Fábio Matias cita desafios para dar continuidade ao ciclo vitorioso do Sub-20 do Flamengo

Fábio Matias se vê motivado em manter Era vencedora das categorias de base do clube


O Flamengo alcançou patamares tão altos nos últimos anos que além do profissional, a categoria de base também ganhou reconhecimento internacional e colecionou títulos recentes. Este, por sinal, é um dos principais desafios de Fábio Matias à frente do comando técnico do clube. Em papo exclusivo com a reportagem do Coluna do Fla, no canal do Youtube, o professor revelou que esse motivo foi um dos estímulos para deixar o Internacional e fechar com o Mais Querido.

Acho que esse é o grande desafio, acho que isso que move a gente às vezes, no meu caso de fazer uma troca em um clube onde estava teoricamente estabilizado, eu tinha uma proporção em relação ao trabalho muito boa e por parte da torcida do Internacional, e das pessoas internamente. Em alguns momentos nós treinadores precisamos de desafios também, de ter sequência em relação a processo, carreira, e foi isso que me moveu, esse tamanho do Flamengo em relação a termos de jogadores. Você falou três jogadores que são fantásticos, dentro da condição.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Ainda em contato com a reportagem do Coluna do Fla, em entrevista exclusiva, Fábio Matias revelou que uma de suas principais características é observar as categorias inferiores para saber quais os destaques do sub-14, 13 e 12 também. Além dos triunfos, o treinador garante que dar suporte e continuidade aos futuros craques é um dos maiores desafios de estar no Flamengo.

– Eu gosto de acompanhar os menores, gosto de saber quem são os destaques da 14, da 13, da 12. E nesse curto período de Flamengo, aos poucos eu estou tentando observar isso. Porque isso é importante. Nós que somos treinadores, hoje, a gente tem que ter o mapeamento dos jogadores que são destaque nas categorias internas. Porque daqui a pouco esses jogadores estarão com a gente.

– Então é esse desafio que move a gente, é ter esses jogadores dentro do Flamengo e saber que um dia a gente vai ter essa oportunidade de trabalhar. A gente é ferramenta pra ajudar esses guris, eu sou uma ferramenta de auxílio pra ajudar eles a atingir o sonho deles. A gente não pode ser o centro das atenções, sempre falo isso. Acho que esse é o desafio de estar no Flamengo hoje.

Para fechar, o treinador utilizou o perfil de Vinícius, um dos destaques, como referência: “Ele em uma das convocações para a Seleção de base, em trabalhar com ele, é um jogador refinado, diferenciado. Então quando você fala desse jeito de atleta, é o que a gente espera do Flamengo, de ter sempre gente nesse perfil”.

VEJA ENTREVISTA COMPLETA

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *