós conversamos com o Manoel (Flores), diretor de competições, que por ser tratar novamente de três jogos, nessa data de outubro, vai ser adotados os mesmos critérios que adotamos na data de setembro em relação aos clubes que tiveram jogadores convocados por nós.

CONFIRA A PUBLICAÇÃO COM O VÍDEO:

Mais cedo, o vice de futebol do Flamengo, Marcos Braz, já havia se manifestado, mas de forma irônica. Ele também publicou um vídeo com outra declaração de Juninho Paulista, que tem fala parecida com a postagem de Dunshee e a legenda: “Futebol agradece”. Quem também falou publicamente sobre o assunto foi Luiz Eduardo Baptista, responsável pela pasta de Relações Externas: “Isonomia é a CBF voltar atrás na paralisação do Brasileirão anunciada pelo Juninho Paulista durante as eliminatórias de outubro”.

Além de perder Gabigol e Everton Ribeiro para a Seleção Brasileira por três rodadas do Campeonato Brasileiro, Arrascaeta, convocado pelo Uruguai e Isla, chamado pelo chile, também desfalcam o Rubro-Negro. Serão três partidas da principal competição nacional sem o quarteto.

Podendo contar ainda com os jogadores convocados, o Flamengo entra em campo no próximo domingo (03), às 16h (horário de Brasília), no Maracanã, para enfrentar o Athlético-PR, pela 23ª rodada do Brasileirão. Você pode acompanhar a partida na transmissão mais Rubro-Negra da internet, no Coluna do Fla, via Youtube.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • CBF sendo CBF. Normal. Se fosse o contrário, ou seja, se estivessem beneficiando o Flamengo de alguma forma, aí sim seria motivo para surpresa geral…rs
    A verdade é a seguinte: eles não vêem com bons olhos o Atlético-MG na liderança, obviamente por não ser um clube de SP. A simples possibilidade de ver o Atlético-MG campeão brasileiro já faz a diretoria daquela pocilga sofrer de calafrios, e precisarem todos de tratamento psiquiátrico.
    Porém, se tiverem que entregar a taça pela terceira vez ao Flamengo, a situação piora drasticamente, pois pode ocorrer suicídio em massa naquele antro infestado de paulistas torcedores recalcados, tacanhos e traumatizados. E, lógico, a bem da própria saúde (deles), isso precisa ser evitado a todo custo. “Convocar” jogadores para deixá-los no banco e devolvê-los bichados já não resolve, diante do fato do Flamengo possuir um elenco de respeito, e precisa naturalmente preservar seus melhores jogadores para competições de maior repercussão e premiação. Se falarem em “Brasileirão” na Europa, o povo lembra é de Emil Rached, um pivô brasileiro de 2,15 m que fez parte no passado da Seleção Brasileira de Basquete. O foco agora é o da CBF destruir o elenco do Flamengo, fazendo-o jogar de dois em dois dias, aliás como fez no ano passado na época do Jumèntec Dormente, mas sem resultado. Quem sabe agora não dá certo, né canalhas?
    Mas, infelizmente pra vcs não vai dar pro Palmeiras de novo. Nem pro São Paulo, ou pro Corínthians, ou pro Santos ou até pro RB Bragantino. Mais um ano na fila, CBF. E agradeçam pelo Flamengo não querer fazer valer seus direitos, em relação à “convocações” de seus atletas.

  • Os paulistas mandam na CBF, jogo de cartas marcadas!!

  • Mauro Lopes, esta deveria ser a ação a ser tomada. Mas infelizmente, nossos dirigentes são frouxos!

  • é por isso que o bandeira rachou co a cbf e agora e so nao liberar os jogadores para ela cbf emtra na justiça desportiva que nao pode perder nogadores

  • Colocar esta mocinha vascaína, Juninha Pernambucana, rainha da sobrancelha aparadíssima… que odeia até a morte o CR Flamengo, dá nisso (era o que demonstrava nos programas de TV – abertamente antipático ao Mengão).
    Na época do Eurico Larápio, o Mengão perdeu o título de Campeão Brasileiro, por conta de armação. Agora vem esta menina pernambucana e quer fazer igual ou pior.
    Somos 40 milhões. Para invadir aquela bagunça e fazer valer a justiça, não é difícil.

  • Essa traíragem é comum contra o Mengão no futebol brasileiro. São tantas “crocodilagens” contra o Mais Querido, que nós já perdemos a conta de quantas vezes ele foi prejudicado. O que a CBF, os clubes falidos do futebol brasileiro e a imprensa que faz militância política ao invés de informar não sabem é que sem o Mais Querido o futebol brasileiro acaba. Eu, por exemplo, só tenho paciência para assistir os jogos do Brasileirão , a maioria de péssima qualidade, por um preço de 80 reais por mês no Premiere da Globo, pela paixão que eu tenho pelo CR Flamengo. Se não existisse o Mengão no Brasileirão, eu não perderia meu tempo vendo as peladas de fim de semana desse campeonato sofrível. Hoje com uma assinatura de 30 reais por mês no streaming da ESPN e outra de 15 reais no streaming da HBO, pode-se assistir o melhor do futebol europeu com muito mais qualidade. No Brasil, vigora o pacto da mediocridade. Os medíocres sempre se juntarão para atacar e perseguir tudo aquilo que for grande, majestoso e fugir da média. Não ao Flamengo na Liga dos clubes brasileiros falidos.

  • Simples diretoria e só cobrar o que a lei Pelé diz e se por ventura vierem com lesão cobram também.
    “A entidade convocadora indenizará a cedente dos encargos previstos no contrato de trabalho, pelo período em que durar a convocação do atleta, sem prejuízo de eventuais ajustes celebrados entre este e a entidade convocadora”, diz o artigo 41 da Lei Pelé.
    A situação também deveria se estender ao atleta, uma vez que, quando o mesmo se lesiona a serviço da entidade convocadora, é quem o convocou quem deve arcar com o prejuízo.

  • Simples diretoria , já que e briga exija que a CBF paga os salários dos jogadores convocados conforme a lei Pelé .
    E se o jogador vierem com lesão cobram também o que a lei Pelé diz.
    Simples a sim