Flamengo renova contrato com meia da base até 2025

Matheus Gonçalves é uma das promessas do sub-17


Em meio ao nervosismo para o primeiro jogo da semifinal da Libertadores, que acontece nesta quarta-feira (31), o Flamengo tem uma boa notícia para os torcedores. O clube concretizou a renovação do contrato de uma grande joia da base rubro-negra: Matheus Gonçalves, de apenas 17 anos. O jovem faz parte do grupo de promessas que surgiram no Ninho do Urubu nas gerações 2004/2005.

O Flamengo garantiu o vínculo com Matheus Gonçalves até 2025. O meia havia sido sondado por alguns clubes internacionais no final do ano passado, como o Ajax (HOL), por ser um dos grandes destaques da base do Fla, mas permaneceu na equipe, em especial, por ter uma multa rescisória de mais de 50 milhões de euros (cerca de R$250 milhões de reais, na cotação atual). Os valores do novo contrato entre o jogador e o Mais Querido ainda não foram divulgados.

As melhores ofertas para produtos do Flamengo: aproveite desconto e brindes!

Matheus Gonçalves chegou ao Flamengo com 11 anos, em 2016, e logo se tornou uma das grandes joias do elenco da base. Ao lado de outras promessas da mesma faixa etária, como Matheus França, Victor Hugo e Petterson, o jovem fez parte do elenco multicampeão do sub-17 de 2021, que conquistou os títulos do Brasileirão, da Copa do Brasil e da Supercopa na categoria.

Renovado com o Flamengo, Matheus Gonçalves tem a chance de continuar apresentando o bom futebol na base e, quem sabe, subir ao profissional, como aconteceu com seu ex-colega de sub-17, Victor Hugo, que já atua sob o comando de Dorival Júnior. O elenco principal, inclusive, tem um grande duelo nesta quarta-feira (31), contra o Vélez (ARG). O jogo é pela semifinal da Libertadores e acontecerá às 21h30 (horário de Brasília), com transmissão do Coluna do Fla, pelo Youtube.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • O Dorival deveria usar a própria base para fazer sombra aos garotos utilizados no time B. Lázaro, Vitor Hugo, que cairam de produção, e até o Matheuzinho deveriam disputar esse privilégio com outros da base.