Testagem tripla, investigação de possíveis sequelas da Covid e mais: Flamengo adota protoco rígido para reapresentação

Com o aumento de casos da doença depois da variante Ômicron, clube quer se cercar de cuidados

O elenco principal do Flamengo se prepara para se reapresentar ao clube nesta segunda-feira (10), no Centro de Treinamento Ninho do Urubu. Em meio ao aumento de casos de Covid-19 por conta da variante Ômicron, o Mais Querido resolveu adotar protocolos sanitários ainda mais rígidos.

De acordo com informações divulgadas pelo Uol Esporte, em vez de uma testagem só, o Flamengo decidiu que os atletas passarão por uma bateria de exames que inclui teste rápido, PCR e sorologia. Além disso, o novo treinador da equipe, Paulo Sousa, fez algumas solicitações especiais para que haja um ‘raio-x’ do elenco.

As melhores ofertas para produtos do Flamengo: aproveite desconto e brindes!

A ideia do português é realizar uma investigação profunda em cada um dos jogadores. Por isso, além dos testes de detecção ao coronavírus, os atletas passarão por exames que podem detectar eventuais danos causados pela doença. Haverá uma bateria de provas cardiológicas, por exemplo para identificar se vírus causou alguma sequela.

Com alguns casos internos de funcionários infectados com Covid-19 novamente, o Flamengo voltou a adotar o sistema de trabalho híbrido. Sendo assim, alguns colaboradores trabalham presencialmente e outros de forma remota. Vale lembrar que todos os jogadores rubro-negros receberam as duas doses (ou dose única) da vacina contra a Covid.

Além da reapresentação do elenco e da bateria de exames que será realizada, esta segunda-feira (10) marcará a apresentação do português Paulo Sousa como novo treinador do Flamengo. Enquanto os atletas retornam de férias às 09h (horário de Brasília), o técnico concederá coletiva de imprensa virtual para oficializar a chegada ao clube a partir das 13h (de Brasília).

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Pelo menos isso! Há muito dizia que o rendimento baixo de alguns jogadores – mais velhos? -, poderia ter relação c a COVID-19 (sequelas). Tantas pessoas minhas conhecidas reclamaram de problemas, após a vacina, principalmente na coluna… Só que ninguém, em especial da mi dia coru ptae comuni sta, contra essego verno iria ousar ir p esse lado né? Eu acho que muito s jogadores nossos foram prejudicados; pernas presas, falta de explosão… E contusões… Fora a outra teoria do exjogador Pedrinho, a qual o time de JJ não era tão exigido, nas correrias…, já q o time era mais afinado, os jogadores já sabiam o que iriam fazer em campo, eram intuitivos nas jogadas todas já gravadas, assimilada. Ao menos o PS já demonstrou inteligência.