Goleira Kaká chora em despedida do Flamengo

Arqueira está a caminho do futebol israelense


Na úiltima quinta-feira (18), o Flamengo oficializou a saída da goleira Kaká, que se despede do futebol feminino após quase oito temporadas vestindo o Manto Sagrado. A arqueira também se emocionou no adeus ao Fla, antes da ida para o futebol israelense. Pelas redes sociais, o Mais Querido ressaltou que a atleta faz parte da história do clube e agradeceu pela trajetória.

VEJA A PUBLICAÇÃO:

A despedida das companheiras de Flamengo aconteceu durante o treinamento realizado no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (CEFAN) da Marinha. Kaká recebeu das mãos do ex-preparador de goleiros do Mais Querido, e hoje supervisor do clube, Antonio Bezerra, uma camisa personalizada com o número 122: quantidade de vezes que defendeu a meta rubro-negra.


Quer comprar produtos do Flamengo pela internet? Conheça a loja mais rápida e segura!



A goleira também recebeu bastante carinho das outras Meninas da Gávea e da comissão técnica durante a despedida. O preparador físico, Saulo de Almeida, e o treinador do sub-20, Celso Silva, fizeram discursos emocionados durante o adeus. Kaká não conteu as lágrimas e chorou ao relembrar da trajetória pelo Flamengo. No fim, as jogadores rubro-negras fizeram uma fila para dar um último abraço na arqueira.

Káka foi hexacampeã carioca, bicampeã da Taça Guanabara e campeã brasileira pelo Flamengo. A goleira também foi eleita a Craque da Galera do Campeonato Brasileiro de 2020 em votação popular. A saída do clube para o futebol israelense foi em comum entre as partes. Por fim, a arqueira ainda deixou uma mensagem para a Nação, agradecendo o apoio durante os anos em que vestiu o Manto Sagrado: “Grande abraço e saudações rubro-negras”.

VEJA A MENSAGEM COMPLETA:

“Chegou a hora de partir. Todo começo tem um fim. Vivi momentos excelentes no clube e agora vou torcer de longe. Deixo um pouco da minha história aqui, mas levo o Flamengo no meu coração. Agradeço a todos que fizeram parte da minha trajetória, desde às atletas, até toda comissão. 

Não posso esquecer de falar da Nação Rubro-Negra, que sempre apoiou e vai fazer esse time ser ainda mais forte. O momento é triste pela despedida, mas me sinto honrada e privilegiada por ter vestido o Manto.

Um grande abraço e saudações rubro-negras”

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *