Andreas Pereira se torna maior ladrão de bolas do Flamengo

Com bom aproveitamento no ataque, o atleta também tem se mostrado importante no setor defensivo e é quem mais desarma desde que chegou à equipe


Contrato para substituir Gerson, Andreas Pereira não sentiu o peso da camisa do Flamengo e se tornou titular absoluto da equipe rapidamente. Até então, o belga já jogou com meia-atacante e meia esquerda, além de sua posição principal: segundo volante. E foi neste setor que ele botou à prova sua polivalência e se tornou o maior ladrão de bolas do Fla no período, tendo desarmado por 23 vezes.

Mesmo não sendo necessariamente um jogador do sistema defensivo, o camisa 18 se destaca em estatísticas relevantes. Além de ser o líder em desarmes (contado apenas partidas após a chegada do jogador ao Fla), Andreas também é quem mais recupera a posse de bola para a equipe, segundo dados do Sofascore.


As melhores ofertas para produtos do Flamengo: aproveite desconto e brindes!


Emprestado pelo Manchester United, o jogador tem contrato com o Flamengo até meados da próxima temporada e, caso o Rubro-Negro queira mantê-lo, terá que abrir os cofres. O valor estipulado para a compra em definitivo é de 20 milhões de euros, quantia que tornaria Andreas a maior aquisição da história do clube, superando Gabigol – o atacante custou cerca de 18 milhões de euros.

Aproveitando cada dia no Fla, Andreas deve começar a próxima partida no banco de reservas. Isso acontece porque, nesta terça-feira (23), o Flamengo entrará em campo com equipe alternativa para encarar o Grêmio, no Brasileirão, já pensando na final da Libertadores, frente ao Palmeiras, que será disputada no próximo sábado (27), no estádio Centenario de Montevidéu.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Tinha muita gente dizendo que ele não poderia ser volante porque não sabia marcar. Mais uma vez um senso comum da torcida sendo posto abaixo diante dos fatos. Mas deviam ser os mesmos torcedores que idolatravam Cuellar, volante limitado e Everton correria, o famoso triatleta.